O poder de Jair Bolsonaro

Imagem: Elyeser Szturm

Por Luiz Carlos Bresser-Pereira*

Nunca houve no Brasil um governo que tenha perdido tanto apoio social como esse que está aí. Um governo que se põe contra praticamente todos os setores da sociedade para ter o apoio de uma extrema-direita populista. Um governo que aposta no caos para ter mais poder, mas tem cada vez menos poder

No dia 27 de fevereiro, na minha página pública do Facebook, afirmei que o governo Bolsonaro perdera o apoio das elites econômicas e políticas; perdera, portanto, legitimidade social, e não mais governava. Não estava, assim, com o apoio da sociedade para enfrentar a crise interna caracterizada pelo crescimento do PIB de 1,1% em 2019, e pela disparada do dólar.

Nesta semana somou-se à crise interna o pânico em todas as bolsas do mundo com a recessão que o coronavirus deverá causar. A queda da Bolsa de São Paulo, de 25,9%, porém, foi na semana de 9 a 13 de março a muito maior do que na Bolsa de Nova York, de 16,5%. Por que? Essencialmente porque, dada essa crise de legitimidade, o governo Bolsonaro sofre hoje de uma dramática perda de poder.

Nessa mesma semana o Congresso rejeitou o veto do presidente ao projeto de lei aumentando para meio salário mínimo o escopo do Benefício de Prestação Continuada (BCP). O poder executivo foi, assim, incapaz de evitar uma despesa adicional sem a respectiva fonte de receita que, apenas neste ano, deverá custar R$ 20 bilhões. Estamos vendo essa perda de poder do governo também na sua incapacidade de reagir adequadamente à pandemia do coronavirus.

Mas o problema não é apenas perda de poder, é também não saber usá-lo, como se vê desde que assumiu o cargo em janeiro de 2019. Ao invés de enfrentar o desemprego e a falta de demanda com um grande plano de investimentos públicos, o governo promete que a retomada do crescimento acontecerá assim que for aprovada a próxima reforma. As reformas acontecem, algumas delas eram necessárias, como a reforma da Previdência, mas o crescimento não vem.

E assim a crise econômica se interna soma à crise internacional. Por quanto tempo isso será suportável? Não sei. Mas de uma coisa estou certo: nunca houve no Brasil um governo que tenha perdido tanto apoio social como esse que está aí. Um governo que se põe contra praticamente todos os setores da sociedade para ter o apoio de uma extrema-direita populista. Um governo que aposta no caos para ter mais poder, mas tem cada vez menos poder.

Luiz Carlos Bresser-Pereira é Professor Emérito da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP).

Artigo publicado originalmente na página do Facebook do autor.