Fragmentos VIII

Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por AIRTON PASCHOA*

Sete peças curtas

Toque

Tudo parece igual e mudado. Mais ou menos como sempre acontece, e aconteceu quando calaram os sinos. Tudo parecia igual mas mudado. Uma refração de pele, de ondas de ar, de cabelo. Igual o telefone que não toca mais, ou não toca há tanto que parou de tocar. Ao lembrar de passagem, não do toque, quem dera! que tocava, atendo de impulso — saudade da espera, acaso, do pronto. Mesmo mudo, mesmo morto.

Manhã menina

Porque carrega promessa sem descanso? Porque parto da noite? Porque lembrete eterno da criação? Porque infanteque fala a língua dos pássaros? Porquecresce e não envelhece? Porque ilumina e aquenta? Porque chama? Porque a gente precisa, precisa encarecidamente, precisa desesperadamente de abrir a cortina e descortinar réstia que seja de luz no fim do túmulo? Ou porque porta ela, a manhã, a fé menina de um dia, quem sabe amanhã, ser ao fim notada?

Navalha

Esta manhã preguiçosa e que ao passeio convida sem convicção — Esta manhã que se remoça há milhões de manhãs — Esta manhã moça e que não damos bola — o corpo passado e apressado — Esta manhã vã e vadia — Esta manhã que se despe e nada pede senão nossa epiderme — a flor da pele — Esta manhã — navalha

Azul vão

Penso nos homens, tão nanicos, abaixo do azul abismo. Evitam espiá-lo muito, a medo de faltarem quem sabe com tamanha ordem de grandeza. Abaixam e tocam, desobedientes, obedientes, cachaço e cansaço. Ô azul meu, azul-mor, azul-céu, azul-sereno, azul-cerrado, nem sabemos de novo o que pedir ou perdoar. Abaixamos e tocamos, sem cabeça, com a barriga. Cada vez mais entocados, cada vez menos tocados.

Crucificado

Soluçando abraçado ao pescoço do pobre cavalo de ralho e relho coberto, à imagem e semelhança de qualquer cristo atormentado, sussurrando-lhe sabe deus em que verbo orações confusas ao pé de orelhas e olhares perplexos, não fez Nietzsche o que, em face das sofrentes criações, das sofrentes criaturas, nos freia o decoro de calças, que só servem de fato pra cobrir vergonhas? São mundos de pescoços e mundos de cavalos. As lágrimas acabariam em dilúvio e recomeçaria tudo de novo no vale de encher os olhos, com o chicote, o coche, o cocheiro e o cheiro, um puxando o outro.

ondas

o rumoroso das ruas
ao pé da concha escuma
de bolhas e folhas coalhado
novas notas notícias
fictícias factícias
do fatigado ofício
o novo tempo forjar
e sempre e jamais
sair — sinal de sina?
da fatídica oficina

rogo

balão morno
manhã outono
me ensina
passar assim
acima

de mim
debaixo
do baixo
contínuo
surdo mundo

*Airton Paschoa é escritor, autor, entre outros livros, de A vida dos pinguins (Nankin, 2014)

 

 

Veja neste link todos artigos de

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

__________________
  • Andes x Proifes — a disputa no sindicalismo docentegreve educação 28/05/2024 Por VALTER LÚCIO DE OLIVEIRA: O sindicato sai enfraquecido quando sua direção parte do princípio de que as únicas posições verdadeiramente esclarecidas e legítimas são aquelas que respaldam a suas orientações
  • A hora da estrela – trinta e nove anos depoisclareice 20/05/2024 Por LEANDRO ANTOGNOLI CALEFFI: Considerações sobre o filme de Suzana Amaral, em exibição nos cinemas
  • O bolsonarismo pode voltar ao poder?Valério Arcary 24/05/2024 Por VALERIO ARCARY: O lulismo, ou lealdade política à experiência dos governos liderados pelo PT, permitiu conquistar o apoio entre os muito pobres. Mas a esquerda, embora mantenha posições, perdeu a hegemonia sobre sua base social de massas original.
  • A “multipolaridade” e o declínio crônico do OcidenteJosé Luís Fiori 17/05/2024 Por JOSÉ LUÍS FIORI: A defesa da multipolaridade será cada vez mais a bandeira dos países e dos povos que se insurgem neste momento contra o imperium militar global exercido pelo Ocidente
  • Um alvo perfeitocultura Poemas 27/05/2024 Por ANTÔNIO DAVID: Considerações sobre o ataque de Jair Bolsonaro a Marília Moschkovich
  • Realizando a filosofia — Marx, Lukács e a Escola de…toca discos 25/05/2024 Por ANDREW FEENBERG: A filosofia da práxis é significativa hoje como a tentativa mais desenvolvida dentro do marxismo de refletir sobre as consequências da racionalização da sociedade sob o capitalismo
  • O legado de uma década perdidaRenato Janine Ribeiro 22/05/2024 Por RENATO JANINE RIBEIRO: A esquerda é inteiramente representativa do senso comum de nossa sociedade – tudo de bom que acontece, e tudo de ruim, é só do Presidente
  • O agonizante fim do sionismodistante 22/05/2024 Por SAMUEL KILSZTAJN: O judaísmo não pode ser protegido por furiosos militares israelenses, pois tudo o que os militares fazem é semear tristeza e colher ódio
  • Guaíba – rio ou lago?Rio Guaíba 24/05/2024 Por JOÃO HÉLIO FERREIRA PES: É importante definir juridicamente se o Guaíba é rio ou lago para fins de uma eficaz implantação das políticas públicas de proteção de suas margens
  • Tensões da composição policlassistaMike Chai 27/05/2024 Por ANDERSON ALVES ESTEVES: Greve nos Institutos e Universidades federais desnuda a frente amplíssima

AUTORES

TEMAS

NOVAS PUBLICAÇÕES