As ideias precisam circular. Ajude A Terra é Redonda a seguir fazendo isso.

30 de outubro

Imagem: Ekaterina Bolovtsova
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por GILBERTO NEVES*

A eleição de nossas vidas exige engajamento total

Guardadas as proporções e os sinais ideológicos distintos, a base social bolsonarista-raiz possui hoje o “ímpeto militante” que o petismo possuía na década de 1980. A criação do PT como partido de novo tipo (de massas e de base) nos estertores do combalido Regime Militar que convergiu para as Diretas-Já e a Assembleia Constituinte criou um discurso inovador, potente e mobilizador. Militava-se por ideal, não por votos. Isso levou muita gente a assumir a política como abnegação militante. Nosso discurso era portador da esperança com o fim da ditadura (futuro). O petismo possuía moral arrebatadora.

A chegada do PT ao poder criando a lógica da governabilidade e depois as crises do mensalão e da Lava Jato, com a criminalização do PT, erodiu nossa moral. Teceu-se a química do antipetismo. Envelhecemos, houve pouca renovação geracional.

Nesse ínterim a extrema direita surgiu capturando as bases da direita com um discurso moralista, retrógrado e negacionista contra o “comunismo” (qualquer ideia de justiça social). Em essência, autoritário. Coincidiu com a ascensão da extrema direita no mundo, e isso trouxe motivação e engajamento ao bolsonarismo. Na sua ótica neofascista, eles sentiram-se em condições de destruir os valores da esquerda/progressista. Sentem que podem nos derrotar eleitoralmente, e também aniquilar nossa sobrevivência como força política relevante. É isso que os anima e engaja milhões em escala gigante. Para eles, está em jogo que tipo de pais será o Brasil no próximo período (futuro).

Do nosso lado caímos numa postura reativa e defensiva. Vivemos do “nosso legado” de governo (passado). Que sociedade queremos? Não temos ideal. Dependemos da força pessoal do Lula para salvar a democracia. Carecemos hoje de um projeto engajador como o do PT anos 1980. Muitos andam cheios de medo, acomodados e presos às pesquisas de opinião.

Carecemos de coerência e de maior consequência quando afirmamos que esta é a “eleição de nossas vidas “. Agimos como eleitores, não como militantes de uma causa maior. Embora cumpra função importante, não é suficiente ficarmos ligados às bolhas de whatsapp. Observo muita gente nos grupos virtuais com análises e debates, mas pouca atuação prática nas ruas. São sempre os mesmos enquanto a tropa bolsonarista aos milhares veste verde amarelo, adesiva o carro, pressiona seus funcionários e nos intimida.

Precisamos entrar na campanha Lula aos milhões todos os dias o tempo todo. Se não temos um projeto ideal, façamos valer a resistência ao neofascismo com força coletiva. Conversar com as pessoas, ir às atividades, virar votos. Denunciar e enfrentar o inimigo. Entender que não é mais só votar e ir para casa. Temos que ganhar eleições virando votos, apoiando nosso eleitor. Depois virá a batalha pela posse.

Mais difícil será governar na atual correlação desigual de forças. Se ganharmos sofreremos oposição encarniçada, boicotes e sabotagens. Não será fácil, e sem mobilização popular nada vai acontecer com alianças conservadoras.  Nossa vitória eleitoral será o início de um novo período duro e tenso. Todos nós somos chamados a atuar sob a liderança de Lula. Mas precisamos vencer as eleições. Isso significa engajar, ocupar território e mostrar nossa força nas atividades de ruas e com nosso visual vermelho e branco no dia da eleição.

Se cada um virar votos, manter votos e atuar sem temor, o nosso eleitorado sentirá respaldo e confiança. À luta, companheiros (as)!!! Unidos, Venceremos!!!

*Gilberto Neves é advogado e professor. Ex-vereador e ex-Secretário Municipal de Cultura de Uberlândia.

O site A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores. Ajude-nos a manter esta ideia.
Clique aqui e veja como

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Paulo Martins Carla Teixeira Valerio Arcary Francisco de Oliveira Barros Júnior Alexandre de Lima Castro Tranjan Ronald León Núñez Kátia Gerab Baggio Everaldo de Oliveira Andrade Vladimir Safatle Armando Boito Ricardo Antunes Eduardo Borges Otaviano Helene Bernardo Ricupero Igor Felippe Santos Chico Alencar Paulo Nogueira Batista Jr Alysson Leandro Mascaro Francisco Pereira de Farias Flávio Aguiar André Márcio Neves Soares Ari Marcelo Solon Luiz Werneck Vianna Luiz Marques Vanderlei Tenório Paulo Sérgio Pinheiro Annateresa Fabris José Luís Fiori Jean Pierre Chauvin Henri Acselrad Jorge Branco Thomas Piketty Marilena Chauí Roberto Noritomi Remy José Fontana José Raimundo Trindade Walnice Nogueira Galvão Plínio de Arruda Sampaio Jr. Flávio R. Kothe Lucas Fiaschetti Estevez Renato Dagnino José Micaelson Lacerda Morais Gilberto Maringoni Luís Fernando Vitagliano Antonio Martins Manuel Domingos Neto Ladislau Dowbor Leonardo Sacramento João Adolfo Hansen Berenice Bento Jean Marc Von Der Weid André Singer Rodrigo de Faria João Feres Júnior Ricardo Fabbrini Lorenzo Vitral Daniel Afonso da Silva Luiz Bernardo Pericás Henry Burnett Leda Maria Paulani Tadeu Valadares Fernando Nogueira da Costa Gerson Almeida Eleonora Albano Liszt Vieira Luiz Carlos Bresser-Pereira Leonardo Boff João Paulo Ayub Fonseca Paulo Fernandes Silveira Leonardo Avritzer Sergio Amadeu da Silveira Bento Prado Jr. Daniel Brazil Tales Ab'Sáber Alexandre Aragão de Albuquerque José Geraldo Couto Marilia Pacheco Fiorillo Claudio Katz Boaventura de Sousa Santos Eugênio Trivinho Anderson Alves Esteves Airton Paschoa Gilberto Lopes Eugênio Bucci Dennis Oliveira Priscila Figueiredo Julian Rodrigues Gabriel Cohn Marcus Ianoni Salem Nasser Luiz Roberto Alves Marcelo Módolo Paulo Capel Narvai Marcelo Guimarães Lima Jorge Luiz Souto Maior Bruno Machado Rubens Pinto Lyra Tarso Genro Afrânio Catani Heraldo Campos Eliziário Andrade Fábio Konder Comparato João Lanari Bo Atilio A. Boron Mariarosaria Fabris Ricardo Musse Antonino Infranca Juarez Guimarães José Costa Júnior Mário Maestri João Carlos Loebens Celso Frederico José Dirceu Elias Jabbour Valério Arcary Marjorie C. Marona Anselm Jappe Francisco Fernandes Ladeira João Carlos Salles Luciano Nascimento Alexandre de Freitas Barbosa Benicio Viero Schmidt Rafael R. Ioris Ronald Rocha Roberto Bueno Sandra Bitencourt Daniel Costa Érico Andrade Ronaldo Tadeu de Souza Ricardo Abramovay Samuel Kilsztajn Chico Whitaker Fernão Pessoa Ramos Luis Felipe Miguel Marcos Silva Lincoln Secco Michael Roberts José Machado Moita Neto Osvaldo Coggiola Yuri Martins-Fontes João Sette Whitaker Ferreira Luiz Costa Lima Carlos Tautz Denilson Cordeiro Bruno Fabricio Alcebino da Silva Andrew Korybko Luiz Renato Martins Marcos Aurélio da Silva Milton Pinheiro Maria Rita Kehl Dênis de Moraes Celso Favaretto Caio Bugiato Luiz Eduardo Soares Slavoj Žižek Vinício Carrilho Martinez Manchetômetro Antônio Sales Rios Neto Michael Löwy Eleutério F. S. Prado

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada