FRAGMENTOS IV

Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por Airton Paschoa*

Prisão domiciliar

Os velhos amuam que nem crianças. Os primeiros porque lhes roubaram o solzinho e as últimas porque lhes tiraram os raios e ralhos. Uns trabalhando mais, outros menos, passam dia e noite risonhamente apreensivos os adultos. Madurões amadurecem, esperando tempo bastante de apodrecer. Os jovens não se conformam; não fizeram nada e nada podem fazer. A penitenciária a céu aberto, tantos a tomando por liberdade… como por liberdade tomavam o regime semiaberto em que viviam. A quantos, que importa o sol nascer quadrado? seja forma atual de suprematismo, seja forma aberta de supremo autismo.

princípio

sempre igual e sem igual
meço e estremeço
os milhões de manhãs que despontaram
os milhares de manhãs que apontaram
espertando esperança
nem que ponta
ao anverso oposta
de lança
de lâmina
de desânimo
cansado o coração
de bater e apanhar

elefantíase

tromba e tromba
o tempo tolo

[tábua]

ondas de calor
ondas de rádio
ondas de ódio
ondas de medo
ondas médias
e só de passar roupa

a tábua

Geológica

Era que recubra esta era.
Não sobre pedra sobre pedra.
Sequer ira.
Sequer hera.

Suíte

O Impossível, o impossível impensável, o que risca o céu e rasga o véu, o que pula o tempo e pulsa a têmpora, o que arca, o que descortina e desatina, o que é arco e é íris, o que estica a corda e corta a fala e corta à faca, o impossível impassível, o que é, senão o que toca o celo?

Ditadura

Vamos pensar que cada manhã redime toda manhã. Senão… Não. Não pode haver alternativa. Se houver… Precisamos negar, negar. Precisamos instituir a manhã como unidade de tempo, como a única unidade do tempo! Sim, sem senão. Sem possibilidade de destituição. Precisamos acreditar que cada manhã absolve toda manhã, que toda manhã, cegamente, piamente crer que toda manhã redime cada manhã. Dia após dia. Precisamos, precisamos. Precisamos crer. Precisamos decretar. Precisamos esquecer, não podemos esquecer, precisamos decretar a ditadura das manhãs.

*Airton Paschoa é escritor, autor, entre outros livros, de A vida dos pinguins (Nankin, 2014).

Veja neste link todos artigos de

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

__________________
  • Razões para o fim da greve nas Universidade Federaisbancos 16/05/2024 Por TADEU ALENCAR ARRAIS: A nova proposta do Governo Federal anunciada dia 15 de maio merece debate sobre continuar ou não a greve
  • Como mentir com estatísticascadeira 51 18/05/2024 Por AQUILES MELO: Os números apresentados pelo governo federal aos servidores da educação em greve mais confundem do que explicam, demonstrando, assim, desinteresse na resolução do problema
  • A “multipolaridade” e o declínio crônico do OcidenteJosé Luís Fiori 17/05/2024 Por JOSÉ LUÍS FIORI: A defesa da multipolaridade será cada vez mais a bandeira dos países e dos povos que se insurgem neste momento contra o imperium militar global exercido pelo Ocidente
  • A greve nas universidades e institutos federais não…caminho tempo 17/05/2024 Por GRAÇA DRUCK & LUIZ FILGUEIRAS: As forças de esquerda e democráticas precisam sair da passividade, como que esperando que Lula e o seu governo, bem como o STF resolvam os impasses políticos
  • O cavalo Caramelocavalo caramelo 15/05/2024 Por LEONARDO BOFF: Há que se admitir que nós não temos respeitado os direitos da natureza com seu valor intrínseco, nem posto sob controle nossa voracidade de devastá-la
  • A universidade operacionalMarilena Chauí 2 13/05/2024 Por MARILENA CHAUI: A universidade operacional, em termos universitários, é a expressão mais alta do neoliberalismo
  • O negacionismo ambiental e a inundação de Porto Alegreporto alegre aeroporto alagado 14/05/2024 Por CARLOS ATÍLIO TODESCHINI: Porto Alegre tem o melhor sistema de proteção contra cheias do Brasil. É considerado um “minissistema holandês”. Por que esse sistema falhou em sua função de evitar que a cidade fosse alagada?
  • A mão de OzaJoao_Carlos_Salles 14/05/2024 Por JOÃO CARLOS SALLES: O dever do Estado brasileiro e a universidade contratada
  • A liberdade fake e o Marquês de SadeEugenio Bucci 18/05/2024 Por EUGÊNIO BUCCI: A liberdade fake, a liberdade sádica, que no fundo é a negação de toda liberdade, está levando o Brasil ao naufrágio total
  • SUS, 36 anos – consolidação e incertezasPaulo Capel Narvai 15/05/2024 Por PAULO CAPEL NARVAI: O SUS não foi o “natimorto” que muitos anteviram. Quase quatro décadas depois, o SUS está institucionalmente consolidado e desenvolveu um notável processo de governança republicana

AUTORES

TEMAS

NOVAS PUBLICAÇÕES