As ideias precisam circular. Ajude A Terra é Redonda a seguir fazendo isso.

A Imaginação do Desastre

Marcelo Guimarães Lima, Semente. Pintura digital. 110 x 80 cm. 2021.
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por MARCELO GUIMARÃES LIMA*

Uma reflexão visual sobre a experiência de catástrofes, cataclismos e desastres em nossa época: do global ao pessoal

The Imagination of Disaster foi uma exposição que realizei, junto com a artista norte-americana Julia Townsend, na Total Arts Gallery em Dubai (Emirados Árabes) em 2011. A origem do tema da exposição foi o tsunami (maremoto) que atingiu de modo súbito a costa do Japão em 2011, sem que fosse antecipado por sistemas de alarme e informação para as populações locais, provocou mortes e destruição em algumas cidades costeiras e atingiu a usina nuclear de Fukushima, contaminando a região e potencializando um desastre nuclear de grandes proporções. Até hoje, segundo alguns autores, o tema de Fukushima não mereceu das autoridades japonesas esclarecimentos mais completos. Se o desastre nuclear último foi com muita sorte evitado, as consequências da contaminação atômica na terra e no mar continuam a se fazer sentir decorridas mais de duas décadas dos incidentes.

Marcelo Guimarães Lima – Dark Wave digigrafia – 65×45 cm 2011

Amplamente divulgado na ocasião pela mídia, pudemos assistir pela internet a vídeos do curso da destruição material e da perda de vidas, grupos humanos ilhados e ameaçados, fugindo das águas, sendo tragados nas avalanches de detritos, nos desabamentos, a angústia das vítimas feita imagens enquanto espetáculo de destruição e mortes, representações distanciadas no paradoxo do “aqui e agora” da representação midiática do real. Refletir na intuição visível estas imagens e suas fontes, os acontecimentos e suas afetações próximas e distantes, sensíveis e emocionais, duplicar a visibilidade dada por uma outra visibilidade, tal foi o “paradoxo” que nos propusemos abordar.
No texto de apresentação, me basei em escritos de Susan Sontag, especialmente o ensaio que deu o título da exposição, cuja obra literária, ensaios e ficção, tematizou experiências limite da condição humana, individual e coletiva, como a morte, a doença, a guerra, o sofrimento físico e moral, unindo de modo original o distanciamento da análise sobre a finitude humana e a empatia da expressão artística individualizada que se manifesta, diria, de modo quase autônomo, isto é, onde a dimensão essencial da expressão literária se apodera do escritor, malgré soi, e o faz uma espécie de sismógrafo, um instrumento para a consciência emocional coletiva.

Marcelo Guimarães Lima – Event Horizon – digital painting 2011

Nosso tempo parece ter multiplicado experiências limite englobando natureza e sociedade em suas esferas específicas e igualmente nas suas condicionantes recíprocas. A experiência artística é, de modo essencial, o que nos permite abordar aquilo que podemos talvez designar como a precariedade constitutiva da condição humana. Atributo que é, por vezes, fonte de desesperança mas, igualmente, o solo da resistência e valorização da vida, expressa na criatividade, no desafio da história e da cultura, isto é, do tempo e da ação consciente, para as coletividades, no fazer-se humano que é tarefa perene e sentido ao mesmo tempo universal e cotidiano do que se chama existência, ou a vida tal como ela é, que implica igualmente e necessariamente como pode ser, isto é, como projeto e atividade.

O que se segue é uma tradução / adaptação do meu texto original em inglês. Aqui um link para baixar o catálogo original.

Apresentação

Marcelo Guimarães Lima – Fukushima – digigrafia 50×70 cm 2011

A exposição The Imagination of Disaster (A Imaginação do Desastre) apresenta uma reflexão visual sobre a experiência de catástrofes, cataclismos e desastres em nossa época: do global ao pessoal.

Quando Susan Sontag escreveu seu célebre ensaio sobre os temas dos filmes de ficção científica do período da Guerra Fria, a “Imaginação do Desastre” expressava na ficção científica o medo inconsciente e, historicamente sem precedentes, do conflito atômico. Nos meados do século XX, a catástrofe atômica potencializada adicionava à angústia humana própria da mortalidade individual, os horrores suplementares da aniquilação súbita e total da raça humana.

Mais de meio século depois, as ansiedades recorrentes de um ponto potencial de ruptura na história da humanidade são recriadas em nosso contexto atual de catástrofes diversas produzidas ou assistidas pelos homens: contínuas, acumuladas, redimensionadas, adicionadas ou criadas de formas novas, nos vários campos interligados de atividades humanas e de processos vitais, desde a ecologia à economia, incluindo também a cultura e as artes.

Marcelo Guimarães Lima – Memento – digigrafa 65×45 cm 2011

O tema do desastre, observou Sontag, é “um dos mais antigos temas da arte”. E, no entanto, a imaginação do desastre, dentro de suas perenes dimensões simbólicas, e entre suas várias formas e diversos elementos, grandes e pequenos, revela também, na sua expressão simbólica atual a especificidade histórica dos dilemas, reais e imaginários, do nosso tempo.

A fantasia do medo no cinema de ficção científica, observou Sontag, recobria o medo real do século XX, e o isolava das suas fontes concretas. Indo além da neutralização da ansiedade histórica, a imaginação artística do desastre no início do século XXI pode ter como tarefa desconstruir a imagem instrumentalizada e imposta do medo que contribui, no contexto atual, para paralisar a consciência histórica e a imaginação histórica do presente.

*Marcelo Guimarães Lima é artista plástico, pesquisador, escritor e professor. Neste link você pode encontrar mais informações sobre o trabalho do autor.


O site A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
Clique aqui e veja como

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Jorge Luiz Souto Maior Airton Paschoa Mariarosaria Fabris Bruno Fabricio Alcebino da Silva Carlos Tautz Daniel Brazil Lucas Fiaschetti Estevez Denilson Cordeiro Thomas Piketty Sandra Bitencourt Fábio Konder Comparato Leonardo Avritzer Eleonora Albano João Paulo Ayub Fonseca Antônio Sales Rios Neto Marilena Chauí Luiz Roberto Alves Samuel Kilsztajn Mário Maestri Henri Acselrad Eugênio Trivinho Roberto Bueno Juarez Guimarães Ronaldo Tadeu de Souza Sergio Amadeu da Silveira Luis Felipe Miguel Gilberto Maringoni Osvaldo Coggiola Eliziário Andrade João Sette Whitaker Ferreira Jean Pierre Chauvin Gerson Almeida Eleutério F. S. Prado Renato Dagnino Bento Prado Jr. Chico Whitaker João Feres Júnior Leonardo Sacramento Everaldo de Oliveira Andrade Rubens Pinto Lyra Carla Teixeira Henry Burnett Jean Marc Von Der Weid Benicio Viero Schmidt Vladimir Safatle Lincoln Secco Luiz Werneck Vianna Luciano Nascimento Marcelo Guimarães Lima Ricardo Fabbrini Jorge Branco Marilia Pacheco Fiorillo Michael Roberts Alexandre de Freitas Barbosa Armando Boito Afrânio Catani Julian Rodrigues José Costa Júnior Leonardo Boff Atilio A. Boron José Raimundo Trindade Fernando Nogueira da Costa Igor Felippe Santos Daniel Costa Valério Arcary Marjorie C. Marona Celso Frederico Ricardo Antunes Maria Rita Kehl Érico Andrade Vinício Carrilho Martinez Roberto Noritomi Flávio Aguiar Luiz Bernardo Pericás Bernardo Ricupero Annateresa Fabris Luiz Costa Lima Ricardo Abramovay Salem Nasser Vanderlei Tenório José Luís Fiori Francisco Pereira de Farias Marcos Aurélio da Silva Tadeu Valadares Celso Favaretto Francisco de Oliveira Barros Júnior Ladislau Dowbor Marcus Ianoni André Singer Lorenzo Vitral Marcos Silva Michael Löwy Fernão Pessoa Ramos Bruno Machado Dênis de Moraes Paulo Nogueira Batista Jr Andrew Korybko Antonio Martins Ari Marcelo Solon Luiz Carlos Bresser-Pereira Gabriel Cohn Paulo Martins Eduardo Borges Claudio Katz Tarso Genro Dennis Oliveira Francisco Fernandes Ladeira Luís Fernando Vitagliano José Machado Moita Neto Luiz Renato Martins José Dirceu José Geraldo Couto Manuel Domingos Neto Slavoj Žižek Yuri Martins-Fontes Walnice Nogueira Galvão João Adolfo Hansen Alexandre Aragão de Albuquerque Leda Maria Paulani Kátia Gerab Baggio André Márcio Neves Soares Heraldo Campos Alexandre de Lima Castro Tranjan Anderson Alves Esteves Paulo Sérgio Pinheiro Chico Alencar Ronald Rocha Liszt Vieira Ricardo Musse Elias Jabbour Caio Bugiato Plínio de Arruda Sampaio Jr. Priscila Figueiredo João Carlos Loebens João Carlos Salles Daniel Afonso da Silva Gilberto Lopes Flávio R. Kothe Paulo Fernandes Silveira Eugênio Bucci Boaventura de Sousa Santos João Lanari Bo Rodrigo de Faria Milton Pinheiro Antonino Infranca Anselm Jappe Berenice Bento José Micaelson Lacerda Morais Ronald León Núñez Marcelo Módolo Valerio Arcary Otaviano Helene Tales Ab'Sáber Rafael R. Ioris Manchetômetro Alysson Leandro Mascaro Luiz Marques Paulo Capel Narvai Luiz Eduardo Soares Remy José Fontana

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada