Páscoa – a irrupção do inesperado

Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por LEONARDO BOFF*

Sem a ressurreição não existiriam as comunidades cristãs. Perderiam seu evento fundador e fundante.

Os cristãos celebram na Páscoa aquilo que ela significa: a passagem. No nosso contexto, é a passagem da decepção para a irrupção do inesperado. Aqui a decepção é a crucificação de Jesus de Nazaré e o inesperado, sua ressurreição.

Ele foi alguém que passou pelo mundo fazendo o bem. Mais que doutrinas introduziu práticas sempre ligadas à vida dos mais fracos: curava cegos, purificava hansenianos, fazia andar coxos, devolvia à saúde a muitos doentes, matava a fome de multidões e até ressuscitava mortos. Conhecemos seu fim trágico: uma trama urdida entre religiosos e políticos o levaram à morte na cruz.

Os que o seguiam, apóstolos e discípulos, com o fim trágico da crucificação ficaram profundamente frustrados. Todos, menos as mulheres que também o seguiam, começaram a voltar para suas casas. Decepcionados, pois esperavam que trouxesse a libertação de Israel. Tal frustração aparece claramente nos dois discípulos de Emaús, provavelmente, um casal que caminhavam cheios de tristeza. A alguém que se uniu a eles no caminho dizem lamuriosos: “Nós esperávamos que fosse ele quem iria libertar Israel, mas já passaram três dias que o condenaram à morte” (Lucas 24, 21). Esse companheiro, se revelou depois, como sendo Jesus ressuscitado, reconhecido na forma como benzeu o pão, o partiu e distribuiu.

A ressurreição estava fora do horizonte de seus seguidores. Havia um grupo em Israel que acreditavam na ressurreição mas no final dos tempos, a ressurreição entendida como uma volta à vida como sempre foi é.

Mas com Jesus aconteceu o inesperado, pois na história sempre pode ocorrer o inesperado e o improvável. Só que o inesperado aqui são de outra natureza, um evento realmente improvável e inesperado: a ressurreição. Ela deve ser bem entendida: não se trata da reanimação de um cadáver como o de Lázaro. Ressurreição representa uma revolução dentro da evolução. O fim bom da história humana se antecipa. Ela significa o inesperado da irrupção do ser humano novo, como diz São Paulo, do “novíssimo Adão”.

Este evento é realmente a concretização do inesperado. Teilhard de Chardin cuja mística é toda centrada na ressurreição como uma absoluta novidade dentro do processo da evolução a chamava de um “tremendous”, de algo, portanto, que mexe com todo o universo.

Essa é a fé fundamental dos cristãos. Sem a ressurreição não existiriam as comunidades cristãs. Perderiam seu evento fundador e fundante.

Por fim, cabe ressaltar que os dois mistérios maiores da fé cristã estão intimamente ligadas à mulher: a encarnação do Filho de Deus com Maria (Lucas 1,35) e a ressurreição com Maria de Mágadala (João 20,15). Parte da Igreja, a hierárquica, refém do patriarcalismo cultural, não atribuiu a este fato singular nenhuma relevância teológica. Ela seguramente está nos desígnios de Deus e deveria ser acolhido como algo culturalmente inovador.

Nestes tempos sombrios, marcados pela morte e até com o eventual desaparecimento da espécie humana, a fé na ressurreição nos rasga um futuro de esperança. Nosso fim não é a autodestruição dentro de uma tragédia, mas a plena realização de nossas potencialidades pela ressurreição, a irrupção do homem e da mulher novos.

Feliz Páscoa a todos os que conseguem crer e também a quem não o consegue.

*Leonardo Boff é teólogo. Autor, entre outros livros, de A ressurreição de Cristo e a nossa na morte (Vozes).

Veja neste link todos artigos de

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Vinício Carrilho Martinez Daniel Brazil Samuel Kilsztajn Marjorie C. Marona Priscila Figueiredo Celso Favaretto Eliziário Andrade Luis Felipe Miguel Luciano Nascimento Vanderlei Tenório Fernando Nogueira da Costa Luiz Renato Martins Everaldo de Oliveira Andrade Claudio Katz Walnice Nogueira Galvão André Singer Julian Rodrigues Ricardo Fabbrini Gilberto Maringoni Alexandre de Lima Castro Tranjan Mariarosaria Fabris Benicio Viero Schmidt Lincoln Secco Michael Löwy Rubens Pinto Lyra Paulo Nogueira Batista Jr Ricardo Antunes Fernão Pessoa Ramos Marcos Aurélio da Silva Airton Paschoa Paulo Martins Osvaldo Coggiola Celso Frederico Thomas Piketty Anderson Alves Esteves Jean Marc Von Der Weid Remy José Fontana Luiz Werneck Vianna Fábio Konder Comparato Sergio Amadeu da Silveira Chico Alencar Leonardo Sacramento Luiz Carlos Bresser-Pereira Valerio Arcary Flávio Aguiar Chico Whitaker Ricardo Musse Marcelo Módolo Luiz Bernardo Pericás João Feres Júnior Ronald León Núñez Berenice Bento Vladimir Safatle Henri Acselrad Renato Dagnino João Lanari Bo Valerio Arcary Manchetômetro Andrew Korybko Leda Maria Paulani Jean Pierre Chauvin Rafael R. Ioris Bruno Machado Elias Jabbour Kátia Gerab Baggio Dennis Oliveira João Carlos Loebens Francisco Pereira de Farias Milton Pinheiro Sandra Bitencourt Antonino Infranca Armando Boito Ari Marcelo Solon José Dirceu Manuel Domingos Neto Antonio Martins Luís Fernando Vitagliano Érico Andrade José Luís Fiori Alexandre de Freitas Barbosa Antônio Sales Rios Neto Heraldo Campos Paulo Capel Narvai João Carlos Salles Daniel Afonso da Silva Andrés del Río Michael Roberts Bernardo Ricupero Ladislau Dowbor Carla Teixeira Alexandre Aragão de Albuquerque Bruno Fabricio Alcebino da Silva Afrânio Catani Denilson Cordeiro Juarez Guimarães Gabriel Cohn Dênis de Moraes Francisco Fernandes Ladeira Eugênio Trivinho José Geraldo Couto Liszt Vieira Lucas Fiaschetti Estevez Slavoj Žižek Daniel Costa Atilio A. Boron Annateresa Fabris João Sette Whitaker Ferreira José Micaelson Lacerda Morais Maria Rita Kehl Michel Goulart da Silva Yuri Martins-Fontes Igor Felippe Santos Alysson Leandro Mascaro Otaviano Helene Paulo Sérgio Pinheiro Marcus Ianoni José Machado Moita Neto Ricardo Abramovay José Raimundo Trindade Luiz Roberto Alves Tadeu Valadares Caio Bugiato Henry Burnett Luiz Marques Marilia Pacheco Fiorillo Plínio de Arruda Sampaio Jr. Paulo Fernandes Silveira Marcelo Guimarães Lima Anselm Jappe Tarso Genro Jorge Luiz Souto Maior Ronaldo Tadeu de Souza Bento Prado Jr. José Costa Júnior Luiz Eduardo Soares Leonardo Avritzer Rodrigo de Faria Leonardo Boff Salem Nasser Tales Ab'Sáber Marilena Chauí Matheus Silveira de Souza Francisco de Oliveira Barros Júnior João Adolfo Hansen Marcos Silva Mário Maestri Eduardo Borges André Márcio Neves Soares João Paulo Ayub Fonseca Boaventura de Sousa Santos Eleonora Albano Ronald Rocha Lorenzo Vitral Flávio R. Kothe Gerson Almeida Carlos Tautz Jorge Branco Eugênio Bucci Gilberto Lopes Eleutério F. S. Prado

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada