Nas noites gélidas de Curitiba

Banksy, Walled Off Hotel, Box Set, 2017
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por VILMAR DEBONA*

Poema homenagem à cachorra do acampamento Lula Livre

 

Quando nas noites gélidas de Curitiba pensamos em desistir,
Tu estavas lá conosco, mesmo que trêmula, firme.
Quando juraram que tudo tinha acabado, fostes a última a ir.
E depois descobrimos que, ao fim, ficastes.

Teimosa, não te apavorastes em meio à grande noite que nos impuseram.
Atravessastes altiva e esperta a “canaleta” do Santa Cândida
Aquela armadilha de concreto da república infame
Feita só para grandes objetos motorizados, capazes de esmagar qualquer ânimo.

Não sabemos de onde surgistes, apenas que alguém desistiu de ti numa noite fria.
Mas parece mesmo que fostes feita para teimar
Pois fostes te juntar àquele grupelho perseguido em que, porém, ainda se ria
E com elas e eles fizestes o que mais sabes: gritastes por quase 600 dias sem cansar

Com aquela teimosia, qual gente humilhada que nem a maior agrura cansa
Acabastes reconhecendo teu pai, que é também tua mãe: a Esperança.
L de tantas Lutas, Líder de tantas causas, quando ela foi desencarcerada
Quanta carícia represada para afagar o açoite, sem desejo de vingança.

Em meio ao pandemônio trancada, decerto avaliastes em quem a fome mais dói
Se em ti abandonada ou nela humilhada
Ambas filhas da injustiça de quem tudo destrói
Sobreviventes à sorte da violência armada.

Na casa da Esperança, com olhar esguio sobre tua poltrona
Vistes na TV o mal insólito da mentira desposar a ignorância nefasta.
Era um homem feito monstro. Dizia não ser coveiro e com o vírus pegava carona
Vociferando tudo o que com o bem contrasta.

Queriam matar-te, negra Resistência?
Com os ossos da fila desolada?
Com a alegria maligna por cima de cada cova escrachada?
Com o ministro passando boiada?

Mas o poeta avisou que a tristeza tem sempre uma Esperança
E o dia de ser menos triste anunciava
Qual estrela feita criança
Que a compaixão por todos os seres ainda pairava.

Amada Resistência, depois de tudo, vou te pedir um favor:
Que em 1º de janeiro subas a rampa, ao lado da Esperança,
Altiva como quando atravessastes a “canaleta” do pavor
Para habitar o Palácio em nome de todas as criaturas, como aquelas da Amazônia que ainda balança.

No poder dessa terra massacrada, grites pelos seres calados de todas as espécies
Faças barulho aos imobilizados por tanto ódio e às esmagadas por toda dor,
E de vez em quando não deixes de dar umas lambidas na Esperança
Que é para lembrá-la do nosso carinho, que no fundo é todo amor.

*Vilmar Debona é professor de filosofia na Universidade Federal de Santa Catarina.

O site A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores. Ajude-nos a manter esta ideia.
Clique aqui e veja como

Veja neste link todos artigos de

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

__________________
  • A Unicamp na hora da verdadecultura artista palestina 13/07/2024 Por FRANCISCO FOOT HARDMAN: No próximo dia 6 de agosto o Conselho Universitário da Unicamp terá de deliberar se susta as atuais relações com uma das instituições empenhadas no massacre em Gaza
  • 40 anos sem Michel Foucaultveneza 13/07/2024 Por VINÍCIUS DUTRA: O que ainda permanece admirável na forma de Foucault de refletir é sua perspicácia em contestar ideias intuitivamente aceitas pela tradição crítica de pensamento
  • A noite em que a Revolução Francesa morreuater 0406 01/07/2024 Por MARTÍN MARTINELLI: Prefácio do livro de Guadi Calvo
  • Hospitais federais do Rio de JaneiroPaulo Capel Narvai 11/07/2024 Por PAULO CAPEL NARVAI: A descentralização dos Hospitais federais do Rio não deve ser combatida nem saudada, ela é uma necessidade
  • O filósofo e o comediantefranklin de matos 08/07/2024 Por BENTO PRADO JR.: Prefácio do livro de Franklin de Matos – uma homenagem dos editores do site ao filósofo e professor da USP, falecido ontem
  • Episódios stalinistas no Brasilfotos antigas 14/07/2024 Por ANGELA MENDES DE ALMEIDA: Uma história costurada com inverdades, mas que, muito tempo depois, acabaram por sair à luz do dia
  • Nordeste — um novo cenáriovermelho ddddddddddd 10/07/2024 Por JOSÉ DIRCEU: O Nordeste passará a ser visto como exemplo para o Brasil, da mesma forma que escolas públicas do Ceará são referência em qualidade de ensino
  • A produção ensaística de Ailton Krenakcultura gotas transp 11/07/2024 Por FILIPE DE FREITAS GONÇALVES: Ao radicalizar sua crítica ao capitalismo, Krenak esquece de que o que está levando o mundo a seu fim é o sistema econômico e social em que vivemos e não nossa separação da natureza
  • Julian Assange, Edward Snowden, Daniel Ellsbergwalnice 13/07/2024 Por WALNICE NOGUEIRA GALVÃO: Só permanece desinformado sobre segredos e inconfidências quem de fato tiver muita preguiça
  • Marxismo e política — modos de usarLuis Felipe Miguel 15/07/2024 Por LUIS FELIPE MIGUEL: Introdução do autor ao livro recém-publicado

PESQUISAR

TEMAS

NOVAS PUBLICAÇÕES