Quais são os objetivos de Volodymyr Zelensky?

Imagem: Anselmo Pessoa Neto
Whatsapp
Facebook
Twitter
Instagram
Telegram

Por VINCENZO COSTA*

A visão acrítica apresentada pelo mainstream da guerra na Ucrânia deveria fazer desconfiar sobre tudo o que se diz a respeito do conflito

Estamos muito ocupados imaginando o que Vladimir Putin tem em mente, e não estamos fazendo uma pergunta pelo menos igualmente importante: o que o Ocidente tem em mente? Onde o Ocidente quer chegar?

A opinião pública perdeu completamente o intelecto. As pessoas realmente acreditam que Vladimir Putin quer chegar a Berlim e talvez, por que não?, a Roma. Quem o diz é o herói mundial do momento, Volodynyr Zelensky.

Nós realmente acreditamos que os russos querem explodir as usinas nucleares. É preciso ter titica de galinha no cérebro para pensar isso, mas, de fato, existem intelectuais que escrevem que é isso mesmo. Porque obviamente temos que acreditar que os russos querem explodir o maior reator nuclear do mundo ao lado da casa deles, no próprio colo.

A capacidade de fazer duas perguntas desapareceu completamente. E a razão é simples: se você se fizer uma pergunta significa que você está certo e que está dando razão àqueles que dizem “acho que não te contaram alguma coisa”. E, obviamente, aqueles que são inteligentes não dizem isso, eles não são teóricos da conspiração. E então o que o anti-complotista de cabaré faz para evitar ser um teórico da conspiração? Ele acredita no Corriere della Sera, porque um intelectual sério lê é essas coisas lá. E torna-se como aqueles idiotas que acreditavam que os desembarques na Normandia haviam falhado.

O anti-complotista nunca se perguntará: por que os russos estão se concentrando em Chernobyl e nas usinas nucleares? Não é que talvez eles queiram impedir Volodymyr Zelensky e seus amigos de fazerem algo maluco e eles, os russos, estão tentando impedir? O anti-complotista vai preferir acreditar que Vladimir Putin é louco e quer explodir o mundo. Esta é uma interpretação mais inteligente para o anti-complotista.

O anti-complotista é essa mente brilhante que quando Zelensky pede que a OTAN declare o espaço aéreo no Fly zone não se pergunta: esse cara é louco? O que quer Zelensky? Porque está claro que se ele quer a catástrofe nuclear.

O anti-complotista é essa figura apaixonada por sua própria inteligência, que não quer se contaminar com ninharias e, portanto, não se pergunta: Mas quem é Zelensky?

Volodymyr Zelensky, ator, comediante que se torna presidente na esteira da popularidade alcançada ao interpretar como ator o papel de um presidente puro e duro.

Baudrillard teria ficado impressionado, aqui se toca a precessão dos simulacros com a mão (o anti-complotista não sabe o que é a precessão dos simulacros, e eu não vou explicar a ele, vou deixar que ele continue acreditando que é culto): a realidade não precede a cópia, mas é a cópia da cópia. Um presidente falso torna-se um presidente de verdade, as pessoas adoram o que veem na televisão: elegem o personagem do filme. É dessa democracia que estamos falando.

Volodymyr Zelensky torna-se presidente após um massacre, feito por gente que massacra e queima mulheres e velhos vivos. O anti-complotista não percebeu isso, seu critério de julgamento é: Vladimir Putin atacou a Ucrânia? Ele não vai além dessa pergunta, para o anti-complotista para além dessa pergunta só existe o silêncio. Sua mente anti-conspiração não resistiria à complexidade. Para ele ou é preto ou é branco.

Com Zelensky, unidades nazistas, e são várias, fazem parte do exército regular, e provocam massacres. Silêncio da parte de Zelensky, silêncio da parte da Europa. Os jornais de oposição são fechados, Volodymyr Zelensky é apoiado pelos oligarcas (mas os oligarcas de Zelensky são bons, e o anti-complotista não acredita que Zelensky tenha sido apoiado por eles).

Volodymyr Zelensky é um ator, e para fazer esse papel, para fazer as pessoas se comoverem durante essa guerra, quem poderia fazer isso melhor do que um ator? Não se pode dizer isso? E por que não? Di Maio, o ministro do exterior italiano, é o que é. Mas alguém acredita que Zelensky é competente? Anti-complotista, o que você diz?

Sabemos que as armas que estamos enviando são inúteis, que produzirão mortes inúteis, que os ucranianos morrerão e perderão a guerra. Mas o anti-complotista não se pergunta: mas por que enviar armas que só produzirão mais mortes e intensificarão o conflito?

Por que Volodymyr Zelensky e os EUA querem esses mortos? Por que Zelensky está enviando seus cidadãos para o massacre? Qual é o sentido se até um pirralho sabe que os ucranianos não podem vencer a guerra?

O anti-complotista nunca se pergunta: qual é o objetivo do Ocidente? Qual é o objetivo de Zelensky? O anti-complotista é o abandono da razão. O anti-complotismo tornou-se a proibição de se fazer perguntas. Mas essas perguntas serão respondidas pela realidade, e será tarde demais.

*Vincenzo Costa é professor na Facoltà di Filosofia dellUniversità Vita-Salute San Raffaele (Itália). Autor, entre outros livros, de Filosofia e scienza nell’epoca della pandemia (Morcelliana).

Tradução: Anselmo Pessoa Neto.

Publicado originalmente no portal AntiDiplomatico.

 

 

Veja neste link todos artigos de

AUTORES

TEMAS

MAIS AUTORES

Lista aleatória de 160 entre mais de 1.900 autores.
Daniel Brazil Paulo Fernandes Silveira José Costa Júnior Denilson Cordeiro Ronald Rocha Luiz Werneck Vianna João Sette Whitaker Ferreira Paulo Capel Narvai Ronaldo Tadeu de Souza Eugênio Trivinho Leonardo Sacramento Francisco de Oliveira Barros Júnior Lucas Fiaschetti Estevez José Dirceu Ari Marcelo Solon Ricardo Fabbrini Dênis de Moraes Antonio Martins Flávio Aguiar Paulo Sérgio Pinheiro Ricardo Abramovay Marjorie C. Marona Antônio Sales Rios Neto Walnice Nogueira Galvão Leda Maria Paulani Leonardo Boff João Carlos Salles Jorge Luiz Souto Maior Celso Frederico Liszt Vieira Kátia Gerab Baggio Ricardo Antunes Marcelo Guimarães Lima Tarso Genro José Luís Fiori Eleonora Albano Mariarosaria Fabris Annateresa Fabris Vanderlei Tenório Antonino Infranca Michael Roberts Maria Rita Kehl Chico Whitaker Everaldo de Oliveira Andrade Slavoj Žižek Luiz Carlos Bresser-Pereira Mário Maestri Ladislau Dowbor Fernão Pessoa Ramos Daniel Costa Fábio Konder Comparato Gabriel Cohn Valerio Arcary Salem Nasser Elias Jabbour Carlos Tautz Marcos Silva Marcus Ianoni João Adolfo Hansen Eduardo Borges Alexandre de Lima Castro Tranjan Alexandre de Freitas Barbosa Rodrigo de Faria Carla Teixeira Vladimir Safatle Eugênio Bucci Rubens Pinto Lyra Samuel Kilsztajn Anderson Alves Esteves Flávio R. Kothe Gilberto Maringoni Otaviano Helene Sandra Bitencourt Tadeu Valadares Eliziário Andrade Plínio de Arruda Sampaio Jr. Yuri Martins-Fontes Osvaldo Coggiola Francisco Fernandes Ladeira Afrânio Catani Eleutério F. S. Prado Henry Burnett Michael Löwy José Machado Moita Neto Igor Felippe Santos Luiz Marques Remy José Fontana Paulo Nogueira Batista Jr Lorenzo Vitral Manuel Domingos Neto Vinício Carrilho Martinez Juarez Guimarães Marilena Chauí Marcelo Módolo Alexandre Aragão de Albuquerque Armando Boito Bernardo Ricupero Jean Marc Von Der Weid Luís Fernando Vitagliano João Lanari Bo Caio Bugiato André Márcio Neves Soares Chico Alencar Rafael R. Ioris Andrés del Río Andrew Korybko Dennis Oliveira Paulo Martins Luiz Eduardo Soares Marcos Aurélio da Silva André Singer Jorge Branco Luiz Bernardo Pericás Manchetômetro Heraldo Campos Marilia Pacheco Fiorillo Priscila Figueiredo Benicio Viero Schmidt José Geraldo Couto Luis Felipe Miguel Valerio Arcary Julian Rodrigues Leonardo Avritzer Érico Andrade Luiz Renato Martins Claudio Katz Ronald León Núñez Luciano Nascimento José Raimundo Trindade Bruno Fabricio Alcebino da Silva Tales Ab'Sáber Michel Goulart da Silva Celso Favaretto João Paulo Ayub Fonseca Milton Pinheiro Boaventura de Sousa Santos Gilberto Lopes Berenice Bento Anselm Jappe Lincoln Secco Bento Prado Jr. Jean Pierre Chauvin Gerson Almeida Fernando Nogueira da Costa João Carlos Loebens Henri Acselrad Alysson Leandro Mascaro Matheus Silveira de Souza Ricardo Musse Airton Paschoa Bruno Machado Daniel Afonso da Silva Luiz Roberto Alves Sergio Amadeu da Silveira Thomas Piketty João Feres Júnior Francisco Pereira de Farias Atilio A. Boron Renato Dagnino José Micaelson Lacerda Morais

NOVAS PUBLICAÇÕES

Pesquisa detalhada