As ideias precisam circular. Ajude A Terra é Redonda a seguir fazendo isso.

Ecodecálogo

Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por MICHAEL LÖWY*

Dez mandamentos para salvar a vida neste planeta

O autor destas notas não se julga um novo Moisés e não considera ter recebido este Ecodecálogo de Jeová. Trata-se simplesmente de uma tentativa de responder, com um toque de ironia, em duas páginas breves, à pergunta que muitos se fazem atualmente: o que fazer? O que fazer diante da crise ecológica e da catástrofe climática?

(i) Levarás a sério a crise ecológica. Não se trata apenas de um problema entre muitos outros, é a questão política, econômica, social e moral mais importante do século XXI. É uma questão de vida ou de morte. Nossa casa comum arde em fogo. Não há tempo a perder. Tu tens outras preocupações? Estás preocupado, com toda razão, com o preço da gasolina e do gás e te preocupas injustamente com o grande número de árabes, negros, ciganos, judeus, mexicanos e gays em teu país? Tens que modificar tuas inquietações. A crise climática é mais grave. Muito mais grave? Infinitamente pior. Trata-se da tua sobrevivência e/ou da de teus filhos e netos.

(ii) Não adorarás os ídolos da religião capitalista: “Economia de mercado”, “Energias fósseis”, “Crescimento do PIB”, “Organização Mundial do Comércio”, “Fundo Monetário Internacional”, “Competitividade”, “Pagamento da dívida”, etc. Estes são falsos deuses, ávidos por sacrifícios humanos e responsáveis pelo aquecimento global.

(iii) Agirás diariamente de acordo com os princípios ecológicos. Recusarás viagens de avião nas distâncias cobertas por ferrovias. Reduzirás drasticamente teu consumo de carne. Evitarás as armadilhas do consumismo. Terás consciência da interdependência de todos os seres vivos e agirás com prudência e respeito pela natureza. Mas rejeitarás as ilusões do “beija-florismo”: a crença de que a mudança ecológica resultará da soma de pequenas ações individuais.

(iv) Apoiarás ações coletivas, por exemplo, qualquer luta ecológica concreta, em teu país e no mundo. Consoante o caso, optarás por manifestações de rua, atos de desobediência civil, ZADs [Zonas a Defender], sabotagem de oleodutos. Participarás ou apoiarás movimentos, ONGs, etc. que lutem pelas causas ecológicas, privilegiando as mais radicais.

(v) Nunca oporás o social e o ecológico. Tentarás, por todos os meios, favorecer a convergência entre lutas sociais e ecológicas. Agirás para garantir empregos alternativos aos trabalhadores das empresas poluentes, que devem fechar. Tentarás aproximar sindicatos e movimentos ecológicos.

(vi) Serás solidário, militante e/ou financeiramente, com os refugiados do clima e as vítimas de catástrofes ecológicas. Exigirás que as fronteiras de teu país lhes sejam abertas e que os países ricos do Norte indenizem os países pobres do Sul pelos danos causados pelas mudanças climáticas.

(vii) Lutarás sem trégua contra os políticos ecocidas e/ou negacionistas do clima, os Donald Trump, Jair Bolsonaro, Scott Morrison e cia. Todos os meios são bons para desalojá-los, trocá-los, neutralizá-los.

(viii) Rejeitarás o teu apoio àqueles que invocam o nome da ecologia em vão. Ou seja, os políticos que fazem belos discursos, mas não agem contra as emissões e os combustíveis fósseis. Ou que propõem falsas soluções como os “direitos de emissão”, os “mecanismos de compensação” e outras mistificações do capitalismo verde e do greenwashing.

(ix) Combaterás, por todos os meios, as empresas da oligarquia fóssil, ou seja, o enorme complexo econômico-financeiro-político-militar ligado às energias fósseis: petróleo, carvão, gás. Lutarás por sua expropriação e pela criação de um serviço público de energia, resolutamente orientado para as energias renováveis (solar, eólica, hídrica, etc.) e capaz de oferecer serviços gratuitos às camadas populares.

(x) Sabendo que o problema é sistêmico e que, consequentemente, nenhuma solução verdadeira será possível no marco do capitalismo, participarás, de uma forma ou de outra, dos partidos ou movimentos que propõem alternativas anticapitalistas: ecossocialismo, ecologia social, decrescimento, etc.

*Michael Löwy é diretor de pesquisa em sociologia no Centre nationale de la recherche scientifique (CNRS). Autor, entre outros livros, de O que é o ecossocialismo (Cortez).

Tradução: Fernando Lima das Neves.


O site A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
Clique aqui e veja como

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Caio Bugiato Marilena Chauí Lucas Fiaschetti Estevez Otaviano Helene Denilson Cordeiro Gilberto Maringoni Vladimir Safatle João Sette Whitaker Ferreira Liszt Vieira Ricardo Antunes João Paulo Ayub Fonseca Claudio Katz Everaldo de Oliveira Andrade João Carlos Loebens Milton Pinheiro Leonardo Boff Valério Arcary Chico Alencar Ricardo Musse Luiz Eduardo Soares Ronald León Núñez Igor Felippe Santos André Singer Paulo Capel Narvai Luiz Carlos Bresser-Pereira Antonio Martins Afrânio Catani Alexandre de Lima Castro Tranjan Atilio A. Boron Bernardo Ricupero Celso Frederico Michael Roberts Andrew Korybko Alexandre Aragão de Albuquerque Marcelo Guimarães Lima Gilberto Lopes Alexandre de Freitas Barbosa Jean Marc Von Der Weid Celso Favaretto Airton Paschoa Benicio Viero Schmidt Dênis de Moraes Luiz Marques Tadeu Valadares Luis Felipe Miguel Sandra Bitencourt Juarez Guimarães Antonino Infranca Boaventura de Sousa Santos Flávio Aguiar Leonardo Sacramento Roberto Noritomi Eduardo Borges Eleutério F. S. Prado Bruno Fabricio Alcebino da Silva Yuri Martins-Fontes Marjorie C. Marona Renato Dagnino Henry Burnett Daniel Brazil Carlos Tautz Priscila Figueiredo Eugênio Trivinho André Márcio Neves Soares Henri Acselrad José Micaelson Lacerda Morais Marcelo Módolo Marilia Pacheco Fiorillo José Costa Júnior Daniel Costa José Geraldo Couto Luiz Costa Lima João Lanari Bo Luiz Werneck Vianna Tarso Genro Luiz Renato Martins Jean Pierre Chauvin Anderson Alves Esteves José Raimundo Trindade Marcos Silva Leda Maria Paulani Paulo Sérgio Pinheiro Luiz Bernardo Pericás Marcus Ianoni Paulo Nogueira Batista Jr Valerio Arcary Luiz Roberto Alves Rodrigo de Faria João Carlos Salles Heraldo Campos Antônio Sales Rios Neto Chico Whitaker Francisco Pereira de Farias Walnice Nogueira Galvão Ricardo Fabbrini Remy José Fontana Osvaldo Coggiola Eliziário Andrade Maria Rita Kehl Dennis Oliveira José Luís Fiori João Adolfo Hansen Francisco Fernandes Ladeira Ronaldo Tadeu de Souza Érico Andrade José Dirceu Mariarosaria Fabris Anselm Jappe Fábio Konder Comparato Michael Löwy Francisco de Oliveira Barros Júnior Ari Marcelo Solon Manuel Domingos Neto Vanderlei Tenório Thomas Piketty Eugênio Bucci Julian Rodrigues Roberto Bueno Ronald Rocha Paulo Martins Eleonora Albano Manchetômetro Gabriel Cohn Vinício Carrilho Martinez Ricardo Abramovay José Machado Moita Neto Berenice Bento Plínio de Arruda Sampaio Jr. Ladislau Dowbor Daniel Afonso da Silva Elias Jabbour Salem Nasser Lincoln Secco Samuel Kilsztajn Kátia Gerab Baggio Mário Maestri Paulo Fernandes Silveira Annateresa Fabris Armando Boito Fernando Nogueira da Costa Sergio Amadeu da Silveira Carla Teixeira Alysson Leandro Mascaro Flávio R. Kothe Luciano Nascimento Bruno Machado Slavoj Žižek Rafael R. Ioris Luís Fernando Vitagliano Jorge Luiz Souto Maior Bento Prado Jr. Leonardo Avritzer Gerson Almeida Rubens Pinto Lyra Marcos Aurélio da Silva Tales Ab'Sáber João Feres Júnior Jorge Branco Fernão Pessoa Ramos Lorenzo Vitral

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada