Subjetivações e lugares sociais neofascistas

Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por TALES AB´SÁBER*

As subjetivações práticas existentes entre nós, de uma nova direita que pipoca pelo mundo, e da qual o Brasil de Bolsonaro é uma das plataformas de lançamento

Passado um ano da vitória no limite de Lula sobre Bolsonaro tendemos a esquecer e perder contato com o movimento social, psíquico e ideológico da nova extrema direita que ganhou toda força no Brasil. Um projeto que se faz apresentar, agora, também na Argentina. Como muitos de nós – para qualquer efeito de combate político real – não percebemos o caráter e a ascensão do movimento neofascista no Brasil em 2018, e ajudamos Bolsonaro, com nosso mal entendimento da coisa, agora, com a normalidade em curso de tensão e impasse político e econômico do novo governo de ampla coalizão por Lula, muito rapidamente tende-se a esquecer o que aconteceu ontem. E ainda está acontecendo hoje. Não temos mais nenhuma desculpa para não o sabermos, a não ser uma tácita adesão.

Todo esquecimento é uma vitória prática do fascismo, que vai “nos surpreender de novo” com as mesmas velhas armas e as mesmas mentiras pragmáticas. Segue aqui um rápido inventário dos modos de ser e dos lugares sociais da direita neofascista, onde ela está e atua. Tudo acontecendo hoje e agora, como aconteceu em 2018, e desde 2015, quando ninguém sabia nada a seu respeito… As subjetivações práticas existentes entre nós, de uma nova direita que pipoca pelo mundo, e da qual o Brasil de Bolsonaro é uma das plataformas de lançamento:

1. Impertinência arrogante

2. Inventores de comunismo

3. Falso evangélico mafioso de extrema direita

4. Evangélico autoritário que se esconde atrás do pastor falso evangélico mafioso político

5. Policiais pobres do bem em busca de exclusão de ilicitude para matar em paz

6. Generais do bem em busca de líder fascista para carregarem as joias contrabandeadas, planejarem sua ditadura e ganharem um milhão de reais de salário em plena pandemia

7. Idiotas de todo calibre aguardando a última mentira qualquer do dia na rede bolsonarista para marchar por um ditador

8. Direitistas tradicionais de família, raça, gênero e propriedade bem afirmados

9. Trabalhadores na fronteira do inorgânico, precariado ou crime

10. Idiotas da memética

11. Idiotas da conspiração globalista

12. Idiotas da conspiração anticomunista de 1958

13. Idiotas da pseudo-conspiração QAnon contra artistas pedófilos

14. Idiotas da conspiração ETs estão entre nós

15. Espertos alto consumidores de luxo global que achavam que ganhariam dinheiro com Bolsonaro e Paulo Guedes no poder

16. Super inteligentes milionários moradores de Londres que dão calote bilionário no mercado e que veem o país como uma planilha no computador da própria empresa

17. Bilionários globais do agro vendedores para a China, com seus agregados sertanejo pop, suas rádios ruralistas de província e seus caminhões federais, os únicos que esperam ganhar na real com Bolsonaro. E também sem ele.

18. Velhos católicos fascistas opus dei que vão ao velho jornal ressentido de extrema direita de São Paulo garantir que a constituição garante o direito das forças armadas darem um golpe

19. Super democratas donos de jornais e seus editores que proíbem seus jornalistas de chamarem Bolsonaro de extrema-direita

20. Imbecis de todos os calibres que veem no líder degradado e provinciano a chance de subir na vida em um mundo que interrompeu qualquer possibilidade de ganharem a vida que não pela violência e destruição dos direitos alheios, neoescravistas

21. Milicianos

22. Garimpeiros

23. Invasores posseiros de terras indígenas

24. Gente que garante que não é de direita mas necessita de Lula preso a qualquer custo e por isso vota em Bolsonaro

25. Fascistas da Jovem Pan e seus tentáculos menores Brasil Paralelo

26. Novos mileisistas que apareceram hoje que vão transformar o neofascismo de milícias, generais aposentados, coronéis e garimpeiros de Bolsonaro, no neofascismo anarco-palhaço que veio do céu de nova acumulação primitiva de capital destruindo as democracias liberais existentes.

*Tales Ab´Sáber é professor do Departamento de Filosofia da Unifesp. Autor, entre outros livros deO soldado antropofágico: escravidão e não-pensamento no Brasil (n-1/  Hedra, 2022, 334 pp.). [https://amzn.to/4ay2e2g]


A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
CONTRIBUA

Veja neste link todos artigos de

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Leda Maria Paulani Antonio Martins Érico Andrade Marilia Pacheco Fiorillo Lucas Fiaschetti Estevez Tales Ab'Sáber Elias Jabbour Manuel Domingos Neto Everaldo de Oliveira Andrade Remy José Fontana Vinício Carrilho Martinez José Dirceu João Adolfo Hansen Maria Rita Kehl Ronald León Núñez Luiz Bernardo Pericás Marcos Silva Alexandre de Freitas Barbosa João Sette Whitaker Ferreira Dênis de Moraes Marcelo Guimarães Lima Bento Prado Jr. Gerson Almeida Leonardo Boff Henry Burnett Fernão Pessoa Ramos Flávio Aguiar Yuri Martins-Fontes José Geraldo Couto Celso Frederico Plínio de Arruda Sampaio Jr. Atilio A. Boron José Raimundo Trindade João Lanari Bo Renato Dagnino Heraldo Campos Thomas Piketty Anselm Jappe Denilson Cordeiro Otaviano Helene Valerio Arcary Airton Paschoa Luciano Nascimento Gabriel Cohn Sandra Bitencourt Daniel Brazil André Márcio Neves Soares Leonardo Avritzer Boaventura de Sousa Santos André Singer Vladimir Safatle Tadeu Valadares Dennis Oliveira Osvaldo Coggiola Luís Fernando Vitagliano Mariarosaria Fabris Annateresa Fabris Luiz Renato Martins Ricardo Abramovay Juarez Guimarães Valerio Arcary Kátia Gerab Baggio Francisco Fernandes Ladeira Alysson Leandro Mascaro Luiz Eduardo Soares João Feres Júnior Luis Felipe Miguel José Costa Júnior Rafael R. Ioris Claudio Katz Michael Roberts Jean Marc Von Der Weid Eliziário Andrade Salem Nasser Luiz Werneck Vianna Walnice Nogueira Galvão Afrânio Catani Francisco de Oliveira Barros Júnior Celso Favaretto Manchetômetro João Paulo Ayub Fonseca Berenice Bento Samuel Kilsztajn Eleonora Albano Fábio Konder Comparato Luiz Carlos Bresser-Pereira Gilberto Maringoni Lorenzo Vitral Jorge Branco João Carlos Salles Bruno Fabricio Alcebino da Silva Jean Pierre Chauvin Eugênio Trivinho Marcelo Módolo Paulo Capel Narvai Sergio Amadeu da Silveira Luiz Marques Ricardo Musse Eduardo Borges Ronald Rocha Ricardo Antunes Bernardo Ricupero Antonino Infranca Anderson Alves Esteves Rodrigo de Faria Paulo Fernandes Silveira Marcus Ianoni Fernando Nogueira da Costa Paulo Nogueira Batista Jr Tarso Genro Carla Teixeira Michael Löwy Henri Acselrad Slavoj Žižek Lincoln Secco Armando Boito José Luís Fiori Marjorie C. Marona Ladislau Dowbor Eleutério F. S. Prado José Micaelson Lacerda Morais Ronaldo Tadeu de Souza Liszt Vieira Leonardo Sacramento Paulo Sérgio Pinheiro Caio Bugiato Matheus Silveira de Souza Paulo Martins José Machado Moita Neto Marilena Chauí Ari Marcelo Solon Carlos Tautz Bruno Machado Vanderlei Tenório Chico Alencar Antônio Sales Rios Neto Daniel Afonso da Silva Eugênio Bucci Mário Maestri Michel Goulart da Silva Daniel Costa Chico Whitaker Jorge Luiz Souto Maior Flávio R. Kothe Luiz Roberto Alves Rubens Pinto Lyra Julian Rodrigues Ricardo Fabbrini João Carlos Loebens Andrés del Río Milton Pinheiro Andrew Korybko Alexandre de Lima Castro Tranjan Benicio Viero Schmidt Marcos Aurélio da Silva Priscila Figueiredo Igor Felippe Santos Alexandre Aragão de Albuquerque Gilberto Lopes Francisco Pereira de Farias

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada