Bem-vindo à luta

Imagem: Sharon McCutcheon
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por JULIAN RODRIGUES*

O desabafo de Pigossi, além de comovente, revela uma pessoa disposta a se engajar na luta coletiva e deve ser respeitado

Em 26 de novembro de 2021, o ex-global, o lindo e talentoso ator Marcos Pigossi postou no Insta uma foto com seu namorado italiano, e ainda lacrou na legenda: “chocando zero pessoas”. Morando nos EUA, Pigossi pode ser visto na série interessantíssima série da Netflix, Cidade invisível. Repercussão super positiva a saída do armário de um ator com uma trajetória de “galã”. Um tijolinho a mais na luta.

A revista Piauí traz agora uma bela entrevista-depoimento de Pigossi. Ele conta de maneira sincera, politizada e emocionante sua trajetória de vida. Seus conflitos internos. Suas fragilidades, dúvidas. Como temia estragar a carreira de ator na Globo, de “galã”, se assumisse publicamente sua sexualidade.

O desabafo de Pigossi, além de comovente, nos revela uma pessoa disposta a se engajar na luta coletiva. Ele reconhece e elogia toda ação dos movimentos LGBTI, e meio que se põe a ser um soldado da batalha contra a opressão sexual e de gênero.

Ah, mas lá vem a “lacrolândia”. Ao invés de parabenizar o ator e o chamar para o engajamento concreto no movimento social, vem a turma questionar o fato de Pigossi ser uma pessoa branca, de classe média alta e cisgênero. Como se isso tornasse seu sofrimento algo menor.

Pior ainda: vimos postagens “críticas” com zero  empatia e de noção política (e no caso, de muitos, a vontade de surfar na onda alheia pra ganhar cliques).

A turma que quer parecer radical, mas só “milita nas redes”. Gays brancos de classe média querendo ser “politicamente corretos”, problematizando a saída do armário de um gay branco de classe média.

Mas, e as trans? E as pessoas pretas?? E as lésbicas?? Ué, são todas pessoas vítimas do capitalismo racista, machista e cis-heteronormativo. O Pigossi tem a ver o que com isso?

Quantos desses e dessas supostos “radicais” de rede social não passam de “neoliberais progressistas” (Nancy Fraser) que nunca apareceram numa reunião organizativa nem do movimento LGBTI nem do movimento negro, nem de nenhum Partido de esquerda? Menas, bem menas.

Quem acha que apontar o dedo para indivíduos ajuda a melhorar o sistema está todo equivocada. Ainda mais se o indivíduo em questão acaba de fazer algo bonito, progressivo, contar sua dor e se dispor a ajudar uma causa coletiva.

Parem de julgar a dor alheia e hierarquizar opressões. A batalha pela igualdade racial, de gênero, pelas liberdades sexuais e pelos direitos humanos precisa ganhar corações e mentes de todas e todos. Um programa de transformações é antineoliberal, antipatriarcal, antirracista. Na defesa de todas liberdades, dos direitos sexuais e reprodutivos.

É uma luta de todos e todas trabalhadores e oprimidos. Inclusive dos brancos cisgêneros de classe média. Queremos mudar o mundo. Não apontar quem é mais ou menos “privilegiado”. A classe trabalhadora é plural. E a classe média é fundamental no processo de transformações sociais. Apontar o dedo para as pessoas e julgar quem individualmente teve ou não “privilégios” é algo estreito, equivocado, não ajuda em nada.

“Trabalhadores do mundo todo, uni-vos”. (isso inclui homens e mulheres, cis e trans, pretos e brancos, classe média progressista e até setores burgueses em um primeiro momento). Mais generosidade. Mais foco. Menos umbiguismo.

Um beijo ao Marcos Pigossi Bem-vindo à luta.

*Julian Rodrigues, professor e jornalista, é ativista LGBTI e de Direitos Humanos.

 

Veja neste link todos artigos de

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Luís Fernando Vitagliano Ricardo Antunes Liszt Vieira João Adolfo Hansen Gerson Almeida José Micaelson Lacerda Morais Luiz Marques Dênis de Moraes Francisco Pereira de Farias Vanderlei Tenório Lincoln Secco José Costa Júnior Osvaldo Coggiola Manuel Domingos Neto Mariarosaria Fabris Bento Prado Jr. Marjorie C. Marona Jean Marc Von Der Weid Afrânio Catani Luiz Eduardo Soares José Geraldo Couto Ronald León Núñez Kátia Gerab Baggio Thomas Piketty José Dirceu André Singer Remy José Fontana Henri Acselrad Luiz Werneck Vianna João Carlos Salles Paulo Nogueira Batista Jr Alexandre de Lima Castro Tranjan Eliziário Andrade Paulo Capel Narvai Maria Rita Kehl Celso Frederico Francisco de Oliveira Barros Júnior Fernão Pessoa Ramos Andrés del Río João Carlos Loebens Luciano Nascimento Francisco Fernandes Ladeira Fernando Nogueira da Costa Eugênio Trivinho Juarez Guimarães Flávio R. Kothe Alexandre de Freitas Barbosa Sergio Amadeu da Silveira Eduardo Borges Luiz Carlos Bresser-Pereira Mário Maestri Valerio Arcary Dennis Oliveira Benicio Viero Schmidt Marcelo Guimarães Lima Matheus Silveira de Souza Tales Ab'Sáber Alexandre Aragão de Albuquerque Yuri Martins-Fontes Lucas Fiaschetti Estevez Rubens Pinto Lyra Carla Teixeira Tadeu Valadares Marilia Pacheco Fiorillo Priscila Figueiredo Boaventura de Sousa Santos Elias Jabbour Chico Alencar Érico Andrade Ricardo Musse Bruno Fabricio Alcebino da Silva André Márcio Neves Soares Vinício Carrilho Martinez Luiz Renato Martins Leda Maria Paulani Atilio A. Boron Daniel Brazil Marilena Chauí Flávio Aguiar Bruno Machado Gabriel Cohn Gilberto Lopes Antonino Infranca Leonardo Boff Anderson Alves Esteves Caio Bugiato Paulo Fernandes Silveira Bernardo Ricupero Antonio Martins Michael Roberts Valerio Arcary Luiz Roberto Alves Marcos Aurélio da Silva Walnice Nogueira Galvão João Feres Júnior Leonardo Sacramento Ricardo Abramovay Ronaldo Tadeu de Souza Vladimir Safatle Heraldo Campos Alysson Leandro Mascaro José Machado Moita Neto Jorge Branco Luis Felipe Miguel Renato Dagnino Airton Paschoa Leonardo Avritzer Plínio de Arruda Sampaio Jr. Salem Nasser José Luís Fiori Manchetômetro Rodrigo de Faria João Paulo Ayub Fonseca Luiz Bernardo Pericás Daniel Costa Daniel Afonso da Silva Claudio Katz Antônio Sales Rios Neto Carlos Tautz Milton Pinheiro Ronald Rocha Denilson Cordeiro Julian Rodrigues Rafael R. Ioris Marcelo Módolo Ladislau Dowbor Paulo Sérgio Pinheiro Everaldo de Oliveira Andrade Otaviano Helene Michel Goulart da Silva Tarso Genro Eugênio Bucci Sandra Bitencourt Andrew Korybko Armando Boito Annateresa Fabris Gilberto Maringoni Berenice Bento Eleutério F. S. Prado Jorge Luiz Souto Maior João Lanari Bo Paulo Martins Marcos Silva Eleonora Albano Henry Burnett Michael Löwy Igor Felippe Santos Lorenzo Vitral Anselm Jappe Marcus Ianoni Ari Marcelo Solon Jean Pierre Chauvin Celso Favaretto José Raimundo Trindade Chico Whitaker Fábio Konder Comparato Samuel Kilsztajn João Sette Whitaker Ferreira Slavoj Žižek Ricardo Fabbrini

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada