As ideias precisam circular. Ajude A Terra é Redonda a seguir fazendo isso.

As armas da crítica e a crítica das armas

Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por PAULO SILVEIRA*

Memória da concessão do título de doutor “honoris causa” a Florestan Fernandes, na Universidade de Coimbra

Fim de junho. O verão já ameaçava queimar. Pequena Praça de Coimbra. Vou chamá-la de Praça da Revolução, da Revolução dos Cravos. Logo ali em frente, não demoraria muito, seria inaugurado um pequeno museu. Digamos, por que não, Museu da Liberdade. O edifício, ainda guardando um aspecto sombrio, era uma antiga sede da PIDE, a polícia política portuguesa – lugar de horror e de tortura. Guardadas as devidas proporções, sucedeu o mesmo com o edifício onde funcionava o antigo DOPS aqui em São Paulo.

Nesta pequena praça, um punhado de pessoas. Não muito mais do que uma centena. Naquele momento, discursava o então presidente de Portugal, o doutor Mario Soares. Avisto logo ali em frente um sujeito que julgo identificar como o major Otelo Saraiva de Carvalho. Justamente aquele que dera início à Revolução de Abril, sublevando as tropas sob seu comando.

Não perderia essa ocasião por nada. Fui até ele, confirmei a identidade; era ele mesmo: o major Otelo Saraiva de Carvalho, e me permiti cumprimentá-lo.

Voltando ao meu lugar, Florestan Fernandes, que estava próximo, havia percebido em meu movimento algo da ordem de um reconhecimento simbólico. Imediatamente me perguntou quem era a pessoa que eu fora cumprimentar. Quando lhe contei quem era, Florestan foi incisivo: já que você o cumprimentou, leve-me até lá e me apresente.

Peso sobre os ombros! Apresentar Florestan Fernandes a Otelo Saraiva de Carvalho não deixou de ser para mim algo de extraordinário. Dois grandes lutadores, de continentes distintos. Um manejando as armas da crítica e o outro a crítica das armas. Ambos almejando, cada um a seu modo, no seu canto e no seu tempo, a queda da longa ditadura de Salazar: um amanhã que finalmente chegara e que se chamou Revolução dos Cravos. Seu dia é o “25 de Abril”, sua canção, “Grândola Vila Morena”.

Cumpri a formalidade da apresentação que Florestan havia pedido. Otelo contou a Florestan que não morava em Coimbra e que estava ali justamente para assistir à solenidade de outorga do título de doutor “honoris causa” que lhe seria concedida no dia seguinte na Universidade de Coimbra.

No dia seguinte, de fato lá estava Otelo Saraiva de Carvalho numa capela da Universidade de Coimbra.

Desta vez, quem fazia o discurso de apresentação do candidato ao colegiado da Universidade era o professor proponente do título, Boaventura de Sousa Santos. Num dado momento recordou alguns aspectos da biografia de Florestan, que, filho de uma camponesa portuguesa e analfabeta, começou a vida como engraxate e, depois, pouco a pouco, e com uma vontade férrea, lapidou a si mesmo: pelas palavras, pelos livros, pela leitura e pela escrita e, claro, escolhendo e fazendo amigos, tantos.

Ali por perto, dois desses amigos de Florestan, dos mais antigos, e que, por isso, conheciam muito bem sua biografia. Miguel Urbano Rodrigues e Fernando Henrique Cardoso. O primeiro, um comunista histórico do partido português; Fernando Henrique, à época, senador da república. Ambos, por escolha, vestidos de uma couraça de proteção contra a demonstração de seus próprios sentimentos.

Heloísa Fernandes, ao meu lado, chamou-me a atenção para as lágrimas que, em vão, Miguel Urbano e Fernando Henrique tentavam disfarçar. Talvez estivessem tocados pela fala de Boaventura recordando a carreira do menino engraxate que nesse momento estava se tornando doutor honoris causa da prestigiosa e multicentenária Universidade de Coimbra.

*Paulo Silveira é psicanalista e professor aposentado do departamento de sociologia da USP. Autor, entre outros livros, de Do lado da história: uma leitura crítica da obra de Althusser (Polis).

 

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Boaventura de Sousa Santos Roberto Noritomi Osvaldo Coggiola Fernando Nogueira da Costa Eugênio Bucci Marilena Chauí André Márcio Neves Soares Ronald Rocha Bernardo Ricupero Slavoj Žižek Lucas Fiaschetti Estevez Valerio Arcary Paulo Fernandes Silveira Anderson Alves Esteves Marcelo Módolo André Singer Jorge Branco Luis Felipe Miguel Rubens Pinto Lyra Yuri Martins-Fontes Dennis Oliveira Alexandre de Freitas Barbosa Eduardo Borges Gilberto Maringoni Caio Bugiato Luiz Roberto Alves Atilio A. Boron Gabriel Cohn Ronald León Núñez Kátia Gerab Baggio Ari Marcelo Solon Luiz Bernardo Pericás Tarso Genro Ricardo Antunes Thomas Piketty Julian Rodrigues Tales Ab'Sáber Andrew Korybko Michael Löwy Eugênio Trivinho Eleutério F. S. Prado Marcus Ianoni José Machado Moita Neto João Sette Whitaker Ferreira Luiz Carlos Bresser-Pereira Daniel Afonso da Silva Marilia Pacheco Fiorillo João Lanari Bo Luciano Nascimento Leonardo Boff Benicio Viero Schmidt Francisco de Oliveira Barros Júnior Manchetômetro Henri Acselrad Jean Marc Von Der Weid Jean Pierre Chauvin Bruno Fabricio Alcebino da Silva Ronaldo Tadeu de Souza João Feres Júnior Gilberto Lopes Rodrigo de Faria Antonio Martins Paulo Sérgio Pinheiro Alexandre Aragão de Albuquerque Érico Andrade Annateresa Fabris Luiz Eduardo Soares Fernão Pessoa Ramos Otaviano Helene Remy José Fontana Mariarosaria Fabris Celso Favaretto Elias Jabbour Denilson Cordeiro Antônio Sales Rios Neto Francisco Pereira de Farias Leonardo Avritzer Luiz Werneck Vianna Alexandre de Lima Castro Tranjan Marcelo Guimarães Lima Lorenzo Vitral Juarez Guimarães Mário Maestri Ricardo Musse Armando Boito Marcos Silva Leda Maria Paulani Milton Pinheiro Marcos Aurélio da Silva Flávio Aguiar Plínio de Arruda Sampaio Jr. Afrânio Catani Manuel Domingos Neto Carla Teixeira Walnice Nogueira Galvão Michael Roberts Berenice Bento João Adolfo Hansen Jorge Luiz Souto Maior Carlos Tautz Alysson Leandro Mascaro Rafael R. Ioris José Geraldo Couto Bento Prado Jr. Sandra Bitencourt Igor Felippe Santos João Carlos Loebens Chico Alencar Liszt Vieira Valério Arcary José Micaelson Lacerda Morais João Paulo Ayub Fonseca Eliziário Andrade Luiz Renato Martins Luís Fernando Vitagliano Gerson Almeida Ladislau Dowbor Leonardo Sacramento Tadeu Valadares Marjorie C. Marona Henry Burnett Samuel Kilsztajn Priscila Figueiredo Salem Nasser Renato Dagnino Antonino Infranca Daniel Brazil Vanderlei Tenório Bruno Machado José Costa Júnior Dênis de Moraes Lincoln Secco José Dirceu Flávio R. Kothe Paulo Capel Narvai Airton Paschoa Heraldo Campos Eleonora Albano Francisco Fernandes Ladeira Everaldo de Oliveira Andrade Anselm Jappe José Raimundo Trindade Paulo Nogueira Batista Jr Claudio Katz Luiz Costa Lima Sergio Amadeu da Silveira Roberto Bueno Ricardo Fabbrini Fábio Konder Comparato Chico Whitaker Daniel Costa João Carlos Salles José Luís Fiori Vinício Carrilho Martinez Luiz Marques Maria Rita Kehl Celso Frederico Paulo Martins Vladimir Safatle Ricardo Abramovay

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada