Frente fria

Imagem: Stela Grespan
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por AIRTON PASCHOA*

Comentário sobre nossa incompetência política

Vira e mexe leio teses sobre a viabilidade ou a inviabilidade de frente progressista pras eleições presidenciais de 22, ano glorioso, não custa lembrar, do bi da Independência e do centenário do não menos glorioso Modernismo. Vivam nossas independências, a política e a cultural! Vivam!

Receio dizer que tais frentes, porém, só se materializam em face de perigo iminente.

Bolsonaro é perigo iminente?! Ora, já foi eleito o extremo excremento, não é mais novidade pra ninguém e continuará a fazer o que já se sabe, botar a pá de cal num sonho de nação secularmente acalentado, uma nação digna do nome, politicamente soberana, economicamente independente e socialmente integrada.

Em 18, sim, aí sim constituía perigo iminente imenso o brilhante ustrarrato de porão da ditadura, e lá era o momento de criar – doesse a quem doasse, a fim de devolvê-lo ao esgoto, nossa tão falada frente progressista. Era obrigação nossa à época, moral e política, eleger qualquer um – qualquer um mesmo!

Não seria bem melhor hoje, por exemplo, fazer oposição ao Ciro?

De posse da máquina federal, o perigo passou de iminente a eminente… em mais uma obra também da nossa incapacidade de fomentar frente quente.

Não aprendemos? Não. Ou pior, aprendemos que interesses são sempre mais concretos que abstrações, e o país talvez nunca tenha passado de fato de abstração.

O fim da abstração, contudo, não é o fim do mundo. Obriga a mudar.

Nossa esquerda virou majoritariamente eleitoral e institucional.

Desse ponto de vista não deixa de ser triste, compreendendo embora as ambições pessoais, ver alguém como o Boulos abraçara carreira política – de ser admirável um sujeito como o Stedile, que poderia estar federal deputando há muito tempo.

Pra transformar o país, o Chico de Oliveira disse certa vez na Escola Florestan Fernandes, em seminário, que eram necessários uns mil MSTs.E a gente sabe quanto já tem mal se segurado um só!

Pensando em nosso invencível apartaide social, não vejo saída senão protagonizada por uma poderosa esquerda afrodescendente, sem o que ficaremos nóis-cum-nóis, até o fim dos tempos, fazendo isto, conversando, discutindo, entreverando… quando não desesperando.

*Airton Paschoa é escritor, autor, entre outros livros, de A vida dos pinguins (Nankin, 2014)

 

 

Veja neste link todos artigos de

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
José Luís Fiori Daniel Costa Plínio de Arruda Sampaio Jr. Priscila Figueiredo Chico Whitaker João Carlos Loebens Daniel Afonso da Silva Valerio Arcary Bernardo Ricupero Leda Maria Paulani Jorge Branco Jorge Luiz Souto Maior Marilia Pacheco Fiorillo Caio Bugiato Annateresa Fabris Flávio Aguiar Luciano Nascimento Celso Favaretto João Adolfo Hansen Lucas Fiaschetti Estevez Remy José Fontana Thomas Piketty Claudio Katz Vladimir Safatle Everaldo de Oliveira Andrade Afrânio Catani Ronald Rocha Jean Pierre Chauvin Lorenzo Vitral Fernão Pessoa Ramos Marilena Chauí Sandra Bitencourt Paulo Nogueira Batista Jr Ladislau Dowbor Alexandre de Freitas Barbosa Marcelo Módolo Alexandre de Lima Castro Tranjan Andrés del Río André Márcio Neves Soares Yuri Martins-Fontes Carlos Tautz Antonio Martins Érico Andrade Airton Paschoa Otaviano Helene Ricardo Musse Manchetômetro Celso Frederico Luiz Eduardo Soares Anselm Jappe André Singer Luís Fernando Vitagliano Gabriel Cohn João Feres Júnior Lincoln Secco Salem Nasser Flávio R. Kothe Antonino Infranca Vanderlei Tenório Eleonora Albano Francisco Fernandes Ladeira Leonardo Boff Elias Jabbour Ricardo Fabbrini Eugênio Trivinho Marjorie C. Marona Rodrigo de Faria Gerson Almeida Fábio Konder Comparato Maria Rita Kehl Benicio Viero Schmidt Renato Dagnino Bento Prado Jr. Juarez Guimarães Luiz Carlos Bresser-Pereira Luiz Renato Martins Ronaldo Tadeu de Souza Bruno Machado Carla Teixeira José Raimundo Trindade Leonardo Avritzer Alexandre de Oliveira Torres Carrasco José Geraldo Couto Bruno Fabricio Alcebino da Silva Francisco de Oliveira Barros Júnior Francisco Pereira de Farias Paulo Martins Matheus Silveira de Souza João Lanari Bo Henri Acselrad Liszt Vieira Ricardo Antunes Michel Goulart da Silva Mário Maestri Slavoj Žižek Antônio Sales Rios Neto Luiz Werneck Vianna José Costa Júnior Luiz Roberto Alves Leonardo Sacramento Denilson Cordeiro Sergio Amadeu da Silveira Armando Boito Alysson Leandro Mascaro Julian Rodrigues José Machado Moita Neto Ari Marcelo Solon Fernando Nogueira da Costa Valerio Arcary Mariarosaria Fabris Atilio A. Boron José Micaelson Lacerda Morais Jean Marc Von Der Weid Marcos Silva Ronald León Núñez Daniel Brazil Luiz Marques Luiz Bernardo Pericás Samuel Kilsztajn Dênis de Moraes Tadeu Valadares Paulo Fernandes Silveira Paulo Capel Narvai Kátia Gerab Baggio Henry Burnett Eleutério F. S. Prado Luis Felipe Miguel Tales Ab'Sáber Walnice Nogueira Galvão Marcus Ianoni Vinício Carrilho Martinez Osvaldo Coggiola João Paulo Ayub Fonseca Eliziário Andrade Igor Felippe Santos Michael Roberts Andrew Korybko Alexandre Aragão de Albuquerque Tarso Genro João Carlos Salles Chico Alencar Dennis Oliveira Michael Löwy Berenice Bento Boaventura de Sousa Santos Paulo Sérgio Pinheiro Marcos Aurélio da Silva José Dirceu Rafael R. Ioris Milton Pinheiro Rubens Pinto Lyra Eugênio Bucci Ricardo Abramovay Manuel Domingos Neto Heraldo Campos Marcelo Guimarães Lima Gilberto Lopes Eduardo Borges João Sette Whitaker Ferreira Gilberto Maringoni

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada