Entre mão e bala

Barbara Hepworth (1903-1975), Pelagos, 1946, Olmo e cordas em carvalho, 430 x 460 x 385mm
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por FERNANDO RIOS*

Um poema pacifista

1.

bala e mão
embalam e manejam
atraem e rejeitam
corpos
………………doentes…
ou sãos…
corpos todos portadores
de seres
para o bem ou para o mal
………………chamados humanos
bala e mão
trazem bons sabores
e péssimos horrores

 

2.

tirar bala e mão do dicionário
requer exímio aprendizado
entre as ciências principais
quem mais se apresenta…
é a política
sobretudo, de corpo a corpo
ela
………………afasta, arrasa
………………ou
………………atrai, aconchega
porque bala e mão
fora do dicionário
tanto multiplicam vítimas e mortos e feridos
quanto procriam aliados e amados e queridos

 

3.

que palavra
fere mais que bala
que palavra
adoça mais que bala
que palavra
agride mais que mão
que palavra
afaga mais que mão

 

4.

a bala que penetra
deixa um rastro oco, amargo
preenchido com sangue
do próprio corpo
ser humano em molho pardo

a mão que esbraveja
deixa um rastro de furacão
que faz cambalear o corpo
perdido em busca de um norte
ser humano em tempestade

 

5.

uma bala que escorre na garganta
deixa um caminho doce
que se preenche em memórias
feitas em mil infâncias alfenins

entranhas de ser humano em delícia

a mão que encontra um rosto
e desenha um gesto um toque uma ternura
faz seu próprio caminho sereno eterno
feito de preciosas pedras pétalas perfumes

estranho ser humano gentilmente gente

 

6.

as palavras estão prontas
ávidas aptas aladas
e se repartem
entre bala e mão
entre mão e bala

palavra bala palavra
bala palavra bala
mão palavra mão
palavra mão palavra

 

7.

dedos e gatilhos
se entendem e desentendem
na falta de palavras
e/ou talvez com elas

e que palavras aladas
tanto atingem faces
quanto acariciam rostos

como pontas de dedos adagas
como pontas de dedos plumas

 

8.

não basta decorar o dicionário

vale mais desenhar gestos amenos
e polvilhar hidromel na boca
e escorrer e aquecer momentos pelo corpo
e preparar um intenso abraço
e sentir o sabor do cálido cândido sôfrego beijo

e se embalar e se manejar
chagalmente klimtement
barcos corpos velas ventos árvores
asas sopros ondas voos
envoltos palavrosamente em dicionários
cuidadosamente em palavras ímãs
e então
conviver
calidamente
quentemente
intensamente

coloridos amantes
fraternos amigos
fogo água terra ar

humanas mentes
de chão e vento e mar

 

9.

e para construir
utopicamente
em qualquer horizonte
algum lugar qualquer
………………de seres
………………………………ditos humanos
………………………………………………………..dos bons e dos melhores
há que sempre resgatar
e desejar (e)ternamente
a mão que embala
a bala que saliva

*Fernando Rios é jornalista, poeta e artista plástico.

 

Veja neste link todos artigos de

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

__________________
  • João Cândido e a Revolta da Chibatarevolta da chibata 23/06/2024 Por PETRÔNIO DOMINGUES: No atual contexto, em que tanto se discute reparações do Estado à população negra, o nome de João Cândido não pode ser esquecido
  • O medo e a esperançaJoao_Carlos_Salles 24/06/2024 Por JOÃO CARLOS SALLES: Contra a destruição da universidade pública
  • O colapso do sionismopalestina livre 80 23/06/2024 Por ILAN PAPPÉ: Quer as pessoas acolham a ideia ou a temam, o colapso de Israel tornou-se previsível. Esta possibilidade deve informar a conversa de longo prazo sobre o futuro da região
  • Franz Kafka, espírito libertárioFranz Kafka, espírito libertário 13/06/2024 Por MICHAEL LÖWY: Notas por ocasião do centenário da morte do escritor tcheco
  • Um olhar sobre a greve das federais de 2024lula haddad 20/06/2024 Por IAEL DE SOUZA: Com alguns meses de governo, comprovou-se o estelionato eleitoral de Lula, acompanhado do seu “fiel escudeiro”, o Ministro da Fazenda, Fernando Haddad
  • Retomar o caminho da esperançafim de tarde 21/06/2024 Por JUAREZ GUIMARÃES & MARILANE TEIXEIRA: Cinco iniciativas que podem permitir às esquerdas e centro-esquerdas brasileiras retomarem o diálogo com a esperança majoritária dos brasileiros
  • A sociedade da história mortasala de aula parecida com a da história usp 16/06/2024 Por ANTONIO SIMPLICIO DE ALMEIDA NETO: A disciplina de história foi inserida numa área genérica chamada de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e, por fim, desapareceu no ralo curricular
  • Sobre a ignorância artificialEugenio Bucci 15/06/2024 Por EUGÊNIO BUCCI: Hoje, a ignorância não é uma casa inabitada, desprovida de ideias, mas uma edificação repleta de baboseiras desarticuladas, uma gosma de densidade pesada que ocupa todos os espaços
  • Manual teológico do neopentecostalismo neoliberaljesus salva 22/06/2024 Por LEONARDO SACRAMENTO: A teologia transformou-se em coaching ou fomentador da disputa entre trabalhadores no mundo do trabalho
  • Chico Buarque, 80 anoschico 19/06/2024 Por ROGÉRIO RUFINO DE OLIVEIRA: A luta de classes, universal, particulariza-se no requinte da intenção construtiva, na tônica de proparoxítonas proletárias

AUTORES

TEMAS

NOVAS PUBLICAÇÕES