A vida é uma palavra muito curta

Elizabeth Blackadder, Paisagem italiana, 1960
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por DANIEL BRAZIL*

Comentário sobre o livro recém-lançado de Mário Baggio

Nestes tempos midiáticos, onde a internet acelerou os tempos de leitura e exige cada vez velocidade de informação, a arte de escrever histórias concisas e originais é cada vez mais buscada, mas poucas vezes encontrada com sucesso. No oceano de short stories que inunda as redes contornamos arquipélagos de blogs literários, cruzamos cardumes de micro contos, e desviamos de muito lixo flutuando em correntes de lugares comuns.

Por isso é sempre um prazer imenso terminar a leitura de um volume de contos realizados com engenho e arte, onde a originalidade dos temas e a profundidade psicológica contrasta com a economia da escritura. A vida é uma palavra muito curta, de Mário Baggio (Penalux, 2024), é uma ilha luminosa no meio do oceano citado.

Baggio é um contista dedicado, com cinco livros publicados. Artífice de fabulosa imaginação, surpreende a cada passo. A grande maioria dos contos deste volume tem menos de três páginas, alguns mal ultrapassam meia página. As vozes narrativas se alternam, os personagens nunca se repetem, e os enredos são de tirar o fôlego.

Curtos sem serem rasos, cortantes sem desperdiçar aço, como punhais, os contos de Baggio abrangem uma vasta gama de sentimentos. Podem ser violentos, mas também líricos. Profundamente realistas, mas sem abdicar do fantástico. Às vezes parecem ser cínicos, outras vezes comovem. Ora soam confessionais, ora revelam um minucioso analista da fauna humana e suas contradições.

A maestria do autor nos permite experimentar um conjunto de sensações e surpresas, com imagens que ficam marcadas por um longo tempo depois da leitura. A vida é uma palavra muito curta é um dos grandes lançamentos do ano, e estabelece novos parâmetros, erguendo mais alguns centímetros o sarrafo da excelência literária. Baggio já é um dos melhores contistas em atividade neste país. Escritores iniciantes, leiam e aprendam! Veteranos, leiam e reaprendam! Leitores exigentes, apreciem sem moderação.

*Daniel Brazil é escritor, autor do romance Terno de Reis (Penalux), roteirista e diretor de TV, crítico musical e literário.

Referência


Mário Baggio. A vida é uma palavra muito curta. São Paulo, Penalux, 2024, 222 págs. [https://amzn.to/3URq7dY]


A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
CONTRIBUA

Veja neste link todos artigos de

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

__________________
  • Introdução a “O capital” de Karl Marxcultura vermelho triangular 02/06/2024 Por ELEUTÉRIO F. S. PRADO: Comentário sobre o livro de Michael Heinrich
  • O STF, a Inteligência Artificial e a Justiça do Trabalhosouto-maior_edited 07/06/2024 Por JORGE LUIZ SOUTO MAIOR: A concretização da substituição do ser humano pela IA pressupõe que esta já foi treinada para atuar na forma desejada pela classe dominante
  • A greve das Universidades e Institutos federaisvidros corredor 01/06/2024 Por ROBERTO LEHER: O governo se desconecta de sua base social efetiva ao afastar do tabuleiro político os que lutaram contra Jair Bolsonaro
  • Impasses e saídas para o momento políticojosé dirceu 12/06/2024 Por JOSÉ DIRCEU: O programa de desenvolvimento tem de ser a base de um compromisso político da frente democrática
  • Franz Kafka, espírito libertárioFranz Kafka, espírito libertário 13/06/2024 Por MICHAEL LÖWY: Notas por ocasião do centenário da morte do escritor tcheco
  • Registro sindicalMETRÔ 11/06/2024 Por LAWRENCE ESTIVALET DE MELLO & RENATA QUEIROZ DUTRA: O Ministério do Trabalho decidiu conceder registro sindical à Proifes. No entanto, registro sindical não é o mesmo que representação sindical
  • Confissões de uma senhora católicaMarilia Pacheco Fiorillo 11/06/2024 Por MARILIA PACHECO FIORILLO: O reacionarismo congênito não é apanágio apenas dos evangélicos
  • Literatura regionalista no século XXICultura o corredor 06/06/2024 Por DANIEL BRAZIL: Comentário sobre o romance de Benilson Toniolo
  • Uma lógica míopeVERMELHO HOMEM CAMINHANDO _ 12/06/2024 Por LUIS FELIPE MIGUEL: O governo não tem vontade política para transformar a educação em prioridade, enquanto corteja militares ou policiais rodoviários, que não se movem um milímetro para longe do bolsonarismo que continuam a apoiar
  • Sobre a ignorância artificialEugenio Bucci 15/06/2024 Por EUGÊNIO BUCCI: Hoje, a ignorância não é uma casa inabitada, desprovida de ideias, mas uma edificação repleta de baboseiras desarticuladas, uma gosma de densidade pesada que ocupa todos os espaços

AUTORES

TEMAS

NOVAS PUBLICAÇÕES