O racismo silenciado desde sempre no Brasil

Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por ANA MARIA DE NIEMEYER*

Insultos racistas estão presentes secularmente no convívio de brasileir@s de diferentes etnias nos mais variados contextos sociais

“Macaco” e “ratinho”, foram xingamentos dirigidos a um colega, por um aluno de 13 anos de uma escola pública da cidade de São Paulo, futuro assassino de uma professora (CF.FSP, B1, 28/03/2023). Insultos racistas estão presentes secularmente no convívio de brasileir@s de diferentes etnias nos mais variados contextos sociais. Negligenciados, podem passar de palavras a ações, muitas vezes com consequências mortais.

 Aquel@ que é humilhad@ interioriza um sentimento de inferioridade, e até de não pertencimento à humanidade, quando, por exemplo, é tratad@ como coisas (Exemplos de xingamentos dirigidos a negros e negras: “cabelo de Bombril”, “cabelo casa de rato”, “carvão” – dados recolhidos no projeto citado adiante). Aquel@ que xinga e agride impunemente, incorpora um sentimento de superioridade: pertenço a um grupo melhor, posso agir, agredindo ou eliminando os inferiores a mim.

Qual é o papel das escolas, palco destas agressões verbais e físicas? Tratar pontualmente cada caso e depois esquecer? Qual é o papel do Estado? Decretar luto oficial pelo assassinato da professora. E ponto.

E, no calor, do último ataque mortal em uma creche (RS), correr para criar políticas de vigilância e policiamento, dentro e fora das escolas.

Mas, e no dia a dia das escolas, das famílias, e das “comunidades”?

Compartilho uma experiência em escolas públicas – uma estadual e outra municipal – da zona sul de São Paulo (Financiamento/FAPESP/1997 a 2001). Com um grupo interétnico de educador@s e colaborador@s, estudamos o racismo no dia a dia das escolas, privilegiando o ensino fundamental. Envolvemos todas as disciplinas.

Meninos e meninas fizeram, a nosso pedido, desenhos onde transmitiram os xingamentos que receberam e as reações que tiveram. A metodologia do desenho é potente: traz informações, tanto inconscientes, quanto conscientes, não reveladas oralmente. Em todos os desenhos aquel@s que foram ofendid@s choravam.

Foram majoritários os conselhos que receberam em casa depois que relataram as ofensas: “deixar prá lá, não ligar”…

Durante o projeto, ao trazer à tona, no espaço escolar, as situações de discriminação e racismo, alun@s, professor@s e funcionári@s, sentiram-se autorizad@s a expor seus sentimentos. Surgiram cartas espontâneas relatando, pela primeira vez, aqueles acontecimentos. Não só. Os meios de expressão incentivados por nós foram múltiplos: poesias, letras de música -rap-, vídeos e depoimentos em eventos públicos nas escolas.

Alunos e alunas, antes excluíd@s, foram transformad@s em sujeitos de seu aprendizado.

Colocamos à disposição d@s educador@s alternativas para lidar no processo de ensino e aprendizagem com questões cruciais, tais como: preconceito, discriminação e racismo, do ponto de vista étnico e de gênero.

Visamos contribuir para uma melhoria no ensino/aprendizado das escolas alvo do projeto, e para políticas públicas.

Convidamos para reuniões na escola municipal, a “comunidade”: expressão esta usada na região das escolas para designar o@s habitantes dos diferentes tipos de moradias (“favelas”, “fundos de quintal”, “prédios” do BNH). Conversamos sobre o projeto, quando divulgamos informações levantadas por nós. Escutamos, então, relatos de racismo dirigidos a@s negr@s, na família, no comércio, no trabalho e nas abordagens policiais.

E este depoimento: “Basta morar na periferia que o ser humano perde o seu valor”.[1]

*Ana Maria de Niemeyer é professora aposentada do Departamento de Antropologia da Unicamp.

Nota


[1] Sobre esse projeto ver: “Caldeirão de Injustiça”. Cadernos de Arte e Antropologia: vol.1, n.2, 2012: p.9-38. Acessível em: www.cadernosaa.ufba.br. Também em https://www.academia.edu

Veja neste link todos artigos de

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Plínio de Arruda Sampaio Jr. Maria Rita Kehl Otaviano Helene Gilberto Lopes Ronaldo Tadeu de Souza Lincoln Secco Thomas Piketty Marcus Ianoni Antonino Infranca Alysson Leandro Mascaro Henri Acselrad Jorge Branco André Márcio Neves Soares Tales Ab'Sáber Eleonora Albano Boaventura de Sousa Santos Rodrigo de Faria Dênis de Moraes Fernão Pessoa Ramos Gabriel Cohn João Lanari Bo Luiz Roberto Alves Samuel Kilsztajn Eduardo Borges Jean Marc Von Der Weid Juarez Guimarães Osvaldo Coggiola Marcos Aurélio da Silva Chico Whitaker Fernando Nogueira da Costa Ricardo Antunes Carlos Tautz Leonardo Avritzer Sandra Bitencourt José Machado Moita Neto Jean Pierre Chauvin Marilia Pacheco Fiorillo Mário Maestri Daniel Brazil Rubens Pinto Lyra José Raimundo Trindade Walnice Nogueira Galvão Luiz Renato Martins Daniel Afonso da Silva Renato Dagnino Lucas Fiaschetti Estevez Jorge Luiz Souto Maior Manchetômetro Francisco Fernandes Ladeira João Carlos Loebens Anselm Jappe Antonio Martins Valerio Arcary Fábio Konder Comparato Marilena Chauí Paulo Sérgio Pinheiro Alexandre Aragão de Albuquerque Bruno Machado Leonardo Sacramento Kátia Gerab Baggio Remy José Fontana Airton Paschoa Francisco de Oliveira Barros Júnior Marcos Silva Leonardo Boff Ronald Rocha Flávio Aguiar Bento Prado Jr. Chico Alencar Ronald León Núñez Igor Felippe Santos Liszt Vieira Michel Goulart da Silva Tarso Genro João Adolfo Hansen Luiz Werneck Vianna Lorenzo Vitral Yuri Martins-Fontes Denilson Cordeiro Eleutério F. S. Prado Sergio Amadeu da Silveira Benicio Viero Schmidt Luís Fernando Vitagliano Mariarosaria Fabris Slavoj Žižek Andrew Korybko Gilberto Maringoni Luiz Carlos Bresser-Pereira Andrés del Río José Dirceu Luciano Nascimento Claudio Katz Eliziário Andrade Marcelo Módolo Luis Felipe Miguel Paulo Capel Narvai Luiz Marques Vladimir Safatle Ricardo Fabbrini José Luís Fiori Leda Maria Paulani Vanderlei Tenório Bernardo Ricupero João Paulo Ayub Fonseca Ladislau Dowbor Tadeu Valadares Armando Boito Luiz Eduardo Soares Salem Nasser Paulo Nogueira Batista Jr João Feres Júnior Atilio A. Boron Marcelo Guimarães Lima Paulo Fernandes Silveira Alexandre de Oliveira Torres Carrasco Ari Marcelo Solon Antônio Sales Rios Neto José Micaelson Lacerda Morais Francisco Pereira de Farias Luiz Bernardo Pericás Flávio R. Kothe Érico Andrade Afrânio Catani Alexandre de Lima Castro Tranjan Alexandre de Freitas Barbosa Everaldo de Oliveira Andrade Marjorie C. Marona Daniel Costa Celso Frederico José Costa Júnior Manuel Domingos Neto Gerson Almeida Michael Roberts Heraldo Campos Matheus Silveira de Souza Annateresa Fabris Eugênio Trivinho Michael Löwy Elias Jabbour Rafael R. Ioris Carla Teixeira João Sette Whitaker Ferreira Paulo Martins Eugênio Bucci Caio Bugiato José Geraldo Couto Priscila Figueiredo Milton Pinheiro André Singer Bruno Fabricio Alcebino da Silva João Carlos Salles Julian Rodrigues Dennis Oliveira Vinício Carrilho Martinez Ricardo Musse Valerio Arcary Berenice Bento Ricardo Abramovay Henry Burnett Celso Favaretto

NOVAS PUBLICAÇÕES