Nota de repúdio

Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por REDE NÃO CALA*

Repudiamos o Projeto de Lei 1904/2024 por ferir os direitos fundamentais, retrocedendo imensamente na pauta do respeito pela dignidade de todas as pessoas vítimas de violência sexual

A Rede Não Cala – Professoras e Pesquisadoras pelo Fim da Violência Sexual e de Gênero da Universidade de São Paulo – manifesta repúdio e indignação ao Projeto de Lei 1904/2024, que propõe uma alteração na legislação penal sobre o aborto.

Atualmente e desde 1940, o Código Penal brasileiro não criminaliza o aborto em três situações: (i) depois de um estupro, (ii) quando há risco de vida à pessoa gestante ou (iii) em caso de diagnóstico de anencefalia fetal. O Código Penal não estipula nenhum limite de idade gestacional.

Já o Projeto de Lei proposto não apenas proíbe a realização de aborto legal acima de 22 semanas em caso de estupro, como equipara o aborto a crime de homicídio após esse período. Lembramos que no Brasil, sete meninas com menos de 13 anos de idade sofrem estupro a cada uma hora, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

Portanto, as principais pessoas afetadas pela proposta serão as meninas que buscam esse serviço com esse tempo de gravidez, uma vez que em casos de abuso sexual, há mais demora em descobrir ou mesmo em identificar a gestação, em especial em meninas com acesso limitado ao sistema de saúde, à informação e pelo fato de que o abusador é alguém da própria família. A consequência é o diagnóstico tardio da gravidez.

Além de interromper a infância de um grande número de meninas brasileiras, especialmente de populações vulneráveis, a proposta deste Projeto de Lei ainda pleiteia que vítimas de estupro, que estão com gravidez com mais de 22 semanas e não desejam progredir com a gravidez – bem como os profissionais que realizem o procedimento – sejam condenadas pelo crime de homicídio, podendo ser presas por até 20 anos. Já o verdadeiro criminoso, o estuprador, cumpre a pena de até 10 anos.

Entendemos, como comprovado por dados, que o Projeto de Lei 1904/2024 é:

(a) Inconstitucional; (b) extremamente violento à vida de mulheres, meninas e pessoas que engravidam após violência sexual – especialmente as mais pobres, negras e vulneráveis; (c) representa um imenso retrocesso em relação aos direitos de meninas e mulheres vítimas de estupro; (d) apresenta mais uma forma explícita de culpabilizar mulheres pelos crimes que homens cometem.

Perguntamo-nos até quando, e repudiamos o Projeto de Lei por ferir os direitos fundamentais, retrocedendo imensamente na pauta do respeito pela dignidade de todas as pessoas vítimas de violência sexual.

Juntando-nos à maioria da população brasileira, recusamos a proposta e, reconhecendo a violência nela contida, conclamamos os representantes do poder legislativo a assegurar o único destino aceitável desse Projeto de Lei: Arquiva!

Rede Não Cala é composta por professoras e pesquisadoras pelo fim da violência sexual e de gênero da Universidade de São Paulo.


A Terra é Redonda existe graças aos nossos leitores e apoiadores.
Ajude-nos a manter esta ideia.
CONTRIBUA

Veja neste link todos artigos de

10 MAIS LIDOS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

__________________
  • 40 anos sem Michel Foucaultveneza 13/07/2024 Por VINÍCIUS DUTRA: O que ainda permanece admirável na forma de Foucault de refletir é sua perspicácia em contestar ideias intuitivamente aceitas pela tradição crítica de pensamento
  • A Unicamp na hora da verdadecultura artista palestina 13/07/2024 Por FRANCISCO FOOT HARDMAN: No próximo dia 6 de agosto o Conselho Universitário da Unicamp terá de deliberar se susta as atuais relações com uma das instituições empenhadas no massacre em Gaza
  • Que horas são no relógio de guerra da OTAN?José Luís Fiori 17/07/2024 Por JOSÉ LUÍS FIORI: Os ponteiros do “relógio da guerra mundial” estão se movendo de forma cada vez mais acelerada
  • A noite em que a Revolução Francesa morreuater 0406 01/07/2024 Por MARTÍN MARTINELLI: Prefácio do livro de Guadi Calvo
  • Episódios stalinistas no Brasilfotos antigas 14/07/2024 Por ANGELA MENDES DE ALMEIDA: Uma história costurada com inverdades, mas que, muito tempo depois, acabaram por sair à luz do dia
  • Marxismo e política — modos de usarLuis Felipe Miguel 15/07/2024 Por LUIS FELIPE MIGUEL: Introdução do autor ao livro recém-publicado
  • Carta de Berlim — a guerra e o velho diaboFlávio Aguiar 2024 16/07/2024 Por FLÁVIO AGUIAR: Há um cheiro de queimado no ar de Berlim. E não há nenhum Wald (bosque) em chamas, apesar do calor estival. O cheiro de queimado vem mesmo da sede do governo Federal
  • Julian Assange, Edward Snowden, Daniel Ellsbergwalnice 13/07/2024 Por WALNICE NOGUEIRA GALVÃO: Só permanece desinformado sobre segredos e inconfidências quem de fato tiver muita preguiça
  • Um ciclo interminávelpalestina rua gente 16/07/2024 Por BRUNO HUBERMAN: A esquerda sionista ataca a luta palestina por descolonização
  • O filósofo e o comediantefranklin de matos 08/07/2024 Por BENTO PRADO JR.: Prefácio do livro de Franklin de Matos – uma homenagem dos editores do site ao filósofo e professor da USP, falecido ontem

PESQUISAR

TEMAS

NOVAS PUBLICAÇÕES