Inteligência altamente artificial

Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por VINÍCIO CARRILHO MARTINEZ*

Reflexões sobre o caso do metafísico-autômato

Na era da Inteligência artificial, que assombra os que têm inteligência social, há indivíduos que desenvolvem comorbidades sociais, morais, das mais diversas, severas e íntimas. Chamaremos esses indivíduos de “portadores de inteligência altamente artificial” (PITA). Comumente assujeitados, são bem pouco sujeitos de fato e de si (e, por óbvio, desconhecedores da autonomia, do seu próprio significado), acabam envolvidos em seitas fetichistas e maquínicas.

Fetiche para esses indivíduos (que também vamos chamar de “esse-ser-aí”) é algo que se resume a atos libidinosos. Porém, como é muito raro que saibam o que é libido, então, são apenas seguidores de desejos inconfessáveis, impublicáveis e inelegíveis. Esses seres pouco dialogam com outros seres, efetivamente sociais. Portanto, seu fetiche se resume a liquidar todo mundo como mercadorias – ele próprio (“sendo-esse-ser-aí”) aceitaria ser manipulado (abduzido) porque já não é autônomo. São seres tão robotizados que veem máquinas autônomas, ou seja, como se as máquinas fossem (ou pudessem ser, efetivamente) autônomas. Esses indivíduos, em suma, confundem autômatos com autônomos.

Por isso tanto idolatram e confirmam mitos, às vezes, transferindo o fetiche do líder para a acompanhante feminina do mito inelegível. O fetiche é pelo líder, disso não há dúvidas – seja o fetiche “desse-ser-aí” ou maquínico (dele como mercadoria do mito), seja o fetiche sexualizado pela acompanhante do mito. Neste caso, trata-se do mito já caído, inelegível e desprezível. Se é que possa existir algo assim, digamos que seja um inelegível “fetiche reverso”.

Esse é o autômato que nos acompanha nesta série d’O metafísico. Quase inesgotável, tantas são as caricaturas possíveis, “esse-ser-aí-metafísico” é o mesmo já retratado como “admirável gado novo”, à espera da sua hora no abatedouro.

O destaque de hoje vai para a qualidade ou, melhor dizendo, tipo de inteligência que possui – pode-se dizer assim. Trata-se da manifestação que esboçamos no título: a Inteligência altamente artificial. Isso se comprova pelo fato de que o “metafísico-autômato-sendo-assim” ignora os fatos concretos. Alude-se pelas redes sociais, crê piamente em mentiras, nas piores distorções que o juízo desprovido de valor humano possa conferir. Quanto mais mentiroso, compulsivamente mentiroso, mais o metafísico-autômato irá querer para si.

O metafísico-autômato é o indivíduo desprovido de autonomia (portanto, nulo em inteligência social) que vive para receber e multiplicar as mentiras, na prática, como efetivo não-ser, mas sempre como curador e militante da Inteligência altamente artificial.

Por fim, hoje, queremos concluir reforçando sua transferência fetichista, do mito, para sua acompanhante, igualmente impronunciável. Porém, esta é uma tese a ser aprofundada por psicanalistas e psiquiatras: o fetiche pelo mito inelegível transforma-se em fetiche reverso pela acompanhante impronunciável. Nosso argumento é apenas o de que o metafísico-autômato é adorador do fetiche maquínico (sobre si) e replicante da Inteligência altamente artificial.

O metafísico-autômato é a própria sina da sua Inteligência altamente artificial, é o indivíduo que reproduz todo tipo de desinteligência social, pois, é portador de um bastante incomum senso comum. Ainda que seja o único da espécie que não saiba disso. Também seria interessante pensar como seria a vitimologia metafísica do mito caído, inelegível e fetichizado pela desinteligência do metafísico-autômato.

Mas isso já é outra história, e essas histórias fazem mal a quem tenha inteligência social.

*Vinício Carrilho Martinez é professor do Departamento de Educação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).


A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
CONTRIBUA

Veja neste link todos artigos de

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
João Adolfo Hansen Chico Alencar André Singer Marilena Chauí Armando Boito Bernardo Ricupero Chico Whitaker Ricardo Abramovay Sergio Amadeu da Silveira Jean Pierre Chauvin Henry Burnett Ricardo Antunes Luís Fernando Vitagliano Dênis de Moraes Daniel Costa Annateresa Fabris Paulo Martins Maria Rita Kehl Michael Roberts Claudio Katz Francisco Pereira de Farias Antônio Sales Rios Neto Daniel Afonso da Silva Bento Prado Jr. Bruno Fabricio Alcebino da Silva Gilberto Lopes Heraldo Campos João Lanari Bo Thomas Piketty Fernando Nogueira da Costa José Machado Moita Neto Ricardo Fabbrini Lucas Fiaschetti Estevez Luiz Bernardo Pericás Liszt Vieira Eugênio Trivinho Priscila Figueiredo Leda Maria Paulani João Paulo Ayub Fonseca Luis Felipe Miguel Paulo Sérgio Pinheiro Eleonora Albano Marcos Aurélio da Silva Marcelo Guimarães Lima José Geraldo Couto Julian Rodrigues José Raimundo Trindade Fernão Pessoa Ramos Atilio A. Boron Luiz Carlos Bresser-Pereira Ricardo Musse Tales Ab'Sáber Berenice Bento Leonardo Boff Ronaldo Tadeu de Souza Slavoj Žižek Antonino Infranca Ronald Rocha Samuel Kilsztajn Renato Dagnino Jean Marc Von Der Weid Alexandre Aragão de Albuquerque Celso Frederico Michael Löwy Mariarosaria Fabris Henri Acselrad Anselm Jappe Andrew Korybko Luiz Renato Martins Igor Felippe Santos Caio Bugiato Tadeu Valadares Airton Paschoa Celso Favaretto Gerson Almeida Sandra Bitencourt Matheus Silveira de Souza Paulo Fernandes Silveira João Feres Júnior Marcos Silva Manchetômetro Elias Jabbour Lincoln Secco Afrânio Catani Everaldo de Oliveira Andrade Milton Pinheiro Antonio Martins Eleutério F. S. Prado Plínio de Arruda Sampaio Jr. Ari Marcelo Solon Francisco de Oliveira Barros Júnior Luiz Werneck Vianna Osvaldo Coggiola Manuel Domingos Neto Juarez Guimarães Dennis Oliveira Alexandre de Freitas Barbosa Jorge Branco Mário Maestri Luciano Nascimento Leonardo Avritzer Anderson Alves Esteves Remy José Fontana Eliziário Andrade Bruno Machado José Luís Fiori Kátia Gerab Baggio Salem Nasser Valerio Arcary José Micaelson Lacerda Morais Gabriel Cohn Carla Teixeira Benicio Viero Schmidt João Sette Whitaker Ferreira Rubens Pinto Lyra Gilberto Maringoni Érico Andrade Alexandre de Lima Castro Tranjan Francisco Fernandes Ladeira Vanderlei Tenório Carlos Tautz Leonardo Sacramento Luiz Eduardo Soares Ronald León Núñez João Carlos Loebens Marjorie C. Marona Daniel Brazil André Márcio Neves Soares Luiz Roberto Alves Walnice Nogueira Galvão Eduardo Borges Ladislau Dowbor Boaventura de Sousa Santos Paulo Nogueira Batista Jr Michel Goulart da Silva Vladimir Safatle Lorenzo Vitral José Dirceu Rafael R. Ioris João Carlos Salles Tarso Genro Flávio Aguiar Flávio R. Kothe Jorge Luiz Souto Maior Luiz Marques Eugênio Bucci Marcus Ianoni José Costa Júnior Alysson Leandro Mascaro Rodrigo de Faria Valerio Arcary Fábio Konder Comparato Andrés del Río Denilson Cordeiro Paulo Capel Narvai Vinício Carrilho Martinez Marcelo Módolo Yuri Martins-Fontes Marilia Pacheco Fiorillo Otaviano Helene

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada