Gaza, a “sociedade do asfalto” e as favelas do Rio de Janeiro

Dora Longo Bahia, A polícia vem, a polícia vai, 2018 Acrílica sobre vidro laminado trincado 50 x 80 cm
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por SEGADAS VIANNA*

A justificativa para a violência da polícia da Israel carioca, igual a justificativa das Forças israelenses, é que ” as favelas abrigam os traficantes

Vamos criar um cenário onde as favelas do Rio de Janeiro seriam Gaza e a ” sociedade do asfalto” seria Israel.

Na Gaza carioca os traficantes (ou o Hamas) realiza ataques militares na região do Israel carioca ou se envolvem em conflitos com outros grupos armados. Frequentemente os traficantes,  ou o Hamas carioca, rapta, tortura e mata viventes do Israel carioca.

Da mesma forma que Israel age na Cisjordânia a polícia no Rio de Janeiro age como as Forças de Defesa de Israel invadindo as áreas pobres com grande poder bélico e não raro deixa vítimas civis em meio à essa população.

A justificativa da polícia da Israel carioca, igual a justificativa das Forças israelenses, é que ” as favelas abrigam os traficantes, os traficantes obrigam os moradores a escondê-los e que os traficantes vivem misturados com a população das favelas.  Exatamente a lógica do pensamento das Forças de Defesa de Israel com relação à população de Gaza

Ainda seguindo esta linha de pensamento as Forças de Defesa de Israel entendem que a solução para acabar com o Hamas é bombardear Gaza, incluindo a população civil, para exterminar o inimigo. É invadir por terra com blindados e helicópteros matando todos os considerados inimigos.

Ou seja, aplicando a lógica de Israel, e dos que apoiam a ação em Gaza vitimando os palestinos,  a solução para acabar com os traficantes deveria ser bombardear a população das favelas,  invadir estas áreas com grande poder bélico e considerar as vítimas civis como danos colaterais.

Quando trazemos para cenários próximos a nós a solução de Israel para acabar com o Hamas podemos enxergar,  por mais curta que seja a visão,  ou por mais que o opinante careça de maior aprofundamento cultural , o tamanho do absurdo e da crueldade deste tipo de solução que está sendo levada a efeito por Israel em Gaza. Por outro lado, da mesma forma que a polícia no Rio de Janeiro muitas vezes invade com tremendo poder bélico a favela, matando e ferindo dezenas, apreendendo o espólio da batalha com os traficantes sem que isso altere de verdade o cenário nestas áreas o mesmo se dará em Gaza.

Israel pode bombardear,  pode invadir, sequestrar, torturar e matar, porém sempre haverá redutos onde o Hamas continuará existindo, resistindo e lutando. Ações policiais ou militares que afetem a população em geral resultam apenas em uma imensa piora da imagem da força repressora junto à população civil atingida por estas ações.

Responder a brutalidade com brutalidade em geral só resulta em mais brutalidade. O resto é proselitismo ou conjectura.

* Segadas Vianna é jornalista.


A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
CONTRIBUA

Veja neste link todos artigos de

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

__________________
  • Como mentir com estatísticascadeira 51 18/05/2024 Por AQUILES MELO: Os números apresentados pelo governo federal aos servidores da educação em greve mais confundem do que explicam, demonstrando, assim, desinteresse na resolução do problema
  • A “multipolaridade” e o declínio crônico do OcidenteJosé Luís Fiori 17/05/2024 Por JOSÉ LUÍS FIORI: A defesa da multipolaridade será cada vez mais a bandeira dos países e dos povos que se insurgem neste momento contra o imperium militar global exercido pelo Ocidente
  • Razões para o fim da greve nas Universidade Federaisbancos 16/05/2024 Por TADEU ALENCAR ARRAIS: A nova proposta do Governo Federal anunciada dia 15 de maio merece debate sobre continuar ou não a greve
  • A hora da estrela – trinta e nove anos depoisclareice 20/05/2024 Por LEANDRO ANTOGNOLI CALEFFI: Considerações sobre o filme de Suzana Amaral, em exibição nos cinemas
  • A greve nas universidades e institutos federais não…caminho tempo 17/05/2024 Por GRAÇA DRUCK & LUIZ FILGUEIRAS: As forças de esquerda e democráticas precisam sair da passividade, como que esperando que Lula e o seu governo, bem como o STF resolvam os impasses políticos
  • A liberdade fake e o Marquês de SadeEugenio Bucci 18/05/2024 Por EUGÊNIO BUCCI: A liberdade fake, a liberdade sádica, que no fundo é a negação de toda liberdade, está levando o Brasil ao naufrágio total
  • De Hermann Cohen a Hannah Arendtcultura barcos a vela 18/05/2024 Por ARI MARCELO SOLON: Comentário sobre o livro de Miguel Vatter
  • A universidade operacionalMarilena Chauí 2 13/05/2024 Por MARILENA CHAUI: A universidade operacional, em termos universitários, é a expressão mais alta do neoliberalismo
  • O cavalo Caramelocavalo caramelo 15/05/2024 Por LEONARDO BOFF: Há que se admitir que nós não temos respeitado os direitos da natureza com seu valor intrínseco, nem posto sob controle nossa voracidade de devastá-la
  • Depois do dilúvioTarso Genro 20/05/2024 Por TARSO GENRO: Um cavaleiro apocalíptico, três negacionismos e muitos funerais

AUTORES

TEMAS

NOVAS PUBLICAÇÕES