As ideias precisam circular. Ajude A Terra é Redonda a seguir fazendo isso.

A ficção do mercado de energia elétrica

Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por LUIZ CARLOS BRESSER-PEREIRA*

O preço da energia é um obstáculo para o crescimento da economia brasileira há tanto tempo quase estagnada.

Embora o Brasil tenha condições de produzir energia de maneira muito barata, a energia é muito cara no Brasil.  O excelente jornalista do Valor econômico, Cristiano Romero, mostrou a mesma preocupação.

Sua última coluna nesse jornal, em 24 de fevereiro, tem um título sugestivo, “Luz pela hora da morte”. Nesse artigo ele mostra com muitas informações como é caro o preço da energia no Brasil. E como esse preço é um obstáculo para o crescimento da economia brasileira há tanto tempo quase estagnada.

Por que isso acontece? Eu não tenho para ela uma resposta segura, mas creio que as privatizações são uma das suas causas, provavelmente a maior. Eu sou muito crítico das privatizações que estão sendo realizadas no país.

Mais amplamente, eu crítico a privatização de setores que se caracterizam por ser monopólios ou quase-monopólios naturais. Sou crítico porque nesses setores o mercado, cuja lógica é a da competição, não está presente.

O mercado é uma instituição insubstituível nos setores competitivos da economia. Através dos preços, o mercado, além de alocar de maneira eficiente os fatores de produção, evita os lucros abusivos que caracterizam os monopólios.

No caso da energia elétrica não há á mercado. Há uma ficção de mercado que não atende aos interesses do país, mas os interesses dos muitos agentes econômicos que são envolvidos nas privatizações. Em outras palavras, sou crítico das privatizações porque acredito no mercado.

Cristiano Romero mostra que o preço da energia pago pelas empresas industriais brasileiras é muito mais alto do que nos outros países, e cita um especialista, Pedro Perosa, presidente da Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres.

Para esse especialista na matéria, a energia é cara “porque se paga por muita coisa que não deveria estar na conta. Encargos cumprem políticas públicas e, ao contrário dos impostos, não são compensados”. Porque, em outras palavras, a regulamentação do mercado cria privilegiados.

Faz parte dessa regulamentação a CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), um fundo setorial cujo objetivo, segundo a ANEEL, é custear diversas políticas públicas. Existe, assim, “sistemas de subsídio cruzados criam incentivos para práticas oportunísticas” – que custam muito caro ao Estado e aos consumidores. Quem paga são os consumidores de energia.

Isto acontece por que a regulamentação é malfeita? Não, isso acontece porque é impossível regulamentar o setor para que ele “pareça um mercado”. Por isso, quando acontecem as privatizações os preços sobem abusivamente.

Por isso é muito mais lógico atribuir às empresas estatais a responsabilidade por setores como os da energia. Dentro do Estado também acontecem distorções, mas elas são menores. Quando os preços são muito altos, eles são ganhos pela sociedade, não por aproveitadores.

*Luiz Carlos Bresser-Pereira é Professor Emérito da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP). Autor, entre outros livros, de Em busca do desenvolvimento perdido: um projeto novo-desenvolvimentista para o Brasil (FGV).

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Sergio Amadeu da Silveira João Sette Whitaker Ferreira Tarso Genro Chico Alencar Mário Maestri Michael Roberts José Geraldo Couto José Costa Júnior Eleutério F. S. Prado Marcos Aurélio da Silva Ricardo Musse José Raimundo Trindade Airton Paschoa Carla Teixeira Luiz Costa Lima Antonino Infranca André Márcio Neves Soares João Paulo Ayub Fonseca Marjorie C. Marona Lucas Fiaschetti Estevez Daniel Brazil Antônio Sales Rios Neto José Micaelson Lacerda Morais Marcelo Guimarães Lima Gilberto Lopes Juarez Guimarães Samuel Kilsztajn Marcelo Módolo Andrew Korybko Roberto Noritomi Francisco Pereira de Farias Chico Whitaker João Carlos Salles João Adolfo Hansen Alexandre Aragão de Albuquerque Bento Prado Jr. Renato Dagnino João Lanari Bo Luís Fernando Vitagliano Leonardo Sacramento Rafael R. Ioris Francisco de Oliveira Barros Júnior Henri Acselrad Eleonora Albano Tales Ab'Sáber Alysson Leandro Mascaro Bruno Machado Marilia Pacheco Fiorillo Luiz Eduardo Soares Luis Felipe Miguel Gerson Almeida Priscila Figueiredo Manuel Domingos Neto Claudio Katz Plínio de Arruda Sampaio Jr. Salem Nasser Lincoln Secco Tadeu Valadares Érico Andrade Ari Marcelo Solon Walnice Nogueira Galvão Otaviano Helene Vinício Carrilho Martinez Fábio Konder Comparato Thomas Piketty Eduardo Borges Rodrigo de Faria Boaventura de Sousa Santos José Dirceu Luiz Carlos Bresser-Pereira Luiz Marques Celso Frederico Alexandre de Lima Castro Tranjan Ladislau Dowbor Dênis de Moraes Luiz Bernardo Pericás Remy José Fontana Liszt Vieira Francisco Fernandes Ladeira Annateresa Fabris Igor Felippe Santos Ronald Rocha Denilson Cordeiro Roberto Bueno Flávio Aguiar Luiz Roberto Alves Marcos Silva Luiz Renato Martins João Feres Júnior Paulo Nogueira Batista Jr Luciano Nascimento Maria Rita Kehl Rubens Pinto Lyra Kátia Gerab Baggio Fernando Nogueira da Costa Yuri Martins-Fontes Valério Arcary Celso Favaretto Leda Maria Paulani Lorenzo Vitral Eugênio Bucci Manchetômetro Gilberto Maringoni Ronald León Núñez José Machado Moita Neto Fernão Pessoa Ramos Heraldo Campos Ronaldo Tadeu de Souza Afrânio Catani Vladimir Safatle Paulo Fernandes Silveira Milton Pinheiro Alexandre de Freitas Barbosa Jean Pierre Chauvin Dennis Oliveira Marilena Chauí Vanderlei Tenório Leonardo Avritzer José Luís Fiori João Carlos Loebens Bruno Fabricio Alcebino da Silva Antonio Martins Paulo Martins Ricardo Antunes Ricardo Fabbrini Carlos Tautz Everaldo de Oliveira Andrade Benicio Viero Schmidt Paulo Capel Narvai Flávio R. Kothe Jorge Branco Eugênio Trivinho Sandra Bitencourt Caio Bugiato Atilio A. Boron Berenice Bento André Singer Daniel Afonso da Silva Bernardo Ricupero Armando Boito Daniel Costa Osvaldo Coggiola Leonardo Boff Luiz Werneck Vianna Anderson Alves Esteves Henry Burnett Gabriel Cohn Julian Rodrigues Paulo Sérgio Pinheiro Anselm Jappe Ricardo Abramovay Jean Marc Von Der Weid Mariarosaria Fabris Valerio Arcary Elias Jabbour Eliziário Andrade Jorge Luiz Souto Maior Michael Löwy Marcus Ianoni Slavoj Žižek

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada