Nota em apoio ao presidente Luís Inácio Lula da Silva

Imagem: The Humantra
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por REDE UNIVERSITÁRIA DE SOLIDARIEDADE AO POVO PALESTINO*

Que a memória do Holocausto sirva para condenar todos os genocídios, inclusive o palestino, e sirva para dizer nunca mais com nenhum povo!

A enxurrada de ataques lançados contra o Presidente Luís Inácio Lula da Silva – incluindo um pedido de impeachment por parte de deputados do PL – pelo fato do Presidente ter criticado o genocídio em Gaza, usando para isso de uma rápida comparação com o genocídio judeu pelo nazismo, baseia-se em uma distorção intelectual flagrantemente desonesta e de má fé para servir a determinados propósitos políticos e ideológicos. Para o Estado de Israel, trata-se de utilizar a memória do holocausto e a posição autointitulada de vítima exclusiva da História, para acobertar suas práticas de assassinato, carnificina e limpeza étnicas dos palestinos. Para a extrema-direita, trata-se de usar o caso para tentar abalar politicamente o governo democrático do Brasil.

O genocídio dos judeus, o holocausto, foi sem sombra de dúvida um dos mais deploráveis e brutais “crimes contra a humanidade”. As palavras do sobrevivente do campo de extermínio de Auschwitz, Primo Levi – Se questo è un uomo -, ecoam profundamente ao descrever um dos momentos da história em que a humanidade perdeu a sua alma.

Nesta conjuntura mundial em que se aprofunda a tragédia humanitária, toda e qualquer crítica ao sionismo ou ao governo do Estado de Israel é imediatamente qualificada como antissemitismo. Trata-se de uma autêntica tática diversionista que procura desviar a atenção do público do que está acontecendo em Gaza.

O que Lula fez foi inserir o horror absoluto que representa o desenrolar do genocídio na Faixa de Gaza, sob os olhares de um mundo inerte, incapaz de agir para estancar a carnificina.

Por outro lado, é preciso lembrar que a Corte Internacional de Justiça, a ONU, organizações internacionais e a maioria dos países no mundo, reiteradamente, têm condenado os crimes cometidos pelo Estado de Israel. 

No mesmo diapasão, é o que tem acontecido no mundo inteiro com amplas mobilizações populares, inclusive com a participação importante de judeus que repudiam o genocídio do povo palestino, entoando a palavra de ordem “não em nosso nome!”.

Que a memória do Holocausto sirva para condenar todos os genocídios, inclusive o palestino, e sirva para dizer, como fez o Presidente Lula, nunca mais com nenhum povo!

19 de fevereiro de 2024

Apoios à Rede podem ser dados clicando aqui: Rede Universitária de solidariedade ao povo palestino


A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
CONTRIBUA

Veja neste link todos artigos de

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

__________________
  • Andes x Proifes — a disputa no sindicalismo docentegreve educação 28/05/2024 Por VALTER LÚCIO DE OLIVEIRA: O sindicato sai enfraquecido quando sua direção parte do princípio de que as únicas posições verdadeiramente esclarecidas e legítimas são aquelas que respaldam a suas orientações
  • A hora da estrela – trinta e nove anos depoisclareice 20/05/2024 Por LEANDRO ANTOGNOLI CALEFFI: Considerações sobre o filme de Suzana Amaral, em exibição nos cinemas
  • O bolsonarismo pode voltar ao poder?Valério Arcary 24/05/2024 Por VALERIO ARCARY: O lulismo, ou lealdade política à experiência dos governos liderados pelo PT, permitiu conquistar o apoio entre os muito pobres. Mas a esquerda, embora mantenha posições, perdeu a hegemonia sobre sua base social de massas original.
  • Um alvo perfeitocultura Poemas 27/05/2024 Por ANTÔNIO DAVID: Considerações sobre o ataque de Jair Bolsonaro a Marília Moschkovich
  • Realizando a filosofia — Marx, Lukács e a Escola de…toca discos 25/05/2024 Por ANDREW FEENBERG: A filosofia da práxis é significativa hoje como a tentativa mais desenvolvida dentro do marxismo de refletir sobre as consequências da racionalização da sociedade sob o capitalismo
  • A “multipolaridade” e o declínio crônico do OcidenteJosé Luís Fiori 17/05/2024 Por JOSÉ LUÍS FIORI: A defesa da multipolaridade será cada vez mais a bandeira dos países e dos povos que se insurgem neste momento contra o imperium militar global exercido pelo Ocidente
  • Financeirização — crise, estagnação e desigualdadeCarlos-Vainer 28/05/2024 Por CARLOS VAINER: Considerações sobre o livro recém-lançado, organizado por Lena Lavinas, Norberto Montani Martins, Guilherme Leite Gonçalves e Elisa Van Waeynberge
  • Guaíba – rio ou lago?Rio Guaíba 24/05/2024 Por JOÃO HÉLIO FERREIRA PES: É importante definir juridicamente se o Guaíba é rio ou lago para fins de uma eficaz implantação das políticas públicas de proteção de suas margens
  • Tensões da composição policlassistaMike Chai 27/05/2024 Por ANDERSON ALVES ESTEVES: Greve nos Institutos e Universidades federais desnuda a frente amplíssima
  • A teoria da vitóriagilbertolopes1_0 27/05/2024 Por GILBERTO LOPES: Se o mundo civilizado não os detiver, estes selvagens nos levarão à Terceira Guerra Mundial

AUTORES

TEMAS

NOVAS PUBLICAÇÕES