Ainda sobre a presidente da UNE

AR Penck (Ralf Winkler), Westen, Tinta acrílica sobre tela.
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por LUIS FELIPE MIGUEL*

Comentário sobre o artigo de Rodrigo de Carvalho

Um dirigente do PCdoB dedicou-se a responder longamente o comentário que fiz aqui no Facebook – e que foi reproduzido no site A Terra é Redonda – sobre a presidente da UNE. A resposta faz a defesa da “frente ampla” e passa ao largo da minha questão principal, que é o estranhamento da distância entre o quanto a UNE anda apagada e o quanto a Folha de S. Paulo tem dado de destaque à sua presidente.

Reclama que não dou atenção às ofensas sofridas por ela, mas sou cuidadoso ao apontar minha crítica à Folha, que fala genericamente de agressões mas, quando exemplifica, é para denunciar críticas – ácidas, mas não mais do que isso – feitas por Zé de Abreu e pelo PCO.

Em suma, parece que a presidente da UNE se adapta à posição de ferramenta da imprensa para alimentar a ideia da “intolerância da esquerda” – da qual Zé de Abreu e o PCO são os emblemas permanentes. Várias vezes dão motivos para isso, é verdade, mas não no caso. Tudo isso cheira a um ensaio de discurso dos “dois extremos”. Acho que uma pessoa na posição dela teria condições de perceber a manobra e evitar participar.

O curioso é que o texto do dirigente do PCdoB começa (em tom de indignação) e termina (em tom deboche) com a acusação de que desrespeito horrendamente a presidente da UNE, pois grafei errado o nome dela no título do artigo.

Bom, o título não é de responsabilidade minha. Foi o site que o colocou. Como sempre ocorre em tais casos.

Mas errei mesmo a grafia do sobrenome dela no meu texto aqui no Facebook. Comi uma letra. O articulista diz que isso é uma grande demonstração de desprezo e que eu não erraria o nome de um aluno meu.

Certamente já errei nomes de alunos, muitas vezes. Até onde sei, nenhum deles achou que fosse um pecado mortal. Quando me apontam o erro, peço desculpas e corrijo. Sei, com certeza, que muitas vezes mais os alunos erram a grafia do meu nome. Hoje, nem corrijo mais. Não só alunos. Se eu ganhasse um real cada vez que meu Luis aparece como Luiz ou meu Felipe como Filipe, já estaria rico.

Não sei se a presidente da UNE é tão sensível à questão quanto seu defensor, mas, de todo modo, peço desculpas a ela pelo nome escrito errado. Já corrigi na minha postagem.

De resto, as críticas que faço estão todas mantidas.

Luis Felipe Miguel é professor do Instituto de Ciência Política da UnB. Autor, entre outros livros, de O colapso da democracia no Brasil (Expressão Popular).

Texto reproduzido da página de Facebook do autor.

 

Veja neste link todos artigos de

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

__________________
  • Razões para o fim da greve nas Universidade Federaisbancos 16/05/2024 Por TADEU ALENCAR ARRAIS: A nova proposta do Governo Federal anunciada dia 15 de maio merece debate sobre continuar ou não a greve
  • O negacionismo ambiental e a inundação de Porto Alegreporto alegre aeroporto alagado 14/05/2024 Por CARLOS ATÍLIO TODESCHINI: Porto Alegre tem o melhor sistema de proteção contra cheias do Brasil. É considerado um “minissistema holandês”. Por que esse sistema falhou em sua função de evitar que a cidade fosse alagada?
  • Como mentir com estatísticascadeira 51 18/05/2024 Por AQUILES MELO: Os números apresentados pelo governo federal aos servidores da educação em greve mais confundem do que explicam, demonstrando, assim, desinteresse na resolução do problema
  • A mão de OzaJoao_Carlos_Salles 14/05/2024 Por JOÃO CARLOS SALLES: O dever do Estado brasileiro e a universidade contratada
  • A universidade operacionalMarilena Chauí 2 13/05/2024 Por MARILENA CHAUI: A universidade operacional, em termos universitários, é a expressão mais alta do neoliberalismo
  • A “multipolaridade” e o declínio crônico do OcidenteJosé Luís Fiori 17/05/2024 Por JOSÉ LUÍS FIORI: A defesa da multipolaridade será cada vez mais a bandeira dos países e dos povos que se insurgem neste momento contra o imperium militar global exercido pelo Ocidente
  • O cavalo Caramelocavalo caramelo 15/05/2024 Por LEONARDO BOFF: Há que se admitir que nós não temos respeitado os direitos da natureza com seu valor intrínseco, nem posto sob controle nossa voracidade de devastá-la
  • A greve nas universidades e institutos federais não…caminho tempo 17/05/2024 Por GRAÇA DRUCK & LUIZ FILGUEIRAS: As forças de esquerda e democráticas precisam sair da passividade, como que esperando que Lula e o seu governo, bem como o STF resolvam os impasses políticos
  • SUS, 36 anos – consolidação e incertezasPaulo Capel Narvai 15/05/2024 Por PAULO CAPEL NARVAI: O SUS não foi o “natimorto” que muitos anteviram. Quase quatro décadas depois, o SUS está institucionalmente consolidado e desenvolveu um notável processo de governança republicana
  • A liberdade fake e o Marquês de SadeEugenio Bucci 18/05/2024 Por EUGÊNIO BUCCI: A liberdade fake, a liberdade sádica, que no fundo é a negação de toda liberdade, está levando o Brasil ao naufrágio total

AUTORES

TEMAS

NOVAS PUBLICAÇÕES