As ideias precisam circular. Ajude A Terra é Redonda a seguir fazendo isso.

Literatura na quarentena: Nunca houve tanto fim como agora

Imagem: Elyeser Szturm
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por Daniel Brazil*

Comentário sobre o mais recente livro de Evandro Affonso Ferreira

De tudo que li durante o ano passado, nada me marcou tanto quanto o romance Nunca houve tanto fim como agora. Demorei meses remoendo a narrativa, acordando no meio da noite a relembrar imagens saídas de suas páginas, me surpreendendo com a linguagem inovadora.

Evandro Affonso Ferreira é um escritor consagrado, que domina como poucos o vernáculo, um inventor absoluto, embora pouco conhecido do grande público. Transita por uma estrada literária que pouquíssimos ousam trilhar, sem nunca abrir mão da originalidade. Uma espécie de Guimarães Rosa urbano (ele discorda da comparação!), que subverte e decanta a linguagem até atingir uma saturação de sentidos que beira a poesia.

Neste romance, de 2017, acompanha a vida de cinco meninos de rua, narrada de forma fragmentada pela memória do (talvez) único sobrevivente, anos depois.

Eurídice é a figura central do romance. O nome evoca a ninfa grega que Orfeu tenta resgatar do Hades. O inferno, no caso, é a metrópole sombria e desigual por onde rastejam os desvalidos, os abandonados, os decaídos e amaldiçoados. Debaixo de pontes, em becos imundos, tomando banho nas enxurradas, comendo restos, praticando pequenos furtos e, às vezes, sonhando, o quinteto perambula entre ranhos e remelas, e convive com o fantasmagórico personagem que os abraça toda noite: o Relento.

Eurídice é figura materna para os menores do grupo, amante para os mais velhos, paixão para o narrador, Seleno. “Menina-mulher de corpo inflamável”. Seus comentários mordazes sobre a vida contrastam com o lirismo das observações de Ismênio, o menor, um anjo decaído e alucinado capaz de chegar para uma cega e dizer “Ei, moça bonita, se quiser posso ser seu cachorro-guia pro resto da vida”.

Na literatura brasileira, talvez apenas Jorge Amado tenha enfocado um grupo de meninos de rua, no seu clássico Capitães de Areia (Companhia das Letras). Evandro reinventa o mote e coloca o sarrafo bem acima, criando um Orfeu-narrador de voz poderosa: “Não há punhal flambado capaz de remover a umidade da noite, cujo nome é Relento. Cidade? Esquartejadora da nossa esperança: éramos todos forasteiros no próprio lugar onde havíamos nascido.”

Em pouco mais de 150 páginas, Evandro Affonso Ferreira nos oferece o mais pungente retrato da vertiginosa desigualdade em que estamos mergulhados, sem abdicar do lirismo. Obra de um mestre contemporâneo, que já produziu obras-primas como Minha Mãe se Matou sem Dizer Adeus, prêmio APCA de melhor romance em 2010, e O Mendigo Que Sabia de Cor os Adágio de Erasmo de Rotterdam, de 2013, laureado com o Jabuti.

*Daniel Brazil é escritor, autor do romance Terno de Reis (Penalux), roteirista e diretor de TV, crítico musical e literário.

Referência

Evandro Affonso Ferreira. Nunca houve tanto fim como agora. Rio de Janeiro, Record, 2017 (https://amzn.to/3E5N2KF).

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
José Machado Moita Neto Valério Arcary José Raimundo Trindade Francisco Fernandes Ladeira Rafael R. Ioris Bruno Fabricio Alcebino da Silva Remy José Fontana Michael Löwy Tadeu Valadares Luís Fernando Vitagliano Chico Alencar Daniel Afonso da Silva Francisco de Oliveira Barros Júnior Paulo Capel Narvai Francisco Pereira de Farias Eugênio Bucci Sergio Amadeu da Silveira Valerio Arcary Dênis de Moraes Mariarosaria Fabris Jorge Luiz Souto Maior Marcelo Módolo Daniel Costa Carlos Tautz Vanderlei Tenório Luiz Bernardo Pericás Celso Favaretto Paulo Sérgio Pinheiro João Lanari Bo Marjorie C. Marona Manchetômetro Jorge Branco Maria Rita Kehl Leonardo Avritzer Manuel Domingos Neto Otaviano Helene Rubens Pinto Lyra Ricardo Antunes Kátia Gerab Baggio Luiz Marques Gabriel Cohn Gilberto Lopes Ari Marcelo Solon Luiz Eduardo Soares Ronald Rocha Yuri Martins-Fontes Igor Felippe Santos Marcos Aurélio da Silva Boaventura de Sousa Santos Henry Burnett André Singer Fábio Konder Comparato Ricardo Abramovay Flávio Aguiar Marcus Ianoni Luiz Renato Martins Alexandre de Freitas Barbosa Liszt Vieira Plínio de Arruda Sampaio Jr. Bruno Machado Denilson Cordeiro Henri Acselrad Roberto Bueno José Dirceu Antônio Sales Rios Neto Priscila Figueiredo José Geraldo Couto Atilio A. Boron Daniel Brazil José Micaelson Lacerda Morais Claudio Katz Ronald León Núñez Vinício Carrilho Martinez Vladimir Safatle Bernardo Ricupero Alexandre Aragão de Albuquerque Airton Paschoa Tarso Genro Elias Jabbour Chico Whitaker Annateresa Fabris Anselm Jappe Ronaldo Tadeu de Souza Paulo Fernandes Silveira Salem Nasser Bento Prado Jr. Lucas Fiaschetti Estevez Carla Teixeira Andrew Korybko José Luís Fiori Antonino Infranca Eugênio Trivinho João Paulo Ayub Fonseca Benicio Viero Schmidt Berenice Bento Lorenzo Vitral Eleonora Albano Armando Boito Flávio R. Kothe Ricardo Fabbrini Sandra Bitencourt Leonardo Sacramento Leonardo Boff Antonio Martins Eleutério F. S. Prado Luis Felipe Miguel Mário Maestri Gilberto Maringoni Slavoj Žižek Marilia Pacheco Fiorillo João Feres Júnior Michael Roberts José Costa Júnior Marcelo Guimarães Lima Alexandre de Lima Castro Tranjan Fernão Pessoa Ramos Luciano Nascimento Walnice Nogueira Galvão João Carlos Loebens Milton Pinheiro Dennis Oliveira Fernando Nogueira da Costa Rodrigo de Faria Renato Dagnino Gerson Almeida Samuel Kilsztajn Everaldo de Oliveira Andrade Ricardo Musse Leda Maria Paulani Marilena Chauí Luiz Carlos Bresser-Pereira Juarez Guimarães Julian Rodrigues Luiz Werneck Vianna Ladislau Dowbor Eliziário Andrade Eduardo Borges Luiz Costa Lima Afrânio Catani Osvaldo Coggiola Thomas Piketty Jean Marc Von Der Weid Celso Frederico João Carlos Salles André Márcio Neves Soares Lincoln Secco Caio Bugiato Jean Pierre Chauvin Érico Andrade Marcos Silva Paulo Nogueira Batista Jr Heraldo Campos João Sette Whitaker Ferreira João Adolfo Hansen Paulo Martins Alysson Leandro Mascaro Roberto Noritomi Anderson Alves Esteves Luiz Roberto Alves Tales Ab'Sáber

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada