Quartzoteka

Imagem: Denise Milan, Banquete magmático
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por OLGARIA MATOS*

Comentário sobre a exposição de Denise Milan

Quartzoteka é a exposição de Denise Milan, com a curadoria de Luiz Armando Bagolin, no subsolo da Biblioteca Mindlin na USP. Não por acaso, pois a Biblioteca é seu tema e lugar natural.

As obras de Denise Milan constituem aqui uma viagem para o centro da Terra. Nela, o mundus suberraneus e o hyperuranion das altas esferas se correspondem, em uma poeira de estrelas de que são compostos cristais, geodos, basalto e livros.

Se a metáfora o “ livro do mundo” significava que a natureza era um livro cujos caracteres são a escrita divina, ele possuía, por isso, uma eternidade: “A Renascença investiga o universo, e o Barroco, as bibliotecas.Sua meditação tem o livro como correlato: “O mundo não conhece um livro que seja maior que ele próprio; mas sua parte a mais gloriosa é o homem, ante o qual Deus imprimiu, em vez de um belo frontispício, sua imagem incomparável; além disso, Deus o transformou no excerto, núcleo e pedra preciosa das demais partes desse grande livro do mundo”. “Não há mais nada duradouro e imortal que os livros.”.[i]

Os livros de quartzo de Denise Milan, anteriormente a isso, são arcanos originários do livro primordial, livro resguardado no âmago da Terra, Encenados em uma dramaturgia, os livros de Denise Milan são um relicário secreto, a requerer uma liturgia. Fechados ou abertos em alguma página, sua escrita é invisível. Eles revelam e ocultam um Ur-Grund, um fundamento do fundamento, uma “ausência” de origem, o que torna possível a revelação de seu conteúdo, por um movimento incessante de leitura e de escrita.

Em seus cristais, geodos e iluminuras cristalinas, os livros de Denise Milan são um analogon do céu constelado. Dispersas, as páginas douradas de suas esculturas são um caminho luminoso dos humanos que buscam ingressar em seus sentidos. E as sentinelas, como menires protetores, são vultos desiderantes desse mundo do Livro que contém todos os livros.

Esta Quartzoteka é uma enciclopédia mágica que compreende que a origem do mundo está recolhida no magma onde se gestam o livro e a vida. Quartzoteka é um descer ao fundo da Terra que é, simultaneamente, uma elevação, um mistério panteísta portador de silêncio repleto de vestígios e de paz.

*Olgaria Matos é professora titular de filosofia na Unifesp e do Departamento de filosofia da USP. Autora, entre outros livros, de Palíndromos filosóficos: entre mito e história (Unifesp).

Nota


[i] Benjamin, Walter, Origem do Drama Barroco Alemão. São Paulo, Brasiliense, 1984, p. 164-165.


A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
CONTRIBUA

Veja neste link todos artigos de

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Andrés del Río André Singer Luiz Renato Martins Daniel Costa Marcelo Módolo Jorge Luiz Souto Maior Valerio Arcary Ronald Rocha Ronaldo Tadeu de Souza Francisco de Oliveira Barros Júnior Samuel Kilsztajn Airton Paschoa Eliziário Andrade Bernardo Ricupero Bento Prado Jr. Armando Boito Matheus Silveira de Souza Fábio Konder Comparato Gabriel Cohn Michel Goulart da Silva Flávio R. Kothe Ricardo Abramovay Michael Roberts Rodrigo de Faria Luiz Werneck Vianna Lorenzo Vitral Marcos Silva José Machado Moita Neto Carlos Tautz João Paulo Ayub Fonseca Salem Nasser André Márcio Neves Soares João Carlos Loebens Anderson Alves Esteves Everaldo de Oliveira Andrade Marcos Aurélio da Silva Antonio Martins Chico Alencar Manuel Domingos Neto Fernão Pessoa Ramos Jorge Branco Luiz Eduardo Soares Caio Bugiato Marilena Chauí Paulo Sérgio Pinheiro Luis Felipe Miguel Mário Maestri Eugênio Trivinho Leonardo Avritzer Celso Favaretto Marjorie C. Marona Mariarosaria Fabris Annateresa Fabris Alexandre Aragão de Albuquerque Daniel Brazil Heraldo Campos Dennis Oliveira Lincoln Secco Yuri Martins-Fontes Ronald León Núñez Antônio Sales Rios Neto Ricardo Fabbrini Renato Dagnino Gerson Almeida João Sette Whitaker Ferreira Walnice Nogueira Galvão Juarez Guimarães Otaviano Helene Luís Fernando Vitagliano Ricardo Musse José Luís Fiori Slavoj Žižek Julian Rodrigues Henri Acselrad Ladislau Dowbor Osvaldo Coggiola Paulo Martins Luiz Marques Antonino Infranca Bruno Fabricio Alcebino da Silva Ari Marcelo Solon Flávio Aguiar Tarso Genro Alysson Leandro Mascaro Gilberto Lopes Francisco Fernandes Ladeira Marcus Ianoni Marcelo Guimarães Lima Thomas Piketty Fernando Nogueira da Costa Milton Pinheiro Leonardo Sacramento Rafael R. Ioris Claudio Katz Michael Löwy Luiz Bernardo Pericás Paulo Fernandes Silveira Anselm Jappe Leonardo Boff Andrew Korybko Dênis de Moraes Atilio A. Boron Celso Frederico Maria Rita Kehl João Lanari Bo João Feres Júnior Lucas Fiaschetti Estevez Gilberto Maringoni Leda Maria Paulani Paulo Nogueira Batista Jr Vladimir Safatle Rubens Pinto Lyra Tales Ab'Sáber Érico Andrade Vanderlei Tenório Manchetômetro Luiz Carlos Bresser-Pereira Plínio de Arruda Sampaio Jr. Carla Teixeira José Micaelson Lacerda Morais Denilson Cordeiro Boaventura de Sousa Santos Afrânio Catani Francisco Pereira de Farias João Adolfo Hansen Ricardo Antunes Chico Whitaker Vinício Carrilho Martinez Daniel Afonso da Silva Liszt Vieira Luciano Nascimento Valerio Arcary Remy José Fontana Eugênio Bucci Alexandre de Lima Castro Tranjan Sandra Bitencourt Eleonora Albano Luiz Roberto Alves Tadeu Valadares Berenice Bento Igor Felippe Santos Priscila Figueiredo José Dirceu Benicio Viero Schmidt Henry Burnett José Raimundo Trindade Eduardo Borges Bruno Machado Eleutério F. S. Prado Sergio Amadeu da Silveira João Carlos Salles Jean Pierre Chauvin José Geraldo Couto Alexandre de Freitas Barbosa Paulo Capel Narvai Jean Marc Von Der Weid Elias Jabbour José Costa Júnior Marilia Pacheco Fiorillo Kátia Gerab Baggio

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada