As ideias precisam circular. Ajude A Terra é Redonda a seguir fazendo isso.

Que os mortos tenham direito de votar

Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por VLADIMIR SAFATLE*

Quando estivermos na cabine de votação, não estaremos sozinhos. Haverá 700 mil pessoas votando através de nosso gesto

“Que os mortos tenham direito de votar” é uma das mais belas passagens de Jacques Lacan. Trata-se do momento em que ele descobriu haver algo pior que a morte. Pior que a morte havia a morte da morte, havia o ato de matar a morte, ou seja, impedir que a morte pudesse ocorrer, com seu luto, com seu acolhimento simbólico, com seu dolo, com seu dever de memória. Nesse caso, era como se sujeitos fossem mortos pela segunda vez. Não só a morte física, mas uma ainda pior, ainda mais brutal: a morte simbólica.

O Brasil viu então o horror de um governo que lutava contra a vacinação de seu próprio povo, que zombava de suas mortes, que sabotava as tentativas da sociedade de se autodefender, que escondia números, que “desaparecia” corpos enquanto fazia de tudo para preservar os rendimentos da elite rentista, do sistema financeiro, dos empresários da corte. Um governo que matava a morte. O resultado foi inapelável: mesmo levando em conta apenas os números incertos que conseguimos levantar, descobrimos que tínhamos 3% da população mundial e 15% das mortes por Covid no mundo (5x mais).

No entanto, eis que eles continuam e, anos depois, ameaçam ser reeleitos. Uma reeleição que significaria jogar na vala comum todos os que morreram por irresponsabilidade e indiferença do Estado, deixar seus corpos sem sepultura apodrecendo a céu aberto. Corpos sem memória. Significaria o crime aterrador de esquecer e perdoar quem os matou, não uma, mas duas vezes. Os gregos têm uma bela tragédia, Antígona, a respeito do que deve (e esse “deve” está aí por rigor) ocorrer quando uma sociedade vê como possível matar duas vezes alguém. Ela deve desaparecer. Ela perdeu toda e qualquer substância ética, é só uma associação de “assassinos sem maldade e vítimas sem ódio”, como dizia Günther Anders.

Por isso, hoje não votarão apenas os vivos, votarão também os mortos. Ressurretos por um momento, eles segurarão a mão da insanidade como quem diz: “Nós não seremos mortos uma segunda vez”. E será essa ressureição dos mortos que salvará o que sobrou de nossa sociedade brasileira, que nos permitirá começar a construir outra sociedade a partir dos escombros dessa que já terminou. Nesses paradoxos tão estranhos quanto belos, quando uma sociedade se encontra no seu mais profundo perigo, são os mortos que nos salvam, é sua força de não se deixarem esquecer que preserva a abertura de nosso futuro.

Quando estivermos na cabine de votação, não estaremos sozinhos. Haverá 700 mil pessoas votando através de nosso gesto. Há momentos em que uma eleição é apenas uma eleição. E há momentos em que uma eleição é o gesto derradeiro de uma sociedade que usará da força de seus mortos para forçar as portas cerradas do futuro.

*Vladimir Safatle é professor titular de filosofia na USP. Autor, entre outros livros, de Maneiras de transformar mundos: Lacan, política e emancipação (Autêntica).

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Thomas Piketty Remy José Fontana Samuel Kilsztajn João Paulo Ayub Fonseca Ronald Rocha Roberto Bueno Eugênio Trivinho Leonardo Avritzer Alysson Leandro Mascaro Vladimir Safatle Fábio Konder Comparato Andrew Korybko Luís Fernando Vitagliano João Lanari Bo Boaventura de Sousa Santos Henry Burnett Eduardo Borges Gabriel Cohn Antonino Infranca Marcos Silva Jorge Luiz Souto Maior Claudio Katz Berenice Bento José Micaelson Lacerda Morais Eleutério F. S. Prado Carlos Tautz José Machado Moita Neto Michael Löwy Paulo Capel Narvai Francisco de Oliveira Barros Júnior Elias Jabbour Otaviano Helene José Raimundo Trindade Mariarosaria Fabris Marcos Aurélio da Silva Paulo Martins Gilberto Lopes Tadeu Valadares André Singer Marilia Pacheco Fiorillo Ricardo Musse Kátia Gerab Baggio Annateresa Fabris Dênis de Moraes Ari Marcelo Solon Flávio Aguiar Julian Rodrigues Rubens Pinto Lyra Luciano Nascimento Eugênio Bucci Henri Acselrad Liszt Vieira Renato Dagnino Maria Rita Kehl Atilio A. Boron Roberto Noritomi Jean Pierre Chauvin Francisco Fernandes Ladeira Mário Maestri Flávio R. Kothe Lincoln Secco Sergio Amadeu da Silveira Daniel Costa Luiz Carlos Bresser-Pereira João Carlos Loebens Osvaldo Coggiola Luiz Marques Celso Favaretto Ladislau Dowbor Marcelo Guimarães Lima Valério Arcary Alexandre de Freitas Barbosa José Costa Júnior Alexandre de Lima Castro Tranjan Marjorie C. Marona Airton Paschoa Bento Prado Jr. Luiz Costa Lima Marcus Ianoni Dennis Oliveira Bernardo Ricupero Bruno Fabricio Alcebino da Silva Ronaldo Tadeu de Souza Benicio Viero Schmidt Slavoj Žižek Afrânio Catani Marilena Chauí Igor Felippe Santos Valerio Arcary Rafael R. Ioris Leonardo Boff André Márcio Neves Soares Chico Whitaker Lucas Fiaschetti Estevez Jean Marc Von Der Weid Gerson Almeida Eleonora Albano Sandra Bitencourt Antônio Sales Rios Neto Anselm Jappe João Feres Júnior Ronald León Núñez Manuel Domingos Neto Leonardo Sacramento Gilberto Maringoni Salem Nasser Denilson Cordeiro Celso Frederico Luiz Roberto Alves Armando Boito Ricardo Abramovay Tales Ab'Sáber Milton Pinheiro Fernando Nogueira da Costa Luis Felipe Miguel Rodrigo de Faria Yuri Martins-Fontes Anderson Alves Esteves Alexandre Aragão de Albuquerque Fernão Pessoa Ramos Paulo Fernandes Silveira Paulo Nogueira Batista Jr Ricardo Antunes José Dirceu Carla Teixeira Eliziário Andrade Chico Alencar Luiz Werneck Vianna Plínio de Arruda Sampaio Jr. Juarez Guimarães Luiz Renato Martins Jorge Branco Everaldo de Oliveira Andrade Ricardo Fabbrini João Carlos Salles Francisco Pereira de Farias Paulo Sérgio Pinheiro Vinício Carrilho Martinez João Sette Whitaker Ferreira José Geraldo Couto Walnice Nogueira Galvão Luiz Eduardo Soares Bruno Machado Manchetômetro Heraldo Campos Priscila Figueiredo Michael Roberts Luiz Bernardo Pericás Marcelo Módolo Antonio Martins Leda Maria Paulani Caio Bugiato Daniel Afonso da Silva João Adolfo Hansen José Luís Fiori Vanderlei Tenório Tarso Genro Lorenzo Vitral Daniel Brazil Érico Andrade

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada