Arqueologia de um homem pobre

Charles Sims, Eu Sou o Abismo e Sou Luz, 1928.
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por PRISCILA FIGUEIREDO*

Arqueologia de um homem pobre

Analisando os restos de Context 958,
outrora um homem, talvez digno, talvez indigno,
os pesquisadores chegaram às conclusões que seguem:
teria vivido mais de 40 anos — um tempo bom para a época! —
e tinha graves problemas dentários,
estrutura muscular marcada a ferro,
o que sugere, agora como antes, uma vida árdua,
um trabalho, senão de merda, quase.

Seu esqueleto nos conta que se tratava de um
sobrevivente,
pois, hoje como outrora, nesse tipo se espalham
pequenas e médias lesões, indício claro
de dor e desastre.
Contudo, como ainda é comum de ver hoje em dia,
não sem confusão em nosso camarote, esse mesmo
desgaste contínuo não levara em linha reta à morte—
se assim o fosse, naturalmente o sujeito já
não seria chamado sobrevivente
(em todo caso lembremos: sobreviventes
também morrem, às vezes cedo).

Os cientistas ainda leram no osso rígido —
hieroglifo, caixa preta enfim aberta de sua vida —
que carne e peixe estavam sempre em sua mesa.
Como hoje, como no século 13, isso não é
corriqueiro entre os pobres.
Como explicar então que um homem sepultado
embaixo dum hospital para mendigos
tivesse comido tudo isso?
Só pode ser que ele trabalhasse — com isso —,
vendesse ou carregasse — tudo isso —e um pouco
quase por inércia caísse em sua mandíbula.

Também todo mundo no futuro há-de avistar,
em teu esqueleto assimilada, a sacola de ossos
que você corria buscar na terça,
a xepa de quarta e sexta-feira;
saberão do pedaço de carne vermelha
que religiosamente você surrupiava
carregando a refeição alheia.

*Priscila Figueiredo é professora de literatura brasileira na USP. Autora, entre outros livros, de Mateus (poemas) (Bem te vi).


O site A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
Clique aqui e veja como

Veja neste link todos artigos de

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

__________________
  • Franz Kafka, espírito libertárioFranz Kafka, espírito libertário 13/06/2024 Por MICHAEL LÖWY: Notas por ocasião do centenário da morte do escritor tcheco
  • A sociedade da história mortasala de aula parecida com a da história usp 16/06/2024 Por ANTONIO SIMPLICIO DE ALMEIDA NETO: A disciplina de história foi inserida numa área genérica chamada de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e, por fim, desapareceu no ralo curricular
  • Sobre a ignorância artificialEugenio Bucci 15/06/2024 Por EUGÊNIO BUCCI: Hoje, a ignorância não é uma casa inabitada, desprovida de ideias, mas uma edificação repleta de baboseiras desarticuladas, uma gosma de densidade pesada que ocupa todos os espaços
  • Um olhar sobre a greve das federais de 2024lula haddad 20/06/2024 Por IAEL DE SOUZA: Com alguns meses de governo, comprovou-se o estelionato eleitoral de Lula, acompanhado do seu “fiel escudeiro”, o Ministro da Fazenda, Fernando Haddad
  • Carta ao presidenteLula 59mk,g 18/06/2024 Por FRANCISCO ALVES, JOÃO DOS REIS SILVA JÚNIOR & VALDEMAR SGUISSARDI: “Concordamos plenamente com V. Exa. quando afirma e reafirma que ‘Educação é investimento, não é gasto’”
  • Retomar o caminho da esperançafim de tarde 21/06/2024 Por JUAREZ GUIMARÃES & MARILANE TEIXEIRA: Cinco iniciativas que podem permitir às esquerdas e centro-esquerdas brasileiras retomarem o diálogo com a esperança majoritária dos brasileiros
  • Chico Buarque, 80 anoschico 19/06/2024 Por ROGÉRIO RUFINO DE OLIVEIRA: A luta de classes, universal, particulariza-se no requinte da intenção construtiva, na tônica de proparoxítonas proletárias
  • Por que estamos em greve?estátua 50g 20/06/2024 Por SERGIO STOCO: Chegamos a uma situação de penúria das instituições de ensino federal
  • Manual teológico do neopentecostalismo neoliberaljesus salva 22/06/2024 Por LEONARDO SACRAMENTO: A teologia transformou-se em coaching ou fomentador da disputa entre trabalhadores no mundo do trabalho
  • O colapso do sionismopalestina livre 80 23/06/2024 Por ILAN PAPPÉ: Quer as pessoas acolham a ideia ou a temam, o colapso de Israel tornou-se previsível. Esta possibilidade deve informar a conversa de longo prazo sobre o futuro da região

AUTORES

TEMAS

NOVAS PUBLICAÇÕES