As ideias precisam circular. Ajude A Terra é Redonda a seguir fazendo isso.

Os desencontros da direita

Imagem: Ciro Saurius
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por JORGE BRANCO*

O galo cantou, só não se sabe aonde

Stephen Levitsky, autor de Como as democracias morrem, bula da crítica liberal ao trumpismo, em entrevista para BBC News Mundo classificou o episódio das manifestações e da invasão ao prédio do parlamento estadunidense, ocorrida no último dia 06 de janeiro, como uma tentativa de auto golpe que não deu certo por falta de apoio dos militares.

Já Joe Biden, presidente eleito dos Estados Unidos, segundo o jornal O Público[i], disse que “As cenas de caos no Capitólio não refletem a verdadeira América. Não representam aquilo que somos”.

Em certa medida, ainda que contraditórias, ambas as afirmativas refletem algum grau de realidade. Ou ao menos o que cada um deles quer fazer parecer será realidade.

Sobre a assertiva de Biden, há que se dizer que a ocupação do Capitólio, efetivamente, é um fato raro. Porém, surpreendente não é a ocupação em si mas quem a ocupou. Ou seja, o fato da direita estadunidense se achar impelida a utilizar métodos não institucionais para impor pontos de vista. O sistema político dos Estados Unidos tem sido capaz de obstruir o caminho de qualquer projeto político ‘out of establishment”, fora da ordem, de chegar ao Congresso, ao sistema de justiça e ao governo federal e, assim, garantir uma arena controlada para as várias frações da burguesia e da elite burocrática estabelecerem os pactos políticos, as relações internacionais e os acordos econômicos de comum interesse. Nestas últimas eleições presidenciais, dezenas de candidatos concorreram, inclusive de esquerda[ii], mas apenas os dois partidos da ordem e da mesma classe social chegaram ao parlamento. O sistema político impõe todo tipo de obstrução e impugnação aos candidatos alternativos.

Sobre o que diz Levitsky, a ausência de militares à frente da tentativa de golpe de Trump não significa que eles não participem da política. Se a história da participação dos militares brasileiros é de, preponderantemente, uma participação direta ao estilo bonapartista, substituindo invariavelmente a própria burguesia na condição de fração dirigente dos blocos conservadores, os militares estadunidense tem um perfil tecnocrático subordinado a indústria de defesa e aos sistema de inteligência. Sua participação é decisiva na política dos EUA porém através da garantia da estabilidade da políticas internacional, de defesa e industrial.

Nem Biden tampouco Levitsky abordaram o que há de singular e impactante neste episódio. Trata-se do aprofundamento da fratura no grande acordo neoliberal produzida pelas políticas econômicas protecionistas de Trump, embaladas em uma retórica neofascista. A vitória de Biden significa uma restauração da política neoliberal clássica Clinton/Obama, embalada em uma defesa das liberdades civis e da democracia normativa porém sem apresentar, ao menos na campanha, um programa de crescimento econômico e proteção do emprego. A tensão e a crise que levaram à vitória, pela extrema direita, de Donald Trump há quatro anos atrás, continuam ativas.

Esta “frente reacionária” mundial, entre a fração rentista da burguesia e a extrema direita, que levou, entre outros além de Trump, Bolsonaro, Modi, Orbán e Kaczynski aos governos não resolveu a crise de produtividade e a queda das taxas de lucro globais e jogou os trabalhadores na precarização profunda, retirando-lhes grande parte dos meios de resistência sindical e política.

O conflito produzido pela extrema direita estadunidense contra a direita tradicional tende a se reproduzir nos países onde o quadro de crise perdura. Expressam as dificuldades das frações dirigentes do bloco no poder manter sua base social sob controle em um ambiente de alto desemprego. Talvez signifiquem dissensos, incontornáveis, entre as diferentes frações da burguesia pela direção das políticas econômicas.

*Jorge Branco é doutorando em Ciência Política pela UFRGS.

Notas

[i]https://www.publico.pt/2021/01/06/mundo/noticia/milhares-apoiantes-trump-sairam-ruas-washington-1945308?utm_source=notifications&utm_medium=web&utm_campaign=1945308

[ii]https://g1.globo.com/mundo/eleicoes-nos-eua/2020/noticia/2020/10/18/nem-trump-nem-biden-conheca-os-outros-candidatos-na-eleicao-presidencial-dos-eua.ghtml

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Manuel Domingos Neto Airton Paschoa Eugênio Bucci Carla Teixeira Remy José Fontana Bruno Fabricio Alcebino da Silva Jean Marc Von Der Weid João Lanari Bo Flávio R. Kothe André Márcio Neves Soares Gilberto Maringoni Vinício Carrilho Martinez Marilia Pacheco Fiorillo Luiz Marques Alysson Leandro Mascaro Paulo Martins Leonardo Boff Flávio Aguiar Mário Maestri Boaventura de Sousa Santos Gerson Almeida Juarez Guimarães Michael Löwy Rodrigo de Faria Luiz Werneck Vianna Everaldo de Oliveira Andrade Marcelo Guimarães Lima Alexandre de Lima Castro Tranjan Benicio Viero Schmidt Afrânio Catani Eugênio Trivinho Leonardo Avritzer Anselm Jappe Luiz Renato Martins Luiz Costa Lima Slavoj Žižek Tadeu Valadares Marilena Chauí Francisco de Oliveira Barros Júnior Fernão Pessoa Ramos Claudio Katz Ari Marcelo Solon Alexandre Aragão de Albuquerque Vanderlei Tenório Leonardo Sacramento Ronald León Núñez João Sette Whitaker Ferreira Ronaldo Tadeu de Souza Daniel Brazil Celso Favaretto Alexandre de Freitas Barbosa Eduardo Borges José Costa Júnior Michael Roberts José Raimundo Trindade Jorge Branco Ricardo Abramovay Sandra Bitencourt José Machado Moita Neto José Micaelson Lacerda Morais Luiz Roberto Alves André Singer Roberto Bueno Chico Whitaker Leda Maria Paulani Tales Ab'Sáber Luiz Eduardo Soares Mariarosaria Fabris Kátia Gerab Baggio Luis Felipe Miguel Francisco Fernandes Ladeira Ricardo Musse Elias Jabbour Chico Alencar Osvaldo Coggiola Paulo Nogueira Batista Jr Francisco Pereira de Farias Jorge Luiz Souto Maior Caio Bugiato José Dirceu Dênis de Moraes Luiz Bernardo Pericás Henry Burnett Ricardo Antunes Yuri Martins-Fontes Tarso Genro Eleutério F. S. Prado Luiz Carlos Bresser-Pereira João Carlos Loebens Milton Pinheiro Eliziário Andrade Armando Boito Valerio Arcary João Paulo Ayub Fonseca Eleonora Albano Marcelo Módolo Priscila Figueiredo Daniel Costa Igor Felippe Santos Fábio Konder Comparato Carlos Tautz Atilio A. Boron João Adolfo Hansen Paulo Fernandes Silveira Gilberto Lopes Salem Nasser Plínio de Arruda Sampaio Jr. Bruno Machado Paulo Capel Narvai Érico Andrade Lincoln Secco Ladislau Dowbor José Geraldo Couto Dennis Oliveira Antônio Sales Rios Neto Renato Dagnino Luciano Nascimento Vladimir Safatle Gabriel Cohn Denilson Cordeiro João Feres Júnior Paulo Sérgio Pinheiro Marcos Aurélio da Silva Liszt Vieira Luís Fernando Vitagliano Berenice Bento Manchetômetro Maria Rita Kehl Heraldo Campos Anderson Alves Esteves Rubens Pinto Lyra Henri Acselrad Antonino Infranca Rafael R. Ioris José Luís Fiori Valério Arcary Otaviano Helene Antonio Martins Ronald Rocha Lorenzo Vitral Ricardo Fabbrini Julian Rodrigues Jean Pierre Chauvin João Carlos Salles Samuel Kilsztajn Thomas Piketty Bernardo Ricupero Sergio Amadeu da Silveira Marjorie C. Marona Bento Prado Jr. Marcos Silva Andrew Korybko Roberto Noritomi Fernando Nogueira da Costa Annateresa Fabris Marcus Ianoni Lucas Fiaschetti Estevez Daniel Afonso da Silva Celso Frederico Walnice Nogueira Galvão

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada