O cartão corporativo e a lanchonete

Imagem: Agruban
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por PAULO CAPEL NARVAI*

Jair Bolsonaro financiou a ação de golpistas, pagando comida com dinheiro público?

Perguntaram-me sobre o uso de cartões corporativos, numa dessas conversas em grupo de WhatsApp. O uso por Bolsonaro e por… Lula e Dilma Rousseff, que teriam feito algo parecido, nos seus governos.

Era um contexto moral e as implicações políticas disso. A indagação era se esse uso poderia violar o princípio constitucional da moralidade na administração pública? Minha resposta foi “não”.

Quando um agente público usa um cartão corporativo, seus gastos estão previamente autorizados, para desburocratizar e agilizar suas ações. Trata-se de modernização administrativa para otimizar o uso do tempo de trabalho de autoridades públicas. Mas são, apenas, tecnologia. Portanto, esse uso não é bom nem mau, por si. Tudo depende do uso que se faz dos cartões.

A CIA usa. A NASA usa.

Já pensou um agente da CIA pedindo autorização para comprar um kibe? Um astronauta pedindo a um funcionário autorização para encher o tanque do seu carro, a caminho do trabalho?

O sujeito compra, paga e, outro funcionário da administração avalia os gastos dele, aplicando o princípio da razoabilidade.  Se os gastos são compatíveis com a operação, ok, aprova-se. Se algo destoa, pede-se explicação ao titular do cartão.

O que houve no governo Lula?

Orlando Silva, então ministro dos Esportes, pagou por uma tapioca, usando o cartão corporativo. Poderia estar em alguma missão, durante o horário de trabalho. Ou saindo de uma sessão de cinema. Era ministro de Estado. A mídia fez um barulho enorme com esse episódio. Para evitar o que houve, o ministro de Lula poderia ter pago a tapioca com o cartão pessoal. Mas usou o corporativo. Pois foi o que bastou para ser “crucificado” pela sanha udenista, sobretudo à direita, mas também à esquerda. Ou seja, o uso da tecnologia está e estará, sempre, condicionado à política.

Mas, atenção: que tal ir ao que é relevante no uso do cartão de Jair Bolsonaro, na lanchonete paulistana? O que houve? Ele resolveu simplesmente “dar um troco” para um amigo? Claro que não. O dono do estabelecimento comercial, seja quem for, foi provavelmente fornecedor de lanches para o acampamento golpista montado na frente do quartel. É isso que deve ser investigado. Jair Bolsonaro financiou a ação de golpistas, pagando comida com dinheiro público?

Penso que é disso que se trata, hoje, agora. Esclarecer se Jair Bolsonaro está envolvido em mais essa, depois de tantas.

Falo “em tese”, decerto, pois nem sei se os gastos na lanchonete de São Paulo são contemporâneos do acampamento de golpistas. Por isso, é preciso investigar…

*Paulo Capel Narvai é professor titular sênior de Saúde Pública na USP. Autor, entre outros livros, de SUS: uma reforma revolucionária (Autêntica)

 

O site A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
Clique aqui e veja como

Veja neste link todos artigos de

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

__________________
  • Andes x Proifes — a disputa no sindicalismo docentegreve educação 28/05/2024 Por VALTER LÚCIO DE OLIVEIRA: O sindicato sai enfraquecido quando sua direção parte do princípio de que as únicas posições verdadeiramente esclarecidas e legítimas são aquelas que respaldam a suas orientações
  • A hora da estrela – trinta e nove anos depoisclareice 20/05/2024 Por LEANDRO ANTOGNOLI CALEFFI: Considerações sobre o filme de Suzana Amaral, em exibição nos cinemas
  • O bolsonarismo pode voltar ao poder?Valério Arcary 24/05/2024 Por VALERIO ARCARY: O lulismo, ou lealdade política à experiência dos governos liderados pelo PT, permitiu conquistar o apoio entre os muito pobres. Mas a esquerda, embora mantenha posições, perdeu a hegemonia sobre sua base social de massas original.
  • A “multipolaridade” e o declínio crônico do OcidenteJosé Luís Fiori 17/05/2024 Por JOSÉ LUÍS FIORI: A defesa da multipolaridade será cada vez mais a bandeira dos países e dos povos que se insurgem neste momento contra o imperium militar global exercido pelo Ocidente
  • Realizando a filosofia — Marx, Lukács e a Escola de…toca discos 25/05/2024 Por ANDREW FEENBERG: A filosofia da práxis é significativa hoje como a tentativa mais desenvolvida dentro do marxismo de refletir sobre as consequências da racionalização da sociedade sob o capitalismo
  • O legado de uma década perdidaRenato Janine Ribeiro 22/05/2024 Por RENATO JANINE RIBEIRO: A esquerda é inteiramente representativa do senso comum de nossa sociedade – tudo de bom que acontece, e tudo de ruim, é só do Presidente
  • O agonizante fim do sionismodistante 22/05/2024 Por SAMUEL KILSZTAJN: O judaísmo não pode ser protegido por furiosos militares israelenses, pois tudo o que os militares fazem é semear tristeza e colher ódio
  • Guaíba – rio ou lago?Rio Guaíba 24/05/2024 Por JOÃO HÉLIO FERREIRA PES: É importante definir juridicamente se o Guaíba é rio ou lago para fins de uma eficaz implantação das políticas públicas de proteção de suas margens
  • Tensões da composição policlassistaMike Chai 27/05/2024 Por ANDERSON ALVES ESTEVES: Greve nos Institutos e Universidades federais desnuda a frente amplíssima
  • Como mentir com estatísticascadeira 51 18/05/2024 Por AQUILES MELO: Os números apresentados pelo governo federal aos servidores da educação em greve mais confundem do que explicam, demonstrando, assim, desinteresse na resolução do problema

AUTORES

TEMAS

NOVAS PUBLICAÇÕES