A nova visão do universo

Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por LEONARDO BOFF*

O universo e toda a criação constituem um como que espelho no qual Deus mesmo se vê a si mesmo

A questão da presença de Deus dentro da moderna visão do mundo (cosmogênese) surge quando nos interrogamos: o que havia antes do antes e antes do big-bang? Quem deu o impulso inicial para a aparição daquele pontozinho, menor que a cabeça de um alfinete que depois explodiu? Quem sustenta o universo como um todo para continuar a existir e a se expandir bem como cada um dos seres nele existentes, o ser humano incluido?

O nada? Mas do nada nunca vem nada. Se apesar disso apareceram seres é sinal de que alguém ou algo os chamou à existência e os sustenta permanentemente. O que podemos sensatamente dizer sem logo formular uma resposta teológica, é: antes do big bang existia o incognoscível e vigorava o mistério. Sobre o mistério e o incognoscível, por definição, não se pode dizer literalmente nada. Por sua natureza, o mistério e o incognoscível são antes das palavras, antes da energia, da matéria, do espaço, do tempo e do pensamento.

Ora, ocorre que o mistério e o incognoscível são precisamente os nomes pelos quais as religiões, também o judeo-cristianismo, significam Deus. Deus é sempre mistério e incognoscível. Diante dele mais vale o silêncio que a palavra. Apesar disso, Ele pode ser intuido pela razão reverente e sentido pelo coração inflamado. Seguindo Blaise Pascal diria: crer em Deus não é pensar Deus mas senti-lo a partir da totalidade de nosso ser. Ele emerge como uma presença que enche o universo, se mostra como entusiasmo dentro de nós (em grego: ter um Deus dentro) e faz surgir em nós o sentimento de grandeza, de majestade, de respeito e de veneração. Essa percepção é típica dos seres humanos. Ela é inegável, pouco importa se alguém é religioso ou não.

Colocados entre o céu e a terra, vendo as miríades de estrelas, retemos a respiração e nos enchemos de reverência. Naturalmente nos surgem as perguntas: Quem fez tudo isso? Quem se esconde atrás da Via-Lactea e comanda a expansão do universo ainda em curso?

Em nossos escritórios refrigerados ou entre quatro paredes brancas de uma sala de aula ou numa roda de conversa solta, podemos dizer qualquer coisa e duvidar de tudo. Mas inseridos na complexidade da natureza e imbuídos de sua beleza, não podemos calar. É impossível desprezar o irromper da aurora, ficar indiferentes diante do desabrochar de uma flor ou não quedar-se pasmados ao contemplar uma criança recém-nascida. Ela nos convence de que, sempre que nasce uma criança, Deus ainda acredita na humanidade. Quase que espontaneamente dizemos: foi Deus quem colocou tudo em marcha e é Deus que tudo sustenta. Ele é a fonte originária e o abismo alimentador de tudo, como dizem alguns cosmólogos. Eu diria: ele é aquele ser que faz ser todos os seres.

Outra questão importante vem simultaneamente suscitada: por que exatamente existe este universo e não outro e nós somos colocados nele? Que Deus quis expressar com a criação? Responder a isso não é preocupação apenas da consciência religiosa, mas da própria ciência.

Sirva de ilustração Stephen Hawking, um dos maioress físicos e matemáticos, em seu conhecido livro Breve história do tempo (1992): “Se encontrarmos a resposta de por que nós e o universo existimos, teremos o triunfo definitivo da razão humana; porque, então, teremos atingido o conhecimento da mente de Deus” (p. 238). Ocorre que até hoje os cientistas e sábios estão ainda se interrogando e buscando o desígnio escondido de Deus.

As religiões e o judeo-cristianismo ousaram uma resposta, dando,com reverência, um nome ao mistério chamando-o por mil nomes, todos insuficientes: Javé, Alá, Tao, Olorum e principalmente Deus.

O universo e toda a criação constituem um como que espelho no qual Deus mesmo se vê a si mesmo. São expansão de seu amor, pois quis companheiros e companheiras junto de si. Ele não é solidão, mas comunhão dos divinos Três – Pai, Filho, Espírito Santo – e quer incluir nesta comunhão toda natureza e o homem e a mulher, criados à sua imagem e semelhança.

Dizendo isso, descansa o nosso cansado perguntar mas face ao Minstério de Deus e de todas as coisas, continua o nosso perguntar, sempre aberto a novas respostas.

*Leonardo Boff é teólogo, filósefo e escritor. Autor, entre outros livros, de A nova visão do universo (Vozes).


A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
CONTRIBUA

Veja neste link todos artigos de

AUTORES

TEMAS

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Lorenzo Vitral Marcus Ianoni Carlos Tautz Alexandre de Oliveira Torres Carrasco Ronaldo Tadeu de Souza Manuel Domingos Neto Marcos Silva Dênis de Moraes Antonino Infranca Boaventura de Sousa Santos Luiz Werneck Vianna João Feres Júnior José Geraldo Couto Salem Nasser Osvaldo Coggiola Berenice Bento Benicio Viero Schmidt Dennis Oliveira Plínio de Arruda Sampaio Jr. Rubens Pinto Lyra Fernão Pessoa Ramos José Costa Júnior Annateresa Fabris Juarez Guimarães José Machado Moita Neto Slavoj Žižek Ladislau Dowbor Vanderlei Tenório Chico Alencar Renato Dagnino Ronald Rocha Marilena Chauí João Carlos Loebens Marcelo Guimarães Lima Ricardo Fabbrini Eliziário Andrade Leda Maria Paulani Luiz Bernardo Pericás Otaviano Helene Tales Ab'Sáber Alexandre de Freitas Barbosa Mariarosaria Fabris Remy José Fontana Heraldo Campos Liszt Vieira João Carlos Salles Francisco Fernandes Ladeira Michael Roberts Francisco Pereira de Farias Claudio Katz Henri Acselrad Flávio Aguiar Leonardo Avritzer Antonio Martins João Adolfo Hansen Lucas Fiaschetti Estevez Gilberto Lopes Sergio Amadeu da Silveira Daniel Brazil Rodrigo de Faria Luiz Marques Jean Pierre Chauvin André Singer Anselm Jappe Leonardo Sacramento Ricardo Musse Rafael R. Ioris Bruno Machado Paulo Nogueira Batista Jr Gabriel Cohn Samuel Kilsztajn Afrânio Catani Thomas Piketty Milton Pinheiro Luiz Roberto Alves Lincoln Secco Matheus Silveira de Souza Andrew Korybko Jorge Luiz Souto Maior Kátia Gerab Baggio José Luís Fiori Mário Maestri Alysson Leandro Mascaro Marilia Pacheco Fiorillo Marcos Aurélio da Silva Yuri Martins-Fontes Maria Rita Kehl Caio Bugiato Jorge Branco Walnice Nogueira Galvão Leonardo Boff Michael Löwy Érico Andrade Alexandre de Lima Castro Tranjan Tadeu Valadares José Raimundo Trindade Ronald León Núñez Bruno Fabricio Alcebino da Silva Jean Marc Von Der Weid Vinício Carrilho Martinez Eleonora Albano João Lanari Bo Eleutério F. S. Prado Luis Felipe Miguel Fábio Konder Comparato José Micaelson Lacerda Morais Celso Frederico Luiz Carlos Bresser-Pereira Luiz Eduardo Soares Chico Whitaker Francisco de Oliveira Barros Júnior João Sette Whitaker Ferreira Michel Goulart da Silva Daniel Afonso da Silva Manchetômetro Airton Paschoa Sandra Bitencourt Eugênio Trivinho Ricardo Abramovay André Márcio Neves Soares José Dirceu Ricardo Antunes Valerio Arcary Daniel Costa Armando Boito Everaldo de Oliveira Andrade Eduardo Borges Julian Rodrigues Luciano Nascimento Priscila Figueiredo Atilio A. Boron Antônio Sales Rios Neto Carla Teixeira Tarso Genro Andrés del Río Henry Burnett Igor Felippe Santos Fernando Nogueira da Costa Ari Marcelo Solon Denilson Cordeiro Gerson Almeida Marcelo Módolo Flávio R. Kothe Bento Prado Jr. Elias Jabbour Bernardo Ricupero Paulo Sérgio Pinheiro Eugênio Bucci Luiz Renato Martins João Paulo Ayub Fonseca Valerio Arcary Paulo Martins Paulo Capel Narvai Paulo Fernandes Silveira Alexandre Aragão de Albuquerque Marjorie C. Marona Vladimir Safatle Celso Favaretto Luís Fernando Vitagliano Gilberto Maringoni

NOVAS PUBLICAÇÕES