As ideias precisam circular. Ajude A Terra é Redonda a seguir fazendo isso.

Acate o incêndio, homem de bem!

Imagem: Anselmo Pessoa
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por MANUEL DOMINGOS NETO*

Mais que nostálgicos da Guerra Fria, os garantidores da Lei e da Ordem do Brasil são vidrados mesmo é no tempo colonial

Alguns trataram o general Augusto Heleno como senil e imbecil por ter dito que a ABIN (Agência Brasileira de Inteligência) teria como missão espionar “maus brasileiros”. A Lei 9.983/99 designa como missão desta Agência obter informações sobre ameaças internas e externas à ordem constitucional. As ameaças não estão claramente definidas, e o que sempre prevalece é a percepção dos próprios agentes. Os organismos legalmente destinados à preservação da Segurança definem o que constitui ameaça.

Movimentos sociais, ONGs, partidos políticos, parlamentares, militantes sindicais, anti-racistas e variados atores que se destacam na denúncia de injustiças sempre foram tratados como inimigos por instituições encarregadas de velar pela ordem e pela segurança do Estado.

Os governantes eleitos democraticamente contiveram arroubos na atuação destas instituições, sendo a principal delas o Exército. Mas não lograram mudar os valores que orientam a atuação destes organismos acerca do que presta ou não presta na sociedade brasileira.

Centrar fogo num homem que, pela idade, pode estar perdendo a autocensura, é contraproducente ou inócuo. Serve para encobrir a realidade. De que adianta estigmatizar solitariamente o general-ministro e substituí-lo por alguém mais comedido nas palavras, de gestos menos grosseiros, mas com a mesma percepção escabrosa e o mesmo gosto de sangue na boca?

Excetuadas as nuances, Heleno traduziu sinceramente o que pensam o presidente da República, os comandantes militares, os chefes policiais e as forças de sustentação do governo.

Categorias como “bons” e “maus” brasileiros integram a forma como as instituições de segurança sempre perceberam a sociedade. Os que contestam a ordem socioeconômica e política estariam na lista dos “maus”, devendo, quando possível, ser silenciados ou eliminados pelo bem da pátria, pensam os integrantes destas instituições.

Não cabe esquecer: o Exército ainda não se desapegou da mentalidade que justificou a matança de cabanos, balaios, farrapos…  Depois da Proclamação da República, matou mais de dez mil brasileiros que contestavam no sertão baiano. Nunca teve a coragem de dizer “errei”. Nem a grandeza de um pedido de desculpa. Pelo contrário, homenageia os que comandaram as chacinas e maldiz os desobedientes. Em Canudos, eram homens, mulheres e crianças levados a pegar em armas para se defender da besta-fera.

Lutar pela superação do legado de atrocidades do período colonial persiste sendo ameaça à segurança do Estado. Acate as iniquidades e serás homem de bem, alegam os que hoje mandam no Brasil.

São legítimos herdeiros da racionalidade do frei italiano André João Antonil, que morreu em 1716, em Salvador, depois de escrever um longo tratado sobre  como o colonizador devia explorar as florestas, o campo, as minas e o povo. Seu dito mais famoso é o de que nativos e africanos precisavam ser tratados com pão, pau e pano.

Mais que nostálgicos da Guerra Fria, os garantidores da Lei e da Ordem do Brasil são vidrados mesmo é no tempo colonial.

*Manuel Domingos Neto é professor aposentado da UFC. Foi presidente da Associação Brasileira de Estudos de Defesa (ABED) e vice-presidente do CNPq.

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
João Adolfo Hansen Yuri Martins-Fontes Liszt Vieira Tales Ab'Sáber Flávio R. Kothe João Lanari Bo Bento Prado Jr. Paulo Martins Jean Marc Von Der Weid Lorenzo Vitral Chico Whitaker Alysson Leandro Mascaro Antônio Sales Rios Neto Fernão Pessoa Ramos Alexandre Aragão de Albuquerque Mário Maestri Leonardo Avritzer Francisco Pereira de Farias Annateresa Fabris Berenice Bento José Costa Júnior Elias Jabbour Marilia Pacheco Fiorillo Marcelo Guimarães Lima Ricardo Antunes Ricardo Abramovay Paulo Nogueira Batista Jr Benicio Viero Schmidt Flávio Aguiar Michael Löwy Gilberto Maringoni Leonardo Boff Kátia Gerab Baggio Airton Paschoa Leonardo Sacramento André Singer Gabriel Cohn Eugênio Bucci Bruno Fabricio Alcebino da Silva Eleutério F. S. Prado Luis Felipe Miguel Rodrigo de Faria Chico Alencar Luiz Marques Marcus Ianoni Paulo Capel Narvai José Machado Moita Neto Gilberto Lopes Bernardo Ricupero Fábio Konder Comparato Vinício Carrilho Martinez Celso Favaretto Ricardo Fabbrini Antonino Infranca Igor Felippe Santos Julian Rodrigues Luiz Carlos Bresser-Pereira Armando Boito Dênis de Moraes Marcelo Módolo João Paulo Ayub Fonseca Thomas Piketty Eugênio Trivinho Caio Bugiato José Micaelson Lacerda Morais José Raimundo Trindade Juarez Guimarães Lincoln Secco Francisco de Oliveira Barros Júnior Henry Burnett Marilena Chauí Luiz Roberto Alves Slavoj Žižek Everaldo de Oliveira Andrade Afrânio Catani Priscila Figueiredo Daniel Brazil Antonio Martins Otaviano Helene Walnice Nogueira Galvão Samuel Kilsztajn Vanderlei Tenório Henri Acselrad Manuel Domingos Neto Roberto Bueno Érico Andrade Salem Nasser Ladislau Dowbor Vladimir Safatle José Dirceu Sandra Bitencourt Jean Pierre Chauvin Remy José Fontana Luiz Eduardo Soares Daniel Costa Milton Pinheiro Paulo Fernandes Silveira Michael Roberts Manchetômetro Mariarosaria Fabris Bruno Machado Luís Fernando Vitagliano Anselm Jappe Luciano Nascimento Boaventura de Sousa Santos Eleonora Albano Celso Frederico Francisco Fernandes Ladeira Maria Rita Kehl Marcos Aurélio da Silva Eliziário Andrade Ronald León Núñez Paulo Sérgio Pinheiro Atilio A. Boron João Carlos Loebens Rubens Pinto Lyra Marcos Silva Sergio Amadeu da Silveira Claudio Katz Tarso Genro Tadeu Valadares Lucas Fiaschetti Estevez José Luís Fiori Andrew Korybko Renato Dagnino Heraldo Campos João Carlos Salles Alexandre de Lima Castro Tranjan Fernando Nogueira da Costa Denilson Cordeiro Valério Arcary Gerson Almeida Jorge Branco João Sette Whitaker Ferreira Luiz Costa Lima Roberto Noritomi Ari Marcelo Solon Rafael R. Ioris Eduardo Borges Ricardo Musse Daniel Afonso da Silva Luiz Bernardo Pericás João Feres Júnior Alexandre de Freitas Barbosa Luiz Renato Martins Valerio Arcary Ronaldo Tadeu de Souza Ronald Rocha Osvaldo Coggiola André Márcio Neves Soares Carlos Tautz Marjorie C. Marona Jorge Luiz Souto Maior José Geraldo Couto Luiz Werneck Vianna Anderson Alves Esteves Carla Teixeira Plínio de Arruda Sampaio Jr. Dennis Oliveira Leda Maria Paulani

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada