Manifestação sobre a catástrofe no Rio Grande do Sul

Imagem: Gilvan Rocha/ Agência Brasil
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por REDE DE PESQUISA GEOGRAFIA DAS ÁGUAS NO BRASIL*

Apesar da tragédia que assola parte do Rio Grande do Sul, seguimos firmes e juntos para oferecer apoio emergencial e para a reconstrução do estado

1.

Frente à catástrofe que assola o Rio Grande do Sul, expressamos nossa solidariedade com as pessoas, animais e biomas afetados. Situações críticas também ocorreram na Amazônia, no Pantanal, na Serra do Mar, para citar algumas, o que aponta para a recorrência de eventos extremos.

A Geografia tem uma tradição em diversas áreas, como na Climatologia, Geomorfologia, Hidrologia, Planejamento urbano e territorial, entre outras, que poderiam evitar a envergadura do cenário atual. Mas as práticas promovidas por governantes quase sempre não respeitam as recomendações da ciência, em especial as relacionadas à emergência climática. O negacionismo científico está presente em diversas escalas de gestão, infelizmente. Para atenuar efeitos das mudanças climáticas é necessário adotar providências em escala mundial, nacional, regional e local.

Uma série de fatores levaram ao quadro presente no Rio Grande do Sul. Entre eles, estão omissões de governantes e a busca do lucro sem responsabilidade e espírito público por outros. Isso gera a ocupação das planícies, terraços fluviais e o desmatamento no território brasileiro pela introdução da monocultura do agronegócio, que está entre as causas principais deste fenômeno social, combinado a alterações geradas pelas mudanças climáticas. Os oceanos estão com águas mais aquecidas o que também gera interferências no clima. Esses aspectos foram agravados pelo desmonte da legislação ambiental e de órgãos da gestão socioambiental.

2.

Além do apoio emergencial aos afetados, é fundamental pensar na necessária reconstrução das áreas atingidas, mas em novos parâmetros. A reocupação do território gaúcho deverá ser orientada pela adaptação aos eventos extremos, que devem ocorrer com maior frequência e, ao mesmo tempo, pela reparação de injustiças sociais.

Para tal, a Rede de Pesquisa Geografia das Águas no Brasil recomenda que seja formada, pelo governo Federal, uma equipe interdisciplinar com representantes dos poderes municipais, estadual e federal, e da sociedade civil, incluindo Universidades, órgãos de pesquisa, movimentos populares e representantes de comunidades originárias e quilombolas para construir um Plano de Ação fortalecido pela resiliência do povo gaúcho.

Apesar da tragédia que assola parte do Rio Grande do Sul, seguimos firmes e juntos para oferecer apoio emergencial e para a reconstrução do estado.

*Rede de Pesquisa Geografia das Águas no Brasilhttps://www.rede-geografia-das-aguas-no-brasil.com/[email protected]


A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
CONTRIBUA

Veja neste link todos artigos de

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

__________________
  • Sobre a ignorância artificialEugenio Bucci 15/06/2024 Por EUGÊNIO BUCCI: Hoje, a ignorância não é uma casa inabitada, desprovida de ideias, mas uma edificação repleta de baboseiras desarticuladas, uma gosma de densidade pesada que ocupa todos os espaços
  • Franz Kafka, espírito libertárioFranz Kafka, espírito libertário 13/06/2024 Por MICHAEL LÖWY: Notas por ocasião do centenário da morte do escritor tcheco
  • A sociedade da história mortasala de aula parecida com a da história usp 16/06/2024 Por ANTONIO SIMPLICIO DE ALMEIDA NETO: A disciplina de história foi inserida numa área genérica chamada de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e, por fim, desapareceu no ralo curricular
  • Impasses e saídas para o momento políticojosé dirceu 12/06/2024 Por JOSÉ DIRCEU: O programa de desenvolvimento tem de ser a base de um compromisso político da frente democrática
  • Fortalecer o PROIFESsala de aula 54mf 15/06/2024 Por GIL VICENTE REIS DE FIGUEIREDO: A tentativa de cancelar o PROIFES e, ao mesmo tempo, fechar os olhos para os erros da direção da ANDES é um desserviço à construção de um novo cenário de representação
  • Introdução a “O capital” de Karl Marxcultura vermelho triangular 02/06/2024 Por ELEUTÉRIO F. S. PRADO: Comentário sobre o livro de Michael Heinrich
  • Hélio Pellegrino, 100 anosHelio Pellegrino 14/06/2024 Por FERNANDA CANAVÊZ & FERNANDA PACHECO-FERREIRA: Na vasta elaboração do psicanalista e escritor, ainda há um aspecto pouco explorado: a luta de classes na psicanálise
  • A greve das Universidades e Institutos federaisvidros corredor 01/06/2024 Por ROBERTO LEHER: O governo se desconecta de sua base social efetiva ao afastar do tabuleiro político os que lutaram contra Jair Bolsonaro
  • A armadilha de Volodymyr Zelenskystar wars 15/06/2024 Por HUGO DIONÍSIO: Quer Zelensky consiga o seu copo cheio – a entrada dos EUA na guerra – ou seu copo meio cheio – a entrada da Europa na guerra –, qualquer das soluções é devastadora para as nossas vidas
  • A PEC-65: independência ou patrimonialismo no Banco Central?campos neto cavalo de troia 17/06/2024 Por PEDRO PAULO ZAHLUTH BASTOS: O que Roberto Campos Neto propõe é a emenda constitucional do almoço grátis para a futura elite do Banco Central

AUTORES

TEMAS

NOVAS PUBLICAÇÕES