Cantos dos infernos

Imagem: Lucio Fontana

Por WILSON DO NASCIMENTO BARBOSA*

Apresentação do livro de poemas de Yuri Martins-Fontes

Disse certa vez Manuel Bandeira haver poetas que fazem da poesia a arte da inversão. Outro alguém afirmou que a poesia, como conteúdo, tem dois possíveis métodos: conhecer o mundo, através do sonho; ou conhecer o sonho, através do mundo.

Yuri Martins-Fontes, sem dúvida, pertence a esta última metodologia. Segue as pistas que lhe dão o real, para situar, com versos curtos em que é perito, o estado sonâmbulo da alma. Quanto à observação de Manuel Bandeira, diria ele certamente de Yuri que, por detrás da liberação cuidadosa de seus versos, se esconde o efetivo lugar – o mundo – em que quer realizar os seus mais ocultos sonhos.

Tem-se assim um poeta que, como bom poeta, sabe disfarçar o que faz. Abraça-se ele com a realidade que impede a realização de seus sonhos:

Quero o corpo suado
Na manhã de minha cama
Quero o dia que esquece
Quero a noite que ama.

Querer pois o que tem permite ao poeta bastar-se a si mesmo e disfarçar que nada mais quer que aquilo que (nega que) tem. De certo modo, um retorno – com a forma posta em dia – ao hermetismo camoniano: na volta aos antigos dos poetas do período, personagens agem não por motu proprio, mas por interferência de deuses ou semideuses, como na Ilíada ou na Odisseia; Camões desenvolveu nisso sua própria técnica. Desemocionalização dos atos, narrados em poesia.

Assim o sujeito duplo destes Cantos dos Infernos: um que narra o que escolhe; outro, por detrás, que esconde e discorda, sem dar-se por escrito. Esta duplicidade – talvez o Eu dividido – faz com que alguns de seus versos se abram a compreensões diversas.

Somos nós, todos os outros, que admiramos essa busca, essa falsa fuga para o passado, no comum da vida e no estro.

Ler Yuri é portanto desnavegar em sua barca de antissonhos. Que possamos fazê-lo, na angústia e no momento leve desses poemas alternantes que nos proporciona esta leitura.

*Wilson do Nascimento Barbosa é poeta e professor de história na Universidade de São Paulo (USP). É autor, entre outros livros, de Cultura negra e dominação (Unisinos).

 

Referência


Yuri Martins-Fontes. Cantos dos infernos. São Paulo, Patuá, 2021.