A posse da vacina

Imagem: Artem Podrez
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por DONATELLA DI CESARE*

A verdadeira discriminação é entre quem possui a vacina e aqueles que não

Caro Agamben, caro Cacciari, a verdadeira discriminação é entre quem possui a vacina e aqueles que não. O greenpass não é uma medida de discriminação. A palavra “discriminação” possui um significado e um peso que não é possível subestimar. Hoje existem tantas discriminações que acontecem cotidianamente debaixo dos nossos olhos: aquelas contra os imigrantes, contra quem tem a pele de outra cor, contra os pobres considerados um buraco negro na balança, contra os operários que ficam frequentemente sem um lugar de trabalho. Para não falar das inumeráveis discriminações, recorrentemente inarradas, contra as mulheres e ainda contra a comunidade LGBT.

O greenpass não é equiparável a nada disso. Parece-me perigoso e aberrante a comparação entre greenpass e a estrela amarela porque quer colocar no mesmo plano uma criança judia, discriminada por aquilo que era, com um anti-vacina que ainda não está convencido, ou não é ainda convencido, a se vacinar. Estas comparações são enganosas, seja interpretando o passado, isto é, a perseguição e o extermínio dos judeus europeus, seja tentando se orientar na complexa realidade da pandemia que marcou o mundo há quase dois anos.

Deste período, para além da dor e do luto, recordamos o grande esforço da ciência que com uma velocidade sem precedentes, nos deu as vacinas. E sem vacinas tudo hoje seria bem diferente. Isto não quer dizer que não se possa e não se deve discutir os resultados da ciência e principalmente as suas consequências tecno-políticas. O enorme poder dos especialistas no espaço público é alarmante. A possível redução dos cidadãos em pacientes e a deriva de um estado médico sanitário são riscos bem claros nestes últimos meses. Mas não vivemos em um “regime despótico” devendo refutá-lo. Vivemos em uma democracia que precisa ser salvaguardada. Muitos são os riscos que a ameaçam, começando com a despolitização das massas. A questão da vigilância é perspicaz e constituirá uma batalha, porque dificilmente se poderá não fazer o mapeamento. Mas não estamos já sendo vigiados por motivos bem mais fúteis de um capitalismo que impõe faz tempo formas de vida?

A ideia de que somos livres e autônomos é ingênua. Mas quem nas praças grita “liberdade” crê também que a vacina seja uma sutil alteração do próprio corpo, por isso pretendem evitar. A fé na identidade, na cólera identitária, difunde-se na nova direita que de fato marca o protesto. É incontestável que hoje vivemos a insólita condição pela qual o nosso corpo pode ser arma de contágio e morte para os outros. Propriamente por isso deveria impelir a colocar em primeiro plano o lugar da responsabilidade. Esta- e não outra- é a mensagem do greenpass. Se é um grande erro denegrir ou insultar o “não vax”.[1], se acontece sempre o confronto, não parece, no entanto, que sejam cidadãos de segunda classe. A discriminação é uma barreira rígida. Não é este o caso. A menos que não queria dizer que são, a exemplo, discriminados os fumantes.

A grande luta hoje é aquela para pedir as vacinas para os sem tetos, os imigrantes, aqueles não têm proteção e sobretudo para os países pobres, onde apenas agora um por cento da população é vacinada. Aqui é a discriminação: entre aqueles da população que possuem o privilégio da vacina e aqueles que estão ainda expostos. Sobre o direito para a vacina aos outros, é tempo de mobilizar-se.

*Donatella Di Cesare é professora na Universidade “La Sapienza” de Roma. Autora, entre outros livros, de Estrangeiros residentes: uma filosofia da migração (Âyiné).

Tradução: Carolini Dellavalle Vilão.

Publicado originalmente no jornal L’espresso [“Caro Agamben, caro Cacciari, la vera discriminazione è tra chi ha avuto il vaccino e chi no” – L’Espresso (repubblica.it)].

Nota da tradutora


[1] Pessoas que são contra a vacina.

Veja neste link todos artigos de

AUTORES

TEMAS

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Dennis Oliveira Vinício Carrilho Martinez Mariarosaria Fabris Carlos Tautz Anselm Jappe Thomas Piketty Gilberto Maringoni José Raimundo Trindade Otaviano Helene Daniel Costa João Feres Júnior Rafael R. Ioris Armando Boito João Lanari Bo Mário Maestri Francisco de Oliveira Barros Júnior Daniel Afonso da Silva Alexandre de Oliveira Torres Carrasco Bruno Fabricio Alcebino da Silva Benicio Viero Schmidt Matheus Silveira de Souza Luís Fernando Vitagliano João Paulo Ayub Fonseca Ronaldo Tadeu de Souza Alexandre de Freitas Barbosa Daniel Brazil Fernão Pessoa Ramos José Dirceu Elias Jabbour Alexandre de Lima Castro Tranjan Marcelo Módolo Kátia Gerab Baggio Marilia Pacheco Fiorillo Ladislau Dowbor Francisco Fernandes Ladeira Jorge Branco Slavoj Žižek Claudio Katz Gilberto Lopes Bento Prado Jr. Yuri Martins-Fontes Lorenzo Vitral Valerio Arcary Salem Nasser Berenice Bento Carla Teixeira Everaldo de Oliveira Andrade Liszt Vieira Jorge Luiz Souto Maior Caio Bugiato Osvaldo Coggiola Paulo Capel Narvai Marcus Ianoni Renato Dagnino Luiz Roberto Alves Luiz Werneck Vianna Leonardo Boff Eleutério F. S. Prado Maria Rita Kehl Ricardo Fabbrini Luis Felipe Miguel José Machado Moita Neto Michael Löwy Eleonora Albano Marcos Aurélio da Silva Eugênio Trivinho André Singer Alysson Leandro Mascaro Marcos Silva Ronald Rocha Andrew Korybko Airton Paschoa Paulo Fernandes Silveira Tarso Genro Samuel Kilsztajn Lincoln Secco Jean Marc Von Der Weid Chico Alencar João Adolfo Hansen Atilio A. Boron Afrânio Catani Celso Favaretto Sergio Amadeu da Silveira Paulo Sérgio Pinheiro Paulo Martins Sandra Bitencourt Rubens Pinto Lyra Bruno Machado Eliziário Andrade Eugênio Bucci Boaventura de Sousa Santos Ricardo Abramovay Fábio Konder Comparato Annateresa Fabris Luiz Eduardo Soares Luciano Nascimento Vladimir Safatle Plínio de Arruda Sampaio Jr. Manchetômetro Eduardo Borges Antônio Sales Rios Neto Gerson Almeida André Márcio Neves Soares Leonardo Avritzer Antonio Martins Manuel Domingos Neto Dênis de Moraes Bernardo Ricupero Ricardo Antunes Luiz Bernardo Pericás José Micaelson Lacerda Morais Michel Goulart da Silva Valerio Arcary João Carlos Salles Henri Acselrad José Costa Júnior Jean Pierre Chauvin Leonardo Sacramento Denilson Cordeiro José Luís Fiori Priscila Figueiredo Francisco Pereira de Farias Igor Felippe Santos Andrés del Río Ari Marcelo Solon João Carlos Loebens Henry Burnett Lucas Fiaschetti Estevez Michael Roberts Milton Pinheiro Luiz Renato Martins Flávio Aguiar Antonino Infranca Leda Maria Paulani Juarez Guimarães Tales Ab'Sáber Paulo Nogueira Batista Jr Luiz Carlos Bresser-Pereira Walnice Nogueira Galvão Julian Rodrigues Vanderlei Tenório Marilena Chauí Érico Andrade Flávio R. Kothe Heraldo Campos Marjorie C. Marona Rodrigo de Faria Remy José Fontana Alexandre Aragão de Albuquerque Ricardo Musse Celso Frederico Gabriel Cohn Tadeu Valadares Ronald León Núñez Marcelo Guimarães Lima Luiz Marques João Sette Whitaker Ferreira Chico Whitaker José Geraldo Couto Fernando Nogueira da Costa

NOVAS PUBLICAÇÕES